quarta-feira, 16 de maio de 2012

A VITÓRIA DA VIDA SOBRE A MORTE




“Onde está, ó morte, a tua vitória? Onde está, ó morte, o teu aguilhão? O aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei”. (1 Coríntios 15:55-56)

Durante toda a minha vida sempre pensei muito na morte. Na verdade, eu sempre desejei morrer, porque nunca suportei muito bem o sofrimento. Já tive muitas desilusões na vida, como, por exemplo, nunca consegui ser o guerreiro que sempre quis ser; e também nunca tive sorte no amor. Deus, o Altíssimo, me livrou várias vezes da morte; e, sinceramente, não sei qual é o propósito do Todo-Poderoso na minha vida. Espero que Deus não se arrependa por ter me salvado tantas vezes.

Os desenhos japoneses ensinam muito a lutar pela vida (especialmente, o anime Saint Seiya); e graças a esses desenhos, Deus tem me incentivado a continuar vivo. Eu desejo morrer, mas enquanto a chama da minha vida permanecer acesa, eu continuarei lutando. Mesmo, que eu perca os meus cinco sentidos, continuarei combatendo. Eu não me darei por vencido. Adonai me ajudou inúmeras vezes; e eu aprendi a confiar mais em Deus, porque cada livramento do Altíssimo na minha vida aumentou ainda mais a minha fé.

A maioria das pessoas tem medo da morte, mas eu, sinceramente, nunca aprendi a temê-la. Eu acho que a morte não é tão ruim assim. Para nós, cristãos, a morte é a passagem para o Paraíso. Jesus Cristo é a Única Salvação; e através d’Ele alcançamos a vida eterna. O Messias é o segredo para alcançar a vida eterna.

A cruz vazia simboliza a vitória da vida sobre a morte, mas o símbolo de uma faca encravada numa caveira tem praticamente o mesmo significado. Quando fiz um curso de vigilante, um dos instrutores, o Cícero, que é policial da ROTA (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar), contou a história da origem do símbolo da faca encravada no crânio humano. Na Segunda Guerra Mundial, os exércitos da Inglaterra e da Alemanha se enfrentaram; e um general britânico matou um general nazista dentro da fortaleza inimiga, e, logo, em seguida, encravou uma faca num crânio de um judeu que estava em cima da mesa do general nazista, e declarou que essa era a vitória da vida sobre a morte. Depois desse episódio, os nazistas começaram a serem massacrados pelos Aliados.

Eu sempre almejei a minha própria destruição, ou seja, eu sou um legítimo ser humano. Mas, de alguma forma, Deus e algumas pessoas conseguem ter a capacidade de me amar (mesmo, eu não sendo digno do amor deles). Eu não tenho amor próprio; e sou muito inseguro; mas, tenho algumas virtudes. Eu realmente sou íntegro e bom, apesar de minha natureza pecaminosa. Eu verdadeiramente desejo fazer a diferença nesse mundo, apesar de não ter condições atualmente de realizar tal proeza.

“Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá”. (João 11:25)

O que me conforta é saber que Deus me garante a vida eterna, e lá no Céu, eu nunca mais irei sofrer. Como a morte demora para vim me buscar! Antes, eu caçoava da morte, mas com o tempo, aprendi a respeitá-la. Eu desejo sair desse mundo cheio de sofrimento, mas já que Deus quer que eu continue por aqui, então, eu tentarei fazer a diferença para mudar esse mundo para melhor. Eu quero que Deus saiba que eu levo os mandamentos d’Ele a sério; e tenho extrema simpatia pelo Evangelho. Mesmo, eu sendo falho e pecador, eu quero que Deus saiba que Ele pode contar comigo. Isso é menos do que o mínimo que posso fazer por tudo o que o Todo-Poderoso fez por mim.

Eu aprendi com o personagem Shaka de Virgem do anime “Os Cavaleiros do Zodíaco” que as pessoas durante a vida, lutam, odeiam, amam, riem, choram, mas no final, todos os homens abraçam o eterno sono da morte. A minha hora um dia vai chegar, mas enquanto continuo vivo, me esforçarei para fazer a diferença.

2 comentários:

Maria de Lourdes disse...

Pois é Filipão, todos de uma forma ou de outra, procuram um sentido para a própria existência. O fato de sermos humanos, segundo Nietzche, demasiadamente humanos, nos limita a compreensão das razões de muita coisa que nos sucedem. Fé vc tem, integridade, idem, portanto viva. Esqueça a morte, porque ela não esquecerá de você. O mundo já tem um Salvador, não precisa de outros. Seja aliado desse Salvador e bola pra frente. Ele te surpreenderá.

Reflexões de Filipe Levi disse...

Ae Marcelo, eu percebi que é você pela forma de escrever (porque minha avó não escreveria assim). Gostei de suas palavras. Obrigado por comentar no meu blog! As suas palavras são muito sábias.