terça-feira, 30 de agosto de 2011

SAUDADES DA GLORIOSA


Nos últimos anos, tenho sofrido muito por causa da ausência da Rede Manchete. Infelizmente, eu não cheguei a conhecer a TV Tupi e a Rede Excelsior, mas louvo a Deus por ter conhecido a Rede Manchete. Não quero mais ficar remoendo as coisas ruins que aconteceram na minha infância, no entanto, quero destacar que foi a televisão que me trouxe alegria nos meus momentos de tristeza. Quando eu era criança, a televisão era mágica; pois os desenhos de minha época foram os melhores. Os animes “Saint Seiya” e “Yu Yu Hakusho” foram desenhos que marcaram muito a minha infância. As séries japonesas que passavam na Rede Manchete, como, por exemplo, Jiraya, Jaspion, Winspector, Solbrain, Cybercops e Kamen Rider Black RX me fizeram muito feliz. O Jiraya era o meu herói, porque eu o admirava demais e queria ser igual a ele. Eu delirava assistindo “Os Cavaleiros do Zodíaco” (também conhecido como Saint Seiya), pois eu torcia pelos cavaleiros de bronze para eles vencerem os vilões maléficos que ameaçavam a Terra. Este texto é apenas um desabafo. Eu sei que posso ser até chato em escrever geralmente sobre os mesmos assuntos, mas escrevo sobre as coisas que são realmente importantes para mim. Neste texto, eu pretendo mostrar a minha devoção pela saudosa Rede Manchete, a emissora de televisão que transformou a minha tristeza em alegria, quando eu sofria na infância.

Sempre quando eu voltava da escola já ia direto para a televisão assistir os animes e as séries japonesas que passavam na gloriosa Rede Manchete. Eu ria e chorava vendo a Rede Manchete. Eu me emocionava ao extremo assistindo as suas programações. Bons tempos eram aqueles em que eu assistia a Rede Manchete. O SBT (Sistema Brasileiro de Televisão) também alegrou muito o meu coração com o Chapolin e o Chaves. Eu adorava também assistir os programas educativos da magnífica TV Cultura (alguns ainda passam), entretanto, nenhuma dessas emissoras se comparam a ilustre Rede Manchete.

A TV Ômega (Rede TV) é a sucessora da Rede Manchete, mas essa emissora imunda não merece ficar no lugar da Rede Manchete. A baixaria e a imoralidade são os alicerces dessa emissora imprestável. A Rede TV não acrescenta nada na cultura do povo brasileiro. Não querendo ser preconceituoso (até porque eu sou de origem pobre e tenho amigos maravilhosos que moram na periferia), mas geralmente o “povão” tem a televisão e o governo que merece. Graças a Deus, que eu não me misturo com a “gentalha”. Quero deixar bem claro, que conheço pessoas pobres e analfabetas que têm a mente muito mais aberta do que certos “doutores” mesquinhos que conheço. Geralmente, os pobres são mais honestos do que os ricos. Que ironia, não é mesmo? Mas, quando me refiro ao “povão” estou me referindo às pessoas que se divertem assistindo porcarias e apóiam a baixaria na TV. O problema do Brasil é a falta de educação. O governo deveria investir mais em educação e exigir que as emissoras de televisão (que são concessões públicas) passem programas de qualidade e que venham a abolir a baixaria da TV aberta. “Quem financia a baixaria é contra a cidadania”.

Quando o SBT passou a novela “Pantanal” eu fiquei extremamente feliz. Quando passou “Dona Beija” eu fiquei ainda mais feliz. A novela Pantanal eu já conhecia, mas ainda não tinha assistido a novela Dona Beija. Quando a Rede Bandeirantes reprisou a novela “Mandacaru” eu cheguei a ter um orgasmo de tanta felicidade. Eu adorava Mandacaru e me deliciei assistindo novamente essa magnífica novela. As novelas da Rede Manchete foram às melhores que já foram feitas no Brasil. A novela “O Marajá” (que conta os podres de Fernando Collor) foi proibida de passar na televisão e as suas fitas desapareceram. As novelas de hoje geralmente são chatas e repetitivas. Por isso, há muito tempo que eu não assisto mais novelas.

Eu costumo entrar sempre nas comunidades da Rede Manchete do Orkut, e fico muito entristecido quando vejo um bando de idiotas ficarem perseguindo quem sonha com o retorno da Rede Manchete. Seria bom se ela voltasse.

A Rede Manchete era uma TV de primeira classe, pois o seu público era inteligente e apoiava as programações boas que passavam na televisão. Lembro-me dos tempos áureos da televisão brasileira. Tempos, que acho que não voltam mais (pelo menos, por enquanto). Mas, tenho esperança da TV aberta um dia melhorar. Não sei se a Rede Manchete algum dia voltará, mas acredito que o “povão” aprenderá a valorizar uma TV de qualidade.

Nenhum comentário: