quinta-feira, 13 de outubro de 2011

A FARSA DO DESARMAMENTO


“Se um ladrão for achado arrombando uma casa, e, sendo ferido, morrer, quem o feriu não será culpado do sangue”. (Êxodo 22:2)

O Governo Federal e algumas organizações não governamentais como o Viva Rio e Sou da Paz têm contado mentiras em relação ao porte legal de arma. Esses alienados mentem descaradamente, manipulam dados, e omitem fatos para convencer os cidadãos de bem a entregarem as suas armas em troca de uma mixaria de dinheiro (sendo que as armas entregues são muito mais caras). Eu, como conhecedor da Palavra de Deus e das leis, sei que não há problema algum as pessoas lutarem por suas vidas. A função do Estado, que é instituído por Deus, é proteger os cidadãos. Entretanto, o governo tem desarmado os cidadãos de bem e não os defendido. Contarei a verdade sobre a farsa do desarmamento, pois o meu compromisso é com a verdade baseada na reta justiça.

Muitas das armas entregues as ONGs anti-armas e ao governo são extraviadas, isto é, elas vão parar nas mãos dos criminosos. As armas de fogo são tiradas dos cidadãos de bem e colocadas nas mãos de assassinados impiedosos que massacram os inocentes todos os dias.

Jogar a culpa em seres inanimados, ou seja, nas armas de fogo, não resolverá o problema da violência no Brasil. As armas que os bandidos usam não são compradas nas lojas, mas, sim, no contrabando. Todo mundo sabe que quase todas as armas que os marginais usam não são fabricadas no Brasil, mas, sim, entram pelas fronteiras do país que não são vigiadas como deveriam. Quase todas as armas, que eram legalizadas, que são usadas pelos delinqüentes pertenciam a militares, policiais e seguranças. Então, será que teremos que desarmar as autoridades e os vigilantes para que as armas não parem mais nas mãos dos bandidos? Viver num mundo cor-de-rosa e viajar na maionese não acabará com a criminalidade no Brasil.

Outra desculpa que usam para poderem desarmar os cidadãos de bem é alegarem que acontecem acidentes domésticos com as armas de fogo. O interessante é que acontecem acidentes domésticos entre os militares, policiais e seguranças também. Acidentes domésticos acontecem com pessoas despreparadas para poderem portar uma arma (inclusive, militares, policiais e seguranças despreparados). Se o cidadão fizer um exame psicológico e um curso de tiro semanalmente comprovando que ele tem condições de portar uma arma, não vejo problema nenhum o cidadão ter o seu direito de legítima defesa respeitado.

Na minha humilde opinião, se o Estado garantisse a segurança dos cidadãos e não fosse tão ausente, eu até poderia apoiar o desarmamento. O ideal é que os agentes do Estado e os seguranças portem armas, mas, infelizmente, o governo e as empresas de segurança privada não cumprem com o seu dever, que é proteger os cidadãos de bem e as propriedades de trabalhadores honestos que pagam os seus impostos e obedecem as leis. Se o Estado garantisse a segurança do cidadão, não teria necessidade do cidadão andar armado.

Eu sou totalmente favorável que em regiões rurais os cidadãos portem armas de fogo, até porque eles já provaram que têm maturidade para portarem armas. Houve vários casos em cidades do interior em que cidadãos e bandidos se confrontaram e os cidadãos levaram a melhor. As pessoas do interior geralmente são pacíficas e honestas, por isso, dou o maior apoio para elas portarem armas de fogo.

No passado, a mídia golpista fazia lavagem cerebral para poder desarmar os cidadãos de bem. A Rede Globo manipulava as pessoas para desarmá-las, mas, agora, defende o porte de arma. Essa maldita emissora nem sabe no que acredita.

A falácia de que as armas dos cidadãos de bem sustentam o crime organizado já foi desmentida várias vezes por mim. Qualquer pessoa inteligente sabe que os bandidos compram armas ilegais e não legalizadas. O Estatuto do Desarmamento nunca acabará com o crime, porque os criminosos não entregarão as suas armas.

Desarmar os cidadãos de bem não diminuirá em nada a criminalidade, porque os marginais continuarão armados, roubando, estuprando e matando. O que vai de fato diminuir a criminalidade é o governo investir em segurança pública, isto é, valorizar os militares e policiais, pagando salários decentes para eles e os preparando melhor para poderem combater o crime. Portanto, desarmar o cidadão não é a solução.

Nenhum comentário: