sábado, 27 de agosto de 2011

O JUSTO JUIZ


Durante muito tempo, eu duvidei da justiça divina, porque eu sempre presenciei os malfeitores (principalmente evangélicos) prevalecerem. Eu conheço cristãos verdadeiros que morreriam por Cristo, e também conheço ex-bandidos que se converteram e hoje são bênçãos nas vidas das pessoas; mas, o que eu não me conformo é ver religiosos hipócritas e marginais que não se arrependem permanecerem na maldade oprimindo os inocentes. No passado, eu desejei ser justiceiro, ou seja, pensei seriamente em entrar num grupo de extermínio; mas, graças a Deus, o Altíssimo mudou o meu coração e me ensinou que a justiça deve ser aplicada por Ele ou pelas autoridades legalmente constituídas. Linchamentos, vinganças e assassinatos não agradam a Deus. Os únicos que têm o direito de aplicar a justiça nos malfeitores são o próprio Deus e as autoridades (dentro da lei), porque os agentes do Estado são ministros de Deus para castigarem os criminosos de uma forma legalista e justa.

“Certamente requererei o vosso sangue, o sangue da vossa vida; de todo animal o requererei, como também da mão do homem, sim, da mão do próximo de cada um requererei a vida do homem. Se alguém derramar o sangue do homem, pelo homem se derramará o seu; porque Deus fez o homem segundo a sua imagem”. (Gênesis 9:5-6)

Depois do Dilúvio, Deus instituiu a pena de morte para que todos os assassinos paguem com as suas próprias vidas por seus assassinatos. O Deus do Antigo Testamento é o mesmo do Novo Testamento, isto é, Ele ainda tem o mesmo padrão de justiça e os mesmos princípios. Deus castiga pessoalmente os malfeitores, mas Ele também instituiu o Estado para fazer justiça nesse mundo decaído pelo pecado. Muitas vezes parece que a impunidade reina na Terra, mas quando as autoridades governamentais não cumprem com as suas obrigações, o Deus judaico-cristão se encarrega de punir os culpados. Deus é justo. Durante todos os anos de minha existência, eu presenciei o mal prevalecer, mas também vi muitos malfeitores se ferrarem no final. Eu pretendo contar sobre as histórias de alguns vilões que tiveram fins trágicos.

Herodes Antipas, filho de Herodes, o Grande, mandou matar João Batista e Tiago, e mandou encarcerar Pedro. Herodes Antipas era tetrarca da Galiléia, e foi um homem cruel e adúltero. O seu fim foi horrível, pois ele foi ferido por um anjo e os vermes o devoraram vivo. Esse foi o triste fim de Herodes Antipas.

Pôncio Pilatos era governador da Judéia e foi o responsável pela crucificação de Jesus Cristo. Pilatos perdeu o poder que tinha e foi abandonado pela sua esposa. Pilatos não agüentou a pressão e se suicidou. Esse foi o fim trágico de Pôncio Pilatos.

Nero, o imperador de Roma, foi muito cruel com os cristãos. Esse psicopata costumava mandar crucificar cristãos vivos e depois botar fogo neles para que eles iluminassem Roma durante a noite. Esse sádico também costumava jogar escravos vivos dentro de um poço cheio de moréias famintas. Esse assassino insano também matou a própria mãe. Nero acabou perdendo o seu trono, pois a própria Guarda Pretoriana se rebelou contra o imperador; e Nero foi cercado e se suicidou. Nero teve o fim que mereceu.

Vlad Tepes era um mestre da guerra que se divertia empalando mulheres e crianças. Vlad, o Empalador, também era conhecido como Drácula. O príncipe da Romênia era tão sádico e impiedoso que é provável, que os seus próprios soldados o mataram e encravaram a sua cabeça em uma estaca de madeira. Esse monstro colheu o que plantou.

Adolf Hitler, o chanceler da Alemanha, foi o responsável pela Segunda Guerra Mundial. Adolf Hitler provocou a morte de seis milhões de judeus. Esse genocida louco pretendia exterminar as supostas “raças inferiores” (principalmente os judeus e negros) e queria dominar o mundo. O mais legal da derrota de Adolf Hitler é que o seu exército formado por homens da “raça pura” foi derrotado pelas supostas “raças inferiores”. Adolf Hitler perdeu a guerra, e matou a sua própria esposa e se suicidou em seguida. O Nazismo foi vencido e Adolf Hitler pagará por toda a eternidade por todos os seus crimes cometidos contra a humanidade.

Eu contei sobre o fim de alguns vilões famosos, mas quero destacar que os bandidos comuns também costumam morrer de formas trágicas. Uma coisa eu aprendi na vida, que o destino de todos os bandidos é a cadeia ou o necrotério. Pode até parecer que a impunidade prevalece, mas Deus é justo, e tem o controle da situação. Deus vinga os inocentes.

Nenhum comentário: