sexta-feira, 21 de junho de 2019

O PROFETA DE DEUS (CARÁTER E HONRA)



Filipe Levi 22/06/19
O PROFETA DE DEUS (CARÁTER E HONRA)

INTRODUÇÃO:

"Ter "conceitos" a respeito de Deus é uma coisa; andar com Ele é totalmente diferente. Você vai encontrar belas salas de Teologia nos palácios, mas é no deserto (e somente lá) que profetas são formados". (Fabio Campos)

Mesmo, diante da dor e do desespero, eu confiarei no Deus Vivo. O Deus de Israel me livrará e eu o glorificarei. Mesmo, diante das trevas e da escuridão, eu confiarei no Altíssimo. Mesmo, diante dos Portões do Submundo, eu confiarei no Deus Eterno. Mesmo, diante das Portas do Inferno, eu confiarei em Deus. Ainda que Ele (Deus) me mate, n'Ele esperarei. Se quiser me matar, seu maldito (Satanás, o Diabo), venha pessoalmente fazer o serviço (torce para não me segurarem na próxima vez que você me empurrar). Eu não me darei por vencido. Eu escolho morrer lutando.

ORAÇÃO DE GUERRA (LUTAR EM PROL DOS OUTROS):

"A oração é a mais poderosa de todas as armas que as criaturas humanas podem empunhar." 
(Martinho Lutero)

Orar e interceder pelas pessoas, lutar em prol dos outros. Essa tem sido a minha batalha, a minha guerra. Não tenho medo de ser morto ou ferido, portanto, que eu consiga ajudar alguém. Além de ser um estudioso da Bíblia, também me dedico a oração todos os dias. Mais oro e intercedo pelos outros do que por mim mesmo. Falo isso com toda a humildade do meu coração, eu me importo mesmo com a Salvação dessas pessoas. Satanás, o Diabo, já tentou me matar várias vezes, mas eu sobrevivi. Não conheço os propósitos de Deus, mas mesmo assim, confiarei. Eu escolho morrer lutando.

"Eu não acredito que haja qualquer coisa que o Diabo odeie mais do que homens e mulheres de oração". (Leonard Ravenhill)

O ADVERSÁRIO – OPOSITOR (A ARMADURA DE DEUS):

O Adversário sempre irá procurar atacar as suas fraquezas e onde está ferido. O Inimigo sempre atacará primeiro uma necessidade física sua ou a sua saúde. Ele conhece os seus pontos fracos e os seus pontos fortes. Não subestime o seu Oponente. Ele têm milhares de anos de experiência em combate e soube aproveitar muito bem esses anos de experiência. Revista-se com a Armadura de Deus e fique firme diante dos ataques do seu Inimigo. Nunca abaixe a guarda, se não ele vai acertar a sua cara. Dedique-se a oração e estude profundamente as Escrituras. Ore e interceda pelas pessoas. Lute em prol dos outros. Seja um verdadeiro herói.

OS “CHAVÕES” EVANGÉLICOS (CONSTRUÇÕES IDEOLÓGICAS):

Existem duas construções ideológicas construídas por Satanás que tem dominado as igrejas evangélicas (principalmente, as pentecostais e neo pentecostais). As construções ideológicas do "Não julgueis" e a do "Não toqueis no ungido do Senhor". Qualquer pessoa que tenha um pouco de interesse em estudar a Bíblia seriamente (e que não seja desprovida de inteligência), perceberá que esses dois ensinamentos são diabólicos, satânicos, demoníacos e luciferianos, porque não tem base bíblica nenhuma. Interessante é que o próprio Jesus Cristo, os profetas e os apóstolos julgavam. Mas, aí, as bestas dos evangélicos afirmam que Jesus podia, porque Ele era Jesus. Interessante é que eu posso seguir Jesus em tudo e tenho que ser igual a Jesus, menos nisso. E os profetas e os apóstolos? Eram só eles que podiam também? Os Pais da Igreja e os Reformadores podiam também, e, só nós, cristãos da atualidade, é que não podemos? Eles pegam essa frase de Jesus fora de contexto (não se dão nem ao trabalho de pegar o versículo inteiro para deturpar o que Jesus ensinou) para pregar essa asneira do "Não julgueis" para poderem legitimar a impunidade e a omissão diante da opressão. Sobre a heresia diabólica do "Não toqueis no ungido do Senhor", eles usam versículos fora de seu verdadeiro contexto e o único exemplo de personagem bíblico que eles usam para defender essa asneira é o rei Saul (que grande exemplo!). Um cara que consultou os mortos, que assassinou profetas de Deus, que vivia desrespeitando a Deus e aos seus Mandamentos constantemente e que ainda se suicidou no final. Por favor, vão ler a Bíblia e estudar Teologia, seus tolos.

HOMENS PROTETORES (HONRAR E PROTEGER):

"Homens com almas cheias do Evangelho não verão as mulheres como coisas para manipular ou controlar, mas como tesouros para honrar e proteger." — John Piper

A Bíblia, a Palavra de Deus, sempre ensinou que os homens de Deus devem defender os mais fracos. O dever do marido é defender e proteger a sua esposa, para que nenhum mal aconteça a ela. Os homens devem respeitar as mulheres, porque elas são tesouros, jóias, que nós, homens, devemos honrar e proteger. A vontade de Deus é que sejamos homens de verdade, homens íntegros que defendam e protejam os mais fracos. As crianças e as mulheres precisam de proteção.

O MESTRE DOS PESADELOS (A MATANÇA DOS INOCENTES):

Assim, como Satanás tentou exterminar as crianças no Egito e também por meio de Herodes, logo, quando Jesus nasceu, o Diabo ainda atua tendo como alvo principal as crianças e os jovens. Exterminando as crianças e os jovens, Satanás destruirá, assim, as gerações futuras, eliminando, assim, toda a resistência. Satanás, o Diabo, quer destruir a instituição chamada família, quer destruir os casamentos, e, principalmente, quer usar e depois descartar todas as crianças e todos os jovens. Cuidem de suas crianças e dos seus jovens. Protejam as crianças e os jovens. Não vacilem, o Diabo não perdoa.

O PACIFISMO É ANTIBÍBLICO (DIABÓLICO E DEMONÍACO):

Durante a História do Cristianismo, os maiores teólogos (Pais da Igreja, pregadores e Reformadores) sempre condenaram o Pacifismo. Clemente de Roma, Clemente de Alexandria, Ireneu de Lyon, Eusébio de Cesaréia, Agostinho de Hipona, Ambrósio de Milão, Jerônimo de Strídon, Martinho Lutero, João Calvino, Ulrico Zuínglio, Richard Baxter, John Owen, William Wilberforce, Charles Spurgeon, Chesterton, C. S. Lewis e muitos outros não eram pacifistas. Os apóstolos, Pedro e Paulo, deixam bem claro a sua opinião sobre as autoridades governamentais em (Romanos 13:1-7) e (1 Pedro 2:13-17). João Batista também deixou bem claro o seu pensamento sobre o serviço militar em (Lucas 3:14). Essa historinha de que Jesus era um “Hippie” (paz e amor) não tem embasamento bíblico, ou seja, o Pacifismo é antibíblico mesmo.

NÃO SEJA OMISSO (PROTEJA OS FRACOS):

"Para que o mal triunfe, basta que os bons não façam nada". (Edmund Burke)

A violência deve ser usada enquanto uma contingência e não como objetivo. Usar desculpas como "paz, amor e perdão" para justificar a omissão diante do mal é coisa de gente covarde, perversa e demoníaca. O nosso dever, como cristãos e guerreiros, é sempre defender e proteger os mais fracos. Nós, homens de Deus, devemos proteger os indefesos. Nós, guerreiros e heróis, temos o dever e a obrigação de lutar por aqueles que não podem lutar por si mesmos. A violência pode ter um bom uso, quando a violência é usada como uma contingência para a defesa própria e para a proteção dos outros.

AS “FRASES FEITAS” DOS CRENTES (AS FRASES DE EFEITO RUIM DOS EVANGÉLICOS):

O impressionante dos "cristãos" são os seus famosos "bordões", "chavões", “jargões” e "frases clichês", ou seja, as suas "frases feitas" de sempre. Como, por exemplo, o famoso bordão "Não Julgueis", que "tatuagem" é do Diabo, que "as autoridades governamentais são estabelecidas pelo Satanás", que "prazer sexual" é do Lúcifer, e que crente não pode falar "palavrão". Sobre o "Não Julgueis", em nenhum momento Jesus pregou a omissão e o conformismo nesse contexto, mas apenas criticou a hipocrisia dos "fariseus" que adoravam apontar o seu "dedo imundo" para os outros sem ter moral para isso, sendo que eles faziam coisa pior do que as pessoas que eles criticavam. O próprio Jesus, os apóstolos e os profetas da Bíblia julgavam os homens maus e criticavam as injustiças. Sobre a tatuagem (Levítico 19:28), o contexto desse versículo nem sequer está falando sobre tatuagem, mas, sim, sobre um costume "pagão" em que as pessoas se automutilavam em homenagem aos seus entes queridos mortos. Conheço pessoas que usam tatuagem que tem muito mais integridade e caráter do que muitos religiosos hipócritas que vivem “arrotando santidade”. Sobre as autoridades governamentais serem estabelecidas pelo "Capiroto", esses "pacifistas hipócritas" adoram satanizar o serviço militar e a política, ignorando descaradamente o Livro de Daniel (Daniel 2:20-21) e (Daniel 5:20-21) no Antigo Testamento, e desprezam na cara de pau (Romanos 13:1-7), (1 Pedro 2:13-17) e (Lucas 3:14) no Novo Testamento. Sobre o “prazer sexual” ser do “Cramulhão”, tanto o Livro de Provérbios quanto o Livro de Cantares (Cântico dos Cânticos) deixam bem claro que Deus é a favor da sexualidade e do sexo, mas dentro de sua vontade. Sobre falar palavrão (palavras torpes), o contexto de Efésios 4 não está falando especificamente de ofensas e insultos, mas, sim, sobre falar futilidades e coisas fúteis sem nexo e sem sentido, e, principalmente, sobre fazer fofoca. O próprio Jesus, os apóstolos e os profetas ofendiam e insultavam as pessoas as chamando de filhos de prostitutas e de outros xingamentos, portanto, seria incoerente o contexto de Efésios 4 estar se referindo somente a “xingamentos”. Os evangélicos precisam tomar vergonha na cara, e abandonarem essas “frases feitas”, e começarem a estudar a Bíblia, a Palavra de Deus.

OS “MONSTROS” CRIADOS PELA PRÓPRIA IGREJA (FEMINISMO E MILITÂNCIA):

O Feminismo e a Militância Gay são "monstros" criados pela própria Igreja. Geralmente, as feministas sofreram violência e abusos por parte de homens "machões" que só sabem ser "homens e machos" com os mais fracos. Geralmente, os gays sofreram abandono, violência, opressão e exclusão por parte da sociedade (principalmente, por parte da própria Igreja). Agora, esses “monstros” querem nos engolir, por culpa do desprezo e do ódio que vocês, "cristãos" sempre pregaram contra essas "minorias". Jesus ensinou que devemos ter compaixão pelos "pecadores" e não persegui-los em nome da "paz e do amor". A Igreja deveria amparar esses "grandes pecadores" e não desprezá-los e rejeitá-los. Esses "monstros" foram criados por vocês, agora, vocês terão que resolver esse problema. Deus é "amor e misericórdia" só quando é conveniente para vocês. Não se esqueçam que Deus também é IRA, SANTIDADE E JUSTIÇA!!! Jesus sempre abominou e teve aversão a religiosos legalistas, hipócritas, falsos e fanáticos como vocês, que vivem arrotando "santidade" se achando melhores e superiores do que os "pecadores". Vocês não passam de sepulcros caiados! Vocês são belos por fora, mas são podres e fedem a carniça por dentro. Vocês já estão mortos e não tem alma, só que ainda não sabem disso.


O ARGUMENTO DA OPRESSÃO (ASSÉDIO MORAL, VIOLÊNCIA FÍSICA E ABUSOS SEXUAIS):

Usar o argumento de que os filhos devem se submeter a humilhações, assédio moral e violência física por parte dos pais pelo simples fato de que os pais pagam as contas e sustentam a casa, é a mesma coisa que alegar que a mulher que apanha do marido e é traída por ele, deve se submeter a esse opressor, porque ele paga as contas e sustenta a casa. É o mesmo que dizer que as comunidades periféricas devem respeitar e defender os traficantes, porque esses bandidos ajudam o povo com cesta básica. É o mesmo que afirmar que devemos respeitar o doutor Paulo Maluf e os políticos corruptos do PT (Partido dos Trabalhadores) que porque eles fazem o "trabalho deles" não tem problema eles roubarem, porque eles roubam, mas fazem.

A PERSEGUIÇÃO FORJA VERDADEIROS CRENTES EM JESUS (OS MÁRTIRES DA FÉ):

"A perseguição forma os verdadeiros cristãos e a suprema liberdade permite que falsos cristãos e o falso evangelho se propaguem".

Durante a História do Cristianismo, os cristãos sempre tiveram as mesmas atitudes perante a liberdade suprema, atitudes de apostasia e de mediocridade. Infelizmente, a perseguição sempre foi a maior motivação para os cristãos viverem de acordo com a vontade de Deus. Quando a Igreja não é perseguida, os cristãos vivem na hipocrisia e na falsidade, mas quando tem perseguição, os verdadeiros cristãos se posicionam. A Igreja Evangélica brasileira carece de perseguição. A apostasia já alcançou um nível insuportável de legalismo e religiosidade.

BUSHIDO (CÓDIGO SAMURAI):

As principais virtudes do Bushido são Justiça (GI), Coragem (YUU), Compaixão (JIN), Respeito (REI), Sinceridade (MAKOTO), Honra (MEIYO) e Lealdade (CHUUGI). Essas são as verdadeiras características de um verdadeiro guerreiro (os mesmos princípios e valores éticos que a Bíblia, a Palavra de Deus, ensina). Todos nós, cristãos e homens de Deus, devemos seguir esses princípios. Os valores de um verdadeiro guerreiro devem estar em nossos corações. Sejamos íntegros. Sejamos honrados. Sejamos valentes e corajosos. A nossa missão e dever é defender e proteger o mais fraco. Morrer é fácil, mas para viver é preciso coragem.

A PRINCIPAL CARACTERÍSTICA DOS HERÓIS (O AMOR):

Todos nós queremos proteger algo, alguma coisa ou alguém que amamos. Sempre queremos proteger o que é importante e valioso para nós. O bom soldado, o verdadeiro guerreiro é aquele que luta porque está defendendo o que ama. O verdadeiro herói é aquele que protege os mais fracos, que respeita as mulheres e que olha com amor para o desamparado. O herói de verdade olha com compaixão para o mais fraco. A principal característica de um herói é o amor.

O AMIGO DOS PECADORES (O AMIGO DAS PROSTITUTAS):

Jesus olhava para os pecadores com compaixão. Cristo sempre olhou para os pecadores com amor. O AMIGO DAS PROSTITUTAS, O AMIGO DOS PECADORES. Jesus sempre andou com os pecadores com a intenção de salvá-los. Jesus sempre pregou o arrependimento, mas nunca deixou de olhar para os pecadores com amor. Cristo sempre andou com os excluídos e sempre respeitou as mulheres. O Jesus da Bíblia nunca deixou de olhar com compaixão para os perdidos.

A SATANIZAÇÃO DA SEXUALIDADE (HERESIA SATÂNICA E DEMONÍACA):

A satanização da sexualidade, ou seja, a demonização do sexo tem sido um grande problema na História da Igreja Cristã. A Bíblia, a Palavra de Deus, sempre defendeu o prazer sexual (dentro da vontade de Deus). O casamento é instituído por Deus para que os cristãos se satisfaçam sexualmente. Deus é o Criador do sexo, e não o Diabo. Deus é o autor do prazer sexual, e não Satanás. As Escrituras deixam bem claro que Deus apoia e aprova a prática sexual, claro, que no contexto do casamento.

A CORAGEM É FORJADA NA TORMENTA (AS VIRTUDES DE UM HERÓI):

A coragem é forjada na tormenta. No desespero que o meu caráter é forjado. Diante do terror da morte, a minha valentia é testada. Diante da maldade do ser humano, a minha bondade é provada. Usarei os meus punhos e as armas para proteger os indefesos. Usarei a minha inteligência a favor do Reino de Deus. Farei o bem a todos a quem de direito quando este poder estiver em minhas mãos. Tentarei mudar tudo aquilo que precisa ser mudado. Lutarei em prol dos outros. Entrarei na lista dos mais procurados do Diabo. Eu farei a diferença, eu serei a diferença.

O MEU TREINAMENTO (BÉLICO E INTELECTUAL):

Sempre desejei me tornar num grande guerreiro para poder defender o mais fraco. Aprendi a manusear armas de fogo (revólver calibre 38, pistola calibre 380 e espingarda calibre 12) para usá-las para o bem. Pratiquei artes marciais e pratico Boxe (Pugilismo) com a intenção de me tornar forte para poder proteger os indefesos. Eu me formei em História (historiador e professor) para usar todo esse conhecimento histórico a favor do Reino de Deus. Tornei-me num teólogo autodidata, porque amo a Bíblia, a Palavra de Deus. Tudo o que aprendi, quero usar em prol da justiça e para fazer o bem.

A “DESCULPA” DE QUE JESUS ESTÁ VOLTANDO (OMISSÃO NO MEIO EVANGÉLICO):

A construção ideológica mais usada por Satanás atualmente para ludibriar a Igreja é a construção ideológica de que "Jesus está voltando", e por causa disso os evangélicos cruzam os braços e não fazem nada, porque é o "fim dos tempos" e a "tendência é piorar mesmo". Bando de idiotas! O Diabo conseguiu o que sempre quis, que a Igreja de Cristo se tornasse omissa e conformada e que não fizesse nada para se opor aos seus planos maléficos. Jesus pode voltar hoje como daqui há mais 2.000 anos. Parem de dar ouvidos a esses crentes loucos e pirados que ficam marcando a data da volta de Jesus. Deixem de ser idiotas, e vão ler a Bíblia!!! Vão estudar Teologia, seus trouxas!!! Nós temos a obrigação e o dever de arregaçar as mangas para ajudar as pessoas que precisam de nossa ajuda. Devemos amparar os órfãos e as viúvas. É nossa missão lutar por aqueles que não podem lutar por si mesmos. Temos que proteger os indefesos. Não nos furtemos a fazer o bem, estando em nossas mãos o poder de fazê-lo. A OMISSÃO TAMBÉM É PECADO!!!

A OPINIÃO DO PROFETA DANIEL (ANTIGO TESTAMENTO):

“Falou Daniel e disse: Seja bendito o nome de Deus para todo o sempre, porque dele é a sabedoria e a força; ele muda os tempos e as horas; ele remove os reis e estabelece os reis; ele dá sabedoria aos sábios e ciência aos entendidos”. (Daniel 2:20-21)

O profeta Daniel foi bem claro quando afirmou que Deus remove os reis e estabelece os reis, ou seja, Deus levanta os reis e derruba os reis do poder como bem entende. Há outra parte do Livro de Daniel que também fala a esse respeito.

"Mas, quando o seu coração se tornou arrogante e endurecido por causa do orgulho, ele foi deposto de seu trono real e despojado da sua glória. Foi expulso do meio dos homens e sua mente ficou como a de um animal; ele passou a viver com os jumentos selvagens e a comer capim como os bois; e o seu corpo se molhava com o orvalho do céu, até reconhecer que o Deus Altíssimo domina sobre os reinos dos homens e coloca no poder a quem ele quer". (Daniel 5:20-21)

O profeta Daniel, que também era um governante a serviço de Deus, declarou várias vezes (isso está registrado no Livro que leva o seu nome) que Deus tem o domínio sobre os reinos dos homens e coloca no poder a quem Ele quer. Deus tem o total controle sobre os reinos da Terra, porque Ele é o verdadeiro Rei das Nações.

JESUS E AS AUTORIDADES DO SEU TEMPO:

“Jesus, aquele a quem em tudo devemos imitar, veio ao mundo em uma época difícil. O seu país estava sob o domínio do poderoso Império Romano e muitos dos direitos dos cidadãos do seu povo não eram respeitados. César era o soberano senhor de um vasto império e mantinha o poder com mão de ferro. Além disso, as autoridades religiosas do seu país haviam se corrompido a tal ponto que foi preciso Ele fazer uma "limpeza" no Templo expulsando os camelôs e os cambistas de lá.

Contudo, por pelo menos duas vezes, Jesus defrontou-se com momentos decisivos na área de submissão a autoridade. A primeira delas foi quando os cobradores do imposto do Templo confrontaram a Pedro perguntando se Jesus pagava ou não o imposto das duas dracmas (Mt 17:24-27). A segunda foi quando alguns espertalhões, que o queriam pegar em cilada, lhe perguntaram se era certo ou não pagar imposto a César (Mt 22:15-22; Mc 12:13-17; Lc 20:20-25).

Na primeira ocasião, Jesus disse a Pedro, que fosse ao mar e lançasse o anzol, pois no primeiro peixe que ele fisgasse teria uma moeda de valor suficiente para pagar o imposto de Jesus e o dele. Na segunda ocasião, a resposta d’Ele foi: "Dai, pois, a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus". Ou seja, ao filho de Deus é certo pagar imposto ao Estado. Mas a autoridade do Estado não é ilimitada, acima dele está Deus. O Deus que a tudo vê e conhece o coração de todos os homens. Até mesmo o de César! A César o imposto; a Deus, e somente a Ele, a adoração.

Atentar para o verbo grego usado por Jesus, nos ajudará a entender a força e o sentido do Mandamento do Senhor. Ele usou o verbo apodote (de apodidomi - que significa: dar o que é devido; devolver; pagar de volta; entregar) em lugar de dounai (de didomi - que significa simplesmente dar). Os três evangelistas usaram a mesma palavra, significando assim que temos uma obrigação tributária para com o Estado.

Quando caiu nas mãos das autoridades judaicas que o entregaram para as autoridades romanas, Jesus, não questionou o seu poder, aliás, o seu abuso de poder. Por que Ele não fez isso? Creio que a sua resposta a Pilatos nos ajuda a entender a sua atitude aparentemente apática. Pilatos lhe disse que tinha autoridade para matá-lo ou para livrá-lo da morte. Então, Jesus lhe disse: "Nenhuma autoridade terias sobre mim, se de cima não te fosse dada" (Mt 22:37). Ou seja, Jesus sabia que acima de Pilatos, acima do Império Romano estava aquele que tem o controle total da situação, Deus. Pilatos estava no poder porque Deus, por mais contraditório que pareça, o havia colocado ali.

Assim, sendo, podemos notar que até mesmo aquele que tem todo o poder do Universo, o Senhor Jesus, quando se fez homem respeitou e obedeceu a lei dos homens.” (Jabesmar A. Guimarães)


OS AGENTES DO ESTADO (INSTRUMENTOS DA JUSTIÇA DE DEUS):

“Todos devem sujeitar-se às autoridades governamentais, pois não há autoridade que não venha de Deus; as autoridades que existem foram por ele estabelecidas. Portanto, aquele que se rebela contra a autoridade está se colocando contra o que Deus instituiu, e aqueles que assim procedem trazem condenação sobre si mesmos. Pois os governantes não devem ser temidos, a não ser pelos que praticam o mal. Você quer viver livre do medo da autoridade? Pratique o bem, e ela o enaltecerá. Pois é serva de Deus para o seu bem. Mas se você praticar o mal, tenha medo, pois ela não porta a espada sem motivo. É serva de Deus, agente da justiça para punir quem pratica o mal. Portanto, é necessário que sejamos submissos às autoridades, não apenas por causa da possibilidade de uma punição, mas também por questão de consciência. É por isso também que vocês pagam imposto, pois as autoridades estão a serviço de Deus, sempre dedicadas a esse trabalho. Dêem a cada um o que lhe é devido: se imposto, imposto; se tributo, tributo; se temor, temor; se honra, honra”. (Romanos 13:1-7)

No Novo Testamento (Nova Aliança), o apóstolo Paulo ensinou, claramente, que as autoridades governamentais são estabelecidas por Deus (colocadas por Deus no poder) para punir os maus e louvar os bons. A função e o dever das autoridades legalmente constituídas é reprimir o mal e louvar o bem. O Estado tem o poder da espada para punir criminosos e malfeitores dentro de sua jurisdição, e também para defender a sua nação de invasores externos (homens maus) que ameacem a segurança de seu país. Paulo pregou, claramente, que os agentes do Estado (magistrados, governantes e soldados) são ministros de Deus, ou seja, estão a serviço de Deus para castigar os malfeitores e para proteger os cidadãos de bem. Deus não apenas permitiu as autoridades governamentais, mas as instituiu (colocou no poder) para fazer justiça. As autoridades legalmente constituídas são instituídas por Deus para reprimir o mal, ou seja, os magistrados, soldados e policiais são instrumentos da justiça de Deus. O sentido bíblico de liderança é “servir e proteger”. O governante deve servir ao seu povo. Os soldados e magistrados devem proteger os cidadãos de bem e reprimir o crime. A palavra usada para espada é “Machaira”, que é um símbolo da pena capital (espada que era usada para combater nas guerras e para executar criminosos perigosos). Paulo não só legitimava o uso da força bruta (combate físico), mas também o uso de armas letais (matar os malfeitores). 

“Por causa do Senhor, sujeitem-se a toda autoridade constituída entre os homens; seja ao rei, como autoridade suprema, seja aos governantes, como por ele enviados para punir os que praticam o mal e honrar os que praticam o bem. Pois é da vontade de Deus que, praticando o bem, vocês silenciem a ignorância dos insensatos. Vivam como pessoas livres, mas não usem a liberdade como desculpa para fazer o mal; vivam como servos de Deus. Tratem a todos com o devido respeito: amem os irmãos, temam a Deus e honrem o rei”. (1 Pedro 2:13-17)

O apóstolo Pedro era a favor da lei e da ordem, assim, como o apóstolo Paulo, pois até ele reconhecia que era necessário que os agentes do Estado (ministros de Deus) usassem a força bruta (castigos físicos) para castigar os criminosos. Além de Paulo, Pedro também defendia o uso da força (combate bélico) por parte do Estado para se fazer justiça. Os apóstolos, Pedro e Paulo, reconheciam que as autoridades governamentais são estabelecidas por Deus para o bem-estar da sociedade.

“Então, alguns soldados lhe perguntaram: E nós, o que devemos fazer? Ele respondeu: Não pratiquem extorsão, nem acusem ninguém falsamente, e contentem-se com o seu salário”. (Lucas 3:14)

O grande e poderoso profeta, João Batista, quando batizou alguns soldados, ele não lhes condenou por serem combatentes, pelo contrário, esse grande e extraordinário profeta lhes aconselhou a serem militares, portanto, que exercessem a sua função (o seu trabalho) com honestidade e integridade. João Batista foi o maior de todos os profetas e o homem mais justo que existiu sobre a Terra (além de Jesus, obviamente).

“Estas são as minhas instruções: Ore, faça súplicas, pedidos e dê graças por todos os homens. Ore dessa forma pelos reis e por todos os outros que exercem autoridade sobre nós ou que ocupam cargos de alta responsabilidade, a fim de que possamos viver em paz e tranqüilidade, passando o nosso tempo vivendo piedosa e dignamente. Isto é bom e agradável a Deus, nosso Salvador. Pois ele deseja que todos sejam salvos e compreendam esta verdade”: (1 Timóteo 2:1-4)

O apóstolo Paulo ensinou os cristãos a intercederem em favor dos homens investidos de autoridade (governantes, magistrados e soldados), porque é da vontade de Deus que as autoridades sejam salvas e conheçam a Verdade. Paulo, em outra parte da Bíblia, também ensinou que os cristãos devem estar dispostos a auxiliar as autoridades em tudo o que for preciso e necessário.

REFUTANDO O PACIFISMO (HERESIA DIABÓLICA):

“No demais, irmãos meus, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder. Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do Diabo; porque não temos que lutar contra carne e sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais. Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes”. (Efésios 6:10-13)

A luta da Igreja é a Guerra Espiritual (Efésios 6) e a luta do Estado é a Guerra Física (Romanos 13). O Estado não pode ter uma igreja; e a Igreja não pode ter uma milícia. Paulo não era pacifista, pois ele é o autor de ambas as Cartas. Paulo defendia tanto o combate físico quanto o combate espiritual. O autor de Efésios 6 é também o autor de Romanos 13. Seria muito incoerente Paulo pregar o Pacifismo em Efésios 6 e depois pregar a Guerra Justa e a punição de criminosos em Romanos 13. Existem duas guerras que os cristãos devem lutar, a Guerra Física e a Guerra Espiritual. O Estado, que tem o poder da espada (Machaira), só deve se engajar na luta física. A Igreja (instituição religiosa) só deve se engajar na luta espiritual. Satanás, o Diabo, também atua usando os bandidos e os terroristas para fazer o mal. Paulo nunca pregou o Pacifismo, ou seja, a omissão diante do mal, mas apenas ensinou que a luta da Igreja é a Batalha Espiritual (Efésios 6), mas isso não invalida a luta do Estado, a Batalha Física (Romanos 13). Tanto os guerreiros da Igreja quanto os guerreiros do Estado são ministros de Deus.

“Porque, andando na carne, não militamos segundo a carne. Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas, sim, poderosas em Deus, para destruição das fortalezas;”. (2 Coríntios 10:3-4)

Esse trecho da Bíblia é muito deturpado pelos “cristãos” pacifistas, pois o verdadeiro contexto não se refere às armas bélicas (serviço militar), mas, sim, a capacidade humana e as vãs filosofias (conhecimento humano). Os cristãos, servos de Deus, para poderem combater os Anjos do Inferno e as heresias dos falsos profetas precisam das armas espirituais dadas por Deus, pois eles são incapazes de vencer Satanás e os seus demônios sozinhos. Para se combater os falsos ensinos e as heresias, os cristãos, precisam da sabedoria vinda de Deus e do poder de sua Palavra (a Bíblia). Em nenhum momento, Paulo, está pregando a omissão diante do mal. O Estado tem o poder da espada (Machaira) para reprimir os bandidos, terroristas e malfeitores. Assim, como a Igreja não pode ter uma milícia, o Estado não pode ter uma igreja. Cada ministro de Deus deve exercer a sua função, seja como guerreiro físico ou como guerreiro espiritual.

“Ouvistes que foi dito: Olho por olho e dente por dente. Eu, porém, vos digo que não resistais ao mal; mas, se qualquer te bater na face direita, oferece-lhe também a outra;”. (Mateus 5:38-39)

Sobre se te baterem na "face direita" ter que oferecer a outra, isso é simbólico. Tanto arrancar o "olho direito" quanto cortar a "mão direita" também é simbólico. É óbvio que tudo isso é uma simbologia (Alegorismo). Jesus não está mandando ninguém ser saco de pancadas, mas apenas ensinou que a vingança é errada, mas em nenhum momento Ele condenou a legítima defesa ou a defesa pessoal. Para se bater na “face direita” é preciso bater com as “costas da mão”, se o agressor for destro (que é o mais comum). Esse tipo de agressão é conhecido como “tapa cortês”, ou seja, está se referindo a humilhação moral e não a agressão física. Esse trecho da Bíblia é muito deturpado para poder pregar à apatia e a omissão diante do mal. A obrigação dos fortes é defender os fracos e proteger os indefesos. Não é pecado se defender de agressões injustas e nem proteger as pessoas que ama.

“Então, Jesus lhe disse: Embainha a tua espada; pois todos os que lançam mão da espada, à espada perecerão”. (Mateus 26:52)

Quando Pedro cortou a "orelha direita" de Malco, Jesus não mandou Pedro jogar a espada fora, mas apenas para guardar a espada (Machaira). O próprio Jesus Cristo ordenou a Pedro comprar aquela espada (arma usada para matar mesmo). Se alguém viver atacando os outros acabará sendo atacado. Viver pela espada é viver praticando a violência por ser violento, e não se defender de agressões injustas. O apóstolo tentou impedir que a profecia sobre Jesus se cumprisse, por isso, houve essa repreensão de Cristo sobre o mau uso da espada (Jesus nunca condenou a defesa legítima e a correta justiça). A profecia não era para que Pedro salva-se Jesus; não era essa a profecia. O apóstolo Paulo ensinou que Deus estabeleceu o governo e de que o Estado tem o poder da espada (Machaira) para punir os malfeitores (algo concedido e autorizado por Deus).

“E saberá toda esta congregação que o Senhor salva, não com espada, nem com lança; porque do Senhor é a guerra, e ele vos entregará na nossa mão”. (Samuel 17:47)

Quando Davi afirmou que do Senhor é a guerra, ou seja, de que a batalha pertence ao Senhor, ele quis dizer que nós, guerreiros de Deus, seguidores de Cristo, devemos confiar no Deus de Israel e não em nossa própria força ou em armas bélicas. Entretanto, em nenhum momento, Davi hesitou lutar contra Golias por causa disso, porque ele confiava no Senhor dos Exércitos.

DEUS NUNCA CONDENOU JURAMENTOS MILITARES (O QUE A BÍBLIA ENSINA DE FATO SOBRE ISSO):

Sobre os juramentos (como o Juramento à Bandeira), Jesus Cristo não condenou totalmente os juramentos. O que Jesus condenou foi o juramento de homens que não têm palavra (pessoas mentirosas), e que precisam se garantir em juramentos para os outros acreditarem que eles estão falando a verdade. Algumas Confissões de Fé protestantes explicam bem sobre isso. Não há problema algum em fazer juramentos honrados em nome da paz, da justiça e do amor. Além dos militares, os médicos também fazem juramentos. O casamento também é um juramento de lealdade ao seu cônjuge.

O VERDADEIRO CONTEXTO DO SEXTO MANDAMENTO “NÃO MATARÁS” (NÃO ASSASSINARÁS):

O Mandamento “Não Matarás” em sua tradução correta é “Não Assassinarás”. Isso não implica em matar para se defender (legítima defesa) e a matar na guerra (soldados cumprindo com o seu dever). O Sexto Mandamento sempre se referiu ao assassinato criminoso e não a matar quando realmente há necessidade. O verbo hebraico “ratsach” usado nesse Mandamento no Antigo Testamento, e o verbo grego “foneuo” usado nesse Mandamento no Novo Testamento, sempre são usados para se referir ao assassinato criminoso, e nunca a legítima defesa e a pena capital (Machaira). Tanto o verbo hebraico “ratsach” quanto o verbo grego “foneuo” se referem ao homicídio ilícito. Portanto, matar para se defender ou para proteger alguém não é pecado. O Sexto Mandamento “Lo Tirsah” em hebraico e “Ou Foneuseis” em grego se refere ao assassinato e não a matar por uma causa justa. A violência deve ser usada enquanto uma contingência (para defesa própria ou para proteger os outros) e não como objetivo. Seria uma grande incoerência Deus mandar os hebreus matarem nas guerras sendo que Ele mesmo disse “Não Matarás” (Não Assassinarás), se no Sexto Mandamento Deus não se referisse somente ao homicídio criminoso (Deus não é bipolar). O guerreiro que não respeita a lâmina de sua espada (lâmina cortante, arma de fogo ou Bíblia) não é digno de sua espada. As armas do cristão só devem ser disparadas em nome da justiça. Não justiça para si mesmo, mas justiça para aqueles a quem o cristão jurou proteger. O cristão não deve usar a sua arma (Machaira) por motivos ou razões pessoais, mas apenas para promover a justiça e a paz. Matar sem nenhum fundamento moral não é nada além de assassinato. Matar por uma causa justa é apenas justiça. Portanto, o cristão só deve usar os seus punhos e suas armas em prol da justiça (para defesa própria e proteção dos outros).

A VERDADE SOBRE O ENSINAMENTO “OLHO POR OLHO E DENTE POR DENTE” (O QUE A BÍBLIA REALMENTE ENSINA):

As pessoas tem uma “visão” distorcida sobre o ensinamento “olho por olho e dente por dente”. Em primeiro lugar, esse ensinamento nunca foi sobre ódio e vingança. O verdadeiro ensinamento sobre “olho por olho e dente por dente” nunca foi um incentivo a vingança, ao ódio ou a retaliação, mas, pelo contrário, era justamente para que os criminosos (bandidos e malfeitores) fossem punidos de uma forma justa, e não de uma maneira exagerada. Em segundo lugar, o próprio Moisés ensinou que devemos amar os nossos inimigos e que a vingança pertence a Deus. Há diferença entre vingança e justiça. Em terceiro lugar, os criminosos, bandidos, corruptos e malfeitores devem mesmo ser punidos severamente, mas dentro da legalidade (dentro da lei). A vingança pertence a Deus e a justiça deve ser aplicada somente pelas autoridades legalmente constituídas (Romanos 13:1-7) e (1 Pedro 2:13-17).

O CRISTÃO PODE SER SOLDADO OU POLICIAL?

O cristão pode ser soldado ou policial? Paulo, Pedro e João batista deixam bem claro as suas opiniões sobre o serviço militar e o combate em (Romanos 13:1-7), (1 Pedro 2:13-17) e (Lucas 3:14). As autoridades governamentais (inclusive, as forças de repressão ao crime) são estabelecidas e instituídas por Deus. Os soldados e policiais são ministros de Deus para castigar e punir os malfeitores (bandidos, corruptos e terroristas). A Bíblia, a Palavra de Deus, nunca condenou o combate, tampouco proibiu os cristãos de exercerem algum cargo público ou militar. Tanto o Antigo Testamento quanto o Novo Testamento sempre defenderam o direito que os inocentes têm de se defenderem ou de serem protegidos por alguém. O Sexto Mandamento sempre se referiu ao assassinato criminoso e não a legítima defesa ou a Guerra Justa. Se você quer ser pacifista, o problema é seu, mas não ouse colocar palavras na boca de Deus que Deus nunca disse, e nem inventar coisas na Bíblia que a Bíblia nunca ensinou.

O CRISTÃO PODE PRATICAR ARTES MARCIAIS?

O cristão pode praticar artes marciais? Portanto, que o cristão use a luta como esporte ou como defesa pessoal e se abstenha da idolatria, ele, pode, sim. A violência deve ser usada enquanto uma contingência e não como objetivo. O cristão deve ser forte e habilidoso para poder se proteger e defender o mais fraco. O cristão não deve reverenciar quadros e estátuas e somente deve usar os seus punhos e as armas em prol da justiça, ou seja, para combater o mal e proteger os indefesos. Lute em prol da justiça! Lute em prol dos outros! Proteja os fracos e os indefesos. Seja um protetor. Seja um defensor. Seja um herói.

AS TRÊS REGRAS BÁSICAS DE SEGURANÇA (O CORRETO MANUSEIO COM AS ARMAS DE FOGO):

As três regras básicas de segurança para o correto manuseio com armas de fogo são estas. Primeiro, o atirador sempre deve deixar o dedo fora do gatilho para evitar que o gatilho seja acionado por acidente e ferir algum inocente. Só se deve colocar o dedo no gatilho quando você estiver preparado para disparar. Segundo, o atirador deve tratar toda arma como se esta arma estivesse carregada, portanto, sempre verifique (verifique sempre) se a arma está carregada ou não. Terceiro, nunca aponte o cano da arma para ninguém (a não ser que seja para um bandido ou um terrorista), para evitar acertar algum disparo acidental em alguma pessoa inocente. Sempre, aponte o cano da arma para algum local seguro e nunca mire em algo que você não tenha a intenção de destruir.

O BÁSICO DA ESTRATÉGIA MILITAR:

Você sempre deve conhecer o terreno do seu inimigo. Procure explorar as fraquezas de seu adversário. Procure destruir a economia (riquezas) de seus adversários (o dinheiro, a renda de organizações criminosas ou de exércitos inimigos). A ira entorpece a sua espada, portanto, nunca ataque com raiva (tenha técnica). Seja estratégico. Seja tático. A coragem é forjada no campo de batalha. Adquirindo experiência nas pelejas, você melhora os seus reflexos e aguça os seus sentidos. Os cangaceiros tinham vantagem sobre os policiais e soldados, porque conheciam a caatinga. Os vietnamitas tinham vantagem sobre os militares norte-americanos, porque conheciam a sua terra natal como ninguém. Os soldados norte-americanos somente conseguiram derrotar o Talibã, porque tiveram a ajuda dos combatentes da Aliança do Norte (que conheciam a região e o território). O básico da estratégia militar é sempre eliminar os líderes primeiro para que os seus subordinados fiquem confusos e comecem a disputar pelo poder. Cortar a luz elétrica e as linhas telefônicas para que os seus inimigos fiquem sem comunicação e desorientados na escuridão. Antecipe os passos de seu inimigo. Coloque-se em seu lugar para pensar exatamente como ele, porque assim você saberá qual será o seu próximo ataque. Cerque seus inimigos, destrua as suas plantações e os privem de água e de alimento, assim, você terá mais probabilidade de derrotá-los. O opressor só respeita a força que é maior do que a dele. Os violentos só conhecem a linguagem da violência. Negociar e argumentar com estupradores, torturadores e assassinos cruéis é perda de tempo, porque eles nem se darão ao trabalho de te ouvir. A resposta tem que ser rápida. O disparo tem que ser certeiro. Tenha foco de tiro. Use o fator surpresa, pois assim você surpreenderá o seu inimigo. Nunca implore por sua vida ou por misericórdia, pois isso apenas aumentará a sensação de poder e atiçará o sadismo dos malfeitores. Você escolhe se quer ser vítima ou inimigo dos bandidos. Você escolhe se quer ser vítima ou inimigo dos opressores. Você escolhe se quer ser vítima ou inimigo dos malfeitores. Você escolhe se quer ser apenas uma vítima indefesa ou um inimigo a altura.

CONCLUSÃO:

“Quando os jovens tentarem ser como você. Quando os preguiçosos se incomodarem com você. Quando os poderosos olharem por cima dos ombros para você. Quando os covardes tramarem nas suas costas. Quando os corruptos desejarem que você desapareça e os bandidos desejarem você morto; somente aí, você terá feito a sua parte”. (Phil Messina)

A vontade de Deus, o Altíssimo, sempre foi que os mais fortes protegessem os mais fracos. Yahweh, o Eterno, sempre foi a favor da verdadeira paz e da promoção da justiça. Deus estabeleceu as autoridades governamentais para que os magistrados e soldados castiguem os malfeitores severamente e protejam os cidadãos de bem. Os soldados e policiais devem proteger os inocentes. A luta da Igreja é a Guerra Espiritual, mas a luta do Estado é a Guerra Física, porque essa guerra também não deve ser ignorada e nem desprezada. Tanto a Guerra Física quanto a Guerra Espiritual devem ser travadas com coragem e valentia. Essa é a Guerra Santa entre o bem e o mal.


AUTOR: Filipe Levi Viasoni da Silva, historiador e professor de História.


segunda-feira, 17 de junho de 2019

OS "CHAVÕES" EVANGÉLICOS


"Existem duas construções ideológicas construídas por Satanás que tem dominado as igrejas evangélicas (principalmente, as pentecostais e neo pentecostais). As construções ideológicas do "Não julgueis" e a do "Não toqueis no ungido do Senhor". Qualquer pessoa que tenha um pouco de interesse em estudar a Bíblia seriamente (e que não seja desprovida de inteligência), perceberá que esses dois ensinamentos são diabólicos, satânicos, demoníacos e luciferianos, porque não tem base bíblica nenhuma. Interessante é que o próprio Jesus Cristo, os profetas e os apóstolos julgavam. Mas, aí, as bestas dos evangélicos afirmam que Jesus podia, porque Ele era Jesus. Interessante é que eu posso seguir Jesus em tudo e tenho que ser igual a Jesus, menos nisso. E os profetas e os apóstolos? Eram só eles que podiam também? Os Pais da Igreja e os Reformadores podiam também, e, só nós, cristãos da atualidade, é que não podemos? Eles pegam essa frase de Jesus fora de contexto (não se dão nem ao trabalho de pegar o versículo inteiro para deturpar o que Jesus ensinou) para pregar essa asneira do "Não julgueis" para poderem legitimar a impunidade e a omissão diante da opressão. Sobre a heresia diabólica do "Não toqueis no ungido do Senhor", eles usam versículos fora de seu verdadeiro contexto e o único exemplo de personagem bíblico que eles usam para defender essa asneira é o rei Saul (que grande exemplo!). Um cara que consultou os mortos, que assassinou profetas de Deus, que vivia desrespeitando a Deus e aos seus Mandamentos constantemente e que ainda se suicidou no final. Por favor, vão ler a Bíblia e estudar Teologia, seus tolos". (Filipe Levi)

A "DESCULPA" DE QUE JESUS ESTÁ VOLTANDO


A construção ideológica mais usada por Satanás atualmente para ludibriar a Igreja é a construção ideológica de que "Jesus está voltando", e por causa disso os evangélicos cruzam os braços e não fazem nada, porque é o "fim dos tempos" e a "tendência é piorar mesmo". Bando de idiotas! O Diabo conseguiu o que sempre quis, que a Igreja de Cristo se tornasse omissa e conformada e que não fizesse nada para se opor aos seus planos maléficos. Jesus pode voltar hoje como daqui há mais 2.000 anos. Parem de dar ouvidos a esses crentes loucos e pirados que ficam marcando a data da volta de Jesus. Deixem de ser idiotas, e vão ler a Bíblia!!! Vão estudar Teologia, seus trouxas!!! Nós temos a obrigação e o dever de arregaçar as mangas para ajudar as pessoas que precisam de nossa ajuda. Devemos amparar os órfãos e as viúvas. É nossa missão lutar por aqueles que não podem lutar por si mesmos. Temos que proteger os indefesos. Não nos furtemos a fazer o bem, estando em nossas mãos o poder de fazê-lo. A OMISSÃO TAMBÉM É PECADO!!! (Filipe Levi)

A SÍNDROME DE LÚCIFER


"Muitos evangélicos sofrem da famosa "Síndrome de Lúcifer". Eles são soberbos, arrogantes, mentirosos, caluniadores, difamadores, semeadores de contendas, se fazem de "anjos de luz" dentro da Igreja, e ainda querem ocupar o lugar de Deus. Esses são os malditos fariseus! Raça de víboras e filhos do Diabo! Serpentes venenosas que espalham o seu veneno pelas igrejas. Cães e porcos que só pensam em puxar o tapete do próximo em Nome de Deus. Eles oprimem os fracos e indefesos em Nome de Deus, e estufam o peito arrotando santidade. Se acham superiores e melhores do que os outros. Esses crentes pisam e humilham pessoas inocentes que não têm como se defender deles. Eles usam o nome de Deus para extorquir e explorar e ainda posam de santos nas igrejas. No domingo na Igreja são santos, mas durante a semana fora da Igreja são uns verdadeiros animais. Se esquecem de Deus com uma facilidade que é incrível! Só se lembram de Deus quando é para usar o seu Santo Nome para oprimir os outros, botando o dedo na cara das pessoas para acusá-las muitas vezes de coisas que elas não são e nem sequer fizeram. Eles são corruptos e traiçoeiros. São opressores e extremamente covardes. Só são valentes para oprimir os mais fracos e só respeitam a força que é maior do que a deles. Esses são os malditos religiosos tapados e legalistas que têm todas as características do Diabo, e nenhuma de Jesus. Cristo está mais próximo das prostitutas que sabem que são pecadoras do que desses religiosos que pensam que são santos. Esses são os evangélicos que sofrem da Síndrome de Lúcifer". (Filipe Levi)

É PECADO HOMEM GOSTAR DE MULHER BONITA?


"Enganosa é a beleza e vã a formosura, mas a mulher que teme ao Senhor, essa sim será louvada."
(Provérbios 31:30)

Muitos cristãos distorcem o contexto desse versículo para pregar que homem gostar de mulher bonita é pecado, mas isso não é verdade. O verdadeiro contexto desse versículo conta que não adianta a mulher só ser bela e formosa e não ter caráter e não ser temente a Deus. Em várias partes da Bíblia, a beleza das mulheres é elogiada e exaltada. A Bíblia nunca pregou que homem gostar de mulher bonita é do Diabo, porque não é esse o contexto desse versículo. (Filipe Levi)

É PECADO CONFIAR NAS PESSOAS?


"Assim diz o Senhor: Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do Senhor!" (Jeremias 17:5)

O verdadeiro contexto desse versículo não se refere a não confiar nas outras pessoas, mas se refere ao homem que confia na sua própria força e em si mesmo. Não tem nada a ver com desconfiar das outras pessoas, mas, sim, se refere ao homem que deposita a sua confiança em sua própria força e não em Deus. (Filipe Levi) 

AS “FRASES FEITAS” DOS CRENTES (AS FRASES DE EFEITO RUIM DOS EVANGÉLICOS):


AS “FRASES FEITAS” DOS CRENTES (AS FRASES DE EFEITO RUIM DOS EVANGÉLICOS):

O impressionante dos "cristãos" são os seus famosos "bordões", "chavões", “jargões” e "frases clichês", ou seja, as suas "frases feitas" de sempre. Como, por exemplo, o famoso bordão "Não Julgueis", que "tatuagem" é do Diabo, que "as autoridades governamentais são estabelecidas pelo Satanás", que "prazer sexual" é do Lúcifer, e que crente não pode falar "palavrão". Sobre o "Não Julgueis", em nenhum momento Jesus pregou a omissão e o conformismo nesse contexto, mas apenas criticou a hipocrisia dos "fariseus" que adoravam apontar o seu "dedo imundo" para os outros sem ter moral para isso, sendo que eles faziam coisa pior do que as pessoas que eles criticavam. O próprio Jesus, os apóstolos e os profetas da Bíblia julgavam os homens maus e criticavam as injustiças. Sobre a tatuagem (Levítico 19:28), o contexto desse versículo nem sequer está falando sobre tatuagem, mas, sim, sobre um costume "pagão" em que as pessoas se automutilavam em homenagem aos seus entes queridos mortos. Conheço pessoas que usam tatuagem que tem muito mais integridade e caráter do que muitos religiosos hipócritas que vivem “arrotando santidade”. Sobre as autoridades governamentais serem estabelecidas pelo "Capiroto", esses "pacifistas hipócritas" adoram satanizar o serviço militar e a política, ignorando descaradamente o Livro de Daniel (Daniel 2:20-21) e (Daniel 5:20-21) no Antigo Testamento, e desprezam na cara de pau (Romanos 13:1-7), (1 Pedro 2:13-17) e (Lucas 3:14) no Novo Testamento. Sobre o “prazer sexual” ser do “Cramulhão”, tanto o Livro de Provérbios quanto o Livro de Cantares (Cântico dos Cânticos) deixam bem claro que Deus é a favor da sexualidade e do sexo, mas dentro de sua vontade. Sobre falar palavrão (palavras torpes), o contexto de Efésios 4 não está falando especificamente de ofensas e insultos, mas, sim, sobre falar futilidades e coisas fúteis sem nexo e sem sentido, e, principalmente, sobre fazer fofoca. O próprio Jesus, os apóstolos e os profetas ofendiam e insultavam as pessoas as chamando de filhos de prostitutas e de outros xingamentos, portanto, seria incoerente o contexto de Efésios 4 estar se referindo somente a “xingamentos”. Os evangélicos precisam tomar vergonha na cara, e abandonarem essas “frases feitas”, e começarem a estudar a Bíblia, a Palavra de Deus. (Filipe Levi)