domingo, 22 de julho de 2018

TENDÊNCIA SUICIDA E PRAZER NA DOR (CONVERTER O MAL EM BENÇÃO)


RANSOUTENGAI

São várias linhas feitas de energia espiritual que costuram partes do corpo que estão feridas, e faz com que se movam, mesmo perdendo a força dos músculos. 
Essa é uma técnica desenvolvida por um Quincy, para lutar mesmo estando ferido. 
Ossos quebrados e juntas deslocadas não são nada contra essa técnica, ela permite aos Quincy lutar até que seu corpo seja completamente destruído. 
É uma técnica mortal, mas é uma das mais difíceis e perigosas de um Quincy.

sexta-feira, 20 de julho de 2018

ESTRATÉGIA MILITAR (DEVEMOS SEMPRE MANTER O FOCO)


O verdadeiro bandido (gangster) nunca quer chamar a atenção. A última coisa que um bandido de verdade quer é chamar a atenção das autoridades e da mídia. O mafioso (bandido esperto) prefere se infiltrar no Estado por meio da corrupção do que entrar em confronto direto com as autoridades. Assim, como os agentes da Hidra se infiltraram na S.H.I.E.L.D (Marvel), ocultamente, sem ninguém perceber. Assim, como Saga de Gêmeos se infiltrou no Santuário matando o antigo Mestre (Saint Seiya), dando um Golpe de Estado e tomando o poder. Assim, como Sosuke Aizen e seus comparsas se infiltraram no Seireitei (Sociedade das Almas - Bleach) enganando a todos os Ceifeiros de Almas (Shinigamis). Assim, Satanás, o Diabo, faz com a Igreja. Lúcifer sabe que é muito mais eficiente semear o joio no Reino de Deus do que tentar arrancar o trigo. Ele mudou a sua estratégia, ou seja, Satanás sabe que terá mais êxito se tornando "membro" da Igreja do que batendo de frente diretamente. Por meio de heresias, como, por exemplo, Macumba Gospel e Satanismo Gospel (Movimento Batalha Espiritual), Teologia da Prosperidade, machismo, intolerância religiosa, xenofobia, incitação ao ódio contra feministas e homossexuais, politicamente correto, Pacifismo, omissão, conformismo, “paz e amor”, bordões e chavões, e a legitimação da opressão (só contra os mais fracos e indefesos, ou seja, com quem não pode revidar), Satanás tem corroído os alicerces da Igreja. O maior trunfo do Diabo foi convencer o mundo de que ele não existe, porque assim, ele fica livre para fazer o que bem entender, pois ninguém ousará se opor a ele. Satanás usa distrações, geralmente, baseadas na ignorância teológica e no preconceito religioso (legalismo e fundamentalismo) para desviar o foco dos cristãos com coisas secundárias enquanto o Diabo continua destruindo famílias, casamentos e vidas. Os “cristãos” precisam abandonar a sua soberba legalista e arrogância religiosa (parar de arrotar “santidade” e de pregar o falso moralismo) e aprenderem a serem humildes com Jesus. A Igreja precisa de homens de verdade; de homens corajosos, valentes e ousados. De grandes guerreiros que tenham peito e coragem para desafiar o poderio reinante do Diabo e seus anjos. (Filipe Levi)

CÓDIGO SAMURAI (INTEGRIDADE E HONRA)


“O caminho do valente não segue os passos da estupidez. Quando um samurai diz que fará algo, é como se já o tivesse feito. Nada nesta terra o deterá na realização do que disse que fará”.

Nós, homens de Deus, somos servos da justiça. Os nossos atos devem ser de justiça. Nós lutamos em prol da justiça. Se for preciso, nos tornaremos na própria justiça. As nossas flechas só devem ser lançadas em nome da justiça. Não justiça para nós mesmos, mas justiça para aqueles a quem nós juramos proteger. A nossa espada nunca deve ser usada por motivos ou razões pessoais, mas apenas para promover a paz e a justiça. Os servos de Deus são homens de palavra. Homens de honra devem defender e proteger os fracos. O sentido bíblico de liderança é servir e proteger. Os líderes devem servir aos outros e não ser servido por eles. Sejamos guerreiros honrados e íntegros. Sejamos homens de verdade. As nossas armas e os nossos punhos devem ser usados para proteger os indefesos e para a promoção da justiça. O dever do homem, do cavaleiro, do guerreiro, do soldado e do líder, é cuidar de seus protegidos. Sejamos homens valentes e corajosos. Sejamos homens íntegros e honrados. Sejamos homens de Deus. Sejamos heróis. Já tem homens demais fazendo o mal, então, ouse fazer o bem. (Filipe Levi)

quinta-feira, 19 de julho de 2018

O TERROR COMO ARMA (A MAIOR ARMA DOS BANDIDOS)


Quando os Incas enfrentaram os espanhóis, eles foram derrotados por causa do impacto psicológico, porque os Incas poderiam vencer a guerra, mas eles não conheciam as armas de fogo e nem os canhões, e com isso eles ficaram assustados, entraram em desespero e foram derrotados. Quando Hyoga de Cisne lutou contra o gigante Dócrates (irmão de Cássios), o cavaleiro de Cisne se lembrou do ensinamento de seu mestre (Mestre Cristal), que homens muito grandes têm pernas muito frágeis e com isso, Hyoga, causou um grande impacto psicológico em Dócrates e com a ajuda de Shun de Andrômeda e de Seiya de Pégaso, venceram o gigante. Saitou Hajime disse para Kenshin Himura que Makoto Shishio conquistou o espírito das pessoas (do povo), por isso, ninguém ousava desafiá-lo e se opor ao seu domínio. Os bandidos, os terroristas e os ditadores usam o medo e o terror como armas para poder subjugar e oprimir os mais fracos que tem o seu espírito, conquistado, subjugado e dominado por eles. Desde a Antiguidade que o Diabo e seus anjos usam o medo para conquistar o mundo. Durante a Idade Média, esse medo foi intensificado por meio dos horrores praticados pela Inquisição. Satanás, o Diabo, faz isso com a Igreja hoje também, ele a controla e a domina por meio do impacto psicológico. A maior arma dos bandidos, dos terroristas e dos ditadores sempre foi o medo. (Filipe Levi)

O PROBLEMA NÃO É A RELIGIÃO (O PROBLEMA É A RELIGIOSIDADE)


“O problema não é a RELIGIÃO, mas, sim, a RELIGIOSIDADE. É ela que enaltece o erro, é ela que gera a heresia, que abraça o fanatismo e encaminha docemente à perdição. O que levou Cristo para a Cruz foram nossos pecados, meus e seus, o ódio dos líderes religiosos judeus era movido por sua RELIGIOSIDADE, pelo temor da mudança que Cristo trazia pelo cumprimento da RELIGIÃO, Ele veio RELIGAR o concerto que havia sido quebrado pelo próprio povo que Deus escolhera. Foi a RELIGIOSIDADE, não a RELIGIÃO. O conceito humano sobre a mesma é que se torna equivocado, pois fazem de uma o sinônimo para a outra, criando assim um abismo entre Deus e a humanidade; e foi por este motivo que Deus nos presenteou com JESUS. Por intermédio de Seu SACRIFÍCIO na Cruz, Ele nos RELIGOU à Deus.
Graça e paz”. (Anísio Ferreira)

SOBRE O ATO DE PROFETIZAR


É comum hoje em dia o ato de profetizar, decretar, declarar, etc., coisas que se espera que aconteça. Por exemplo, é costume nos cultos virar para o irmão e "profetizar bênçãos" na vida dele. Mas o que a Bíblia diz sobre essa prática?
Não iremos falar sobre o "dom de profecia", mas exclusivamente do costume atual nos arraiais evangélicos em declarar coisas que se espera que supostamente aconteçam.
Em primeiro lugar, o significado bíblico para a profecia é ser o "porta-voz" de Deus. O profeta não fala por si mesmo, não opera o que quer operar: ele está em consonância com o desejo de Deus. Quando Deus ordenava a um profeta que falasse a favor (ou contra) alguém, o profeta o fazia em nome de Deus, não de si próprio: "Assim diz o Senhor", era como começava a profecia. 
Do ponto de vista bíblico, profetizar é falar por Deus, comunicar a Sua mensagem. E essa mensagem não pode vir do próprio profeta:
"Pois jamais a profecia teve origem na vontade humana, mas homens falaram da parte de Deus, impelidos pelo Espírito Santo." (2 Pedro 1.21)
Em observância a isso, o que estamos realmente fazendo quando "profetizamos" algo na vida de alguém? Apenas estamos desejando que algo de bom aconteça. Na realidade, nem estamos profetizando (no sentido bíblico do termo). Não estamos falando nada que Deus tenha nos ordenado a falar.
Quando alguém nos diz para profetizar, ou quando surge em nós o desejo de profetizar isso ou aquilo, estamos criando em nós mesmos algo que a Bíblia nos proíbe de fazer. Observe algo: quando Ezequiel profetizou sobre o vale de ossos secos, ele o fez sob a ordem estrita de Deus:
"Então ele me disse: 'Profetize a esses ossos e diga-lhes: 'Ossos secos, ouçam a palavra do Senhor!'[...] E eu profetizei conforme a ordem recebida." (Ez 37.4,7)
A Bíblia adverte contra essas profecias criadas por nós mesmos, ainda que por "bons" motivos. O profeta Jeremias falou contra os falsos profetas de seu tempo, que, embora Deus falasse através de Jeremias que haveria punição para os pecados de Israel, os falsos profetas insistiam em criar seus próprios prenúncios de bênçãos (e qualquer semelhança com a realidade atual é mera coincidência):
"Até quando os profetas continuarão a profetizar mentiras e as ilusões de suas próprias mentes?" (Jr 23.26)
"'Eu não os enviei!', declara o Senhor. 'Eles profetizam mentiras em meu nome. Por isso, eu banirei vocês, e vocês perecerão juntamente com os profetas que lhes estão profetizando.'" (Jr 27.15)
"Eles estão profetizando mentiras em meu nome. Eu não os enviei', declara o Senhor." (Jr 29.9)
A verdade é que não estamos autorizados a profetizar se não fomos usados por Deus para isso - há casos de pessoas na Bíblia que profetizaram "sem querer", como no caso do sumo sacerdote Caifás, mas ainda assim, usados por Deus - e desagradamos a Deus quando o fazemos. Se queremos ser usados por Deus para abençoar alguém, temos que fazer conforme a Sua Palavra. Ao querer desejar bênçãos pra alguém, use a Bíblia (em seu devido contexto): ela é a verdadeira profecia de Deus para o homem, e à prova de falhas.
Deus nos guie pelo o que a Bíblia diz.
_____

O PERIGO DAS "MEIAS VERDADES"


Meias verdades são mais nocivas que completas mentiras, e a razão é bem simples.
Meias verdades são sempre acompanhadas de meias mentiras, essas são as mais sutis, imperceptíveis e arrasadoras. Verdadeiras mentiras embora sejam destrutivas são chocantes demais! Horrendas demais! Então, logo quando avistamos uma, nos armamos e às rejeitamos.
Como cristãos somos chamados em tudo a buscar orientação na Palavra de Deus quanto à verdade. E esse é o maior desafio. Pois os princípios de Deus são os que mais são atacados na sociedade em que vivemos. Esses ataques, por sua vez, não são estrondos e visivelmente alarmantes, mas silenciosos e mortíferos. Tal qual um câncer que lentamente mata o hospedeiro, assim são as meias verdades recheadas de pequenas mentiras que minam a nossa consciência e fé.
Nosso compromisso é total com a verdade. Nossa moral é atemporal e nossa ética é eterna. E por mais difícil que seja viver em uma sociedade onde seguir a Palavra de Deus é "antiquado", "retrógrado", "fanatismo" e etc. Não desanime, não perca a fé! E quando a sua fé for pouca, semelhante ao pai de um menino atormentado, grite: "Ajuda-me a vencer a minha incredulidade!" Mt 9.24b. E Ele te ajudará.
Espero com esse texto trazer atenção a esse tema que por vezes fazemos tão pouco caso. O primeiro campo de batalha em que somos atacados é no campo das nossas convicções. E se não temos convicção e fé naquilo que Deus nos disse e AINDA diz, então estaremos perdidos; como nação, e como povo de Deus. (Iago Liasch Tavares)