segunda-feira, 18 de junho de 2012

OS CORDÉIS DA MORTE



“Os cordéis da morte me cercaram, e angústias do Inferno se apoderaram de mim; encontrei aperto e tristeza”. (Salmo 116:3)

A dor que sinto em meu coração é indescritível, pois estou sofrendo tanto que penso que estou morto e fui para o Inferno. Durante, noite e dia, a dor continua, ela não passa. A dor da decepção arde em meu coração. A dor que sinto é tão aguda que sinto muita vontade de gritar sem parar. Se eu gritasse não acordaria somente a minha casa, mas também a vizinhança inteira.

“Assim, o meu coração se azedou, e sinto picadas nos meus rins”. (Salmo 73:21)

O meu desejo de morrer é mais ardente do que o fogo da minha vida. Não durmo e nem me alimento direito, porque não sinto mais prazer nessas coisas. O lado bom disso é que estou emagrecendo, mas espero não ficar com um aspecto cadavérico. Todos os dias peço para Deus me matar (já que o Altíssimo me deu a vida, Ele deve tirá-la). Estou magoado com Deus, porque Ele não me mata. Falo com toda a certeza que não valeu à pena eu ter nascido. Gostaria de nunca ter existido. Foi um erro eu nascer. Foi um erro eu existir. Eu nasci apenas para sofrer, e ansiar pela morte.

“Tristezas de morte me cercaram, e torrentes de impiedade me assombraram. Tristezas do Inferno me cingiram, laços de morte me surpreenderam”. (Salmo 18:4-5)    

Desde que me conheço por gente, eu sou depressivo e melancólico. Eu nunca fui feliz, pois somente conheci dor e sofrimento nessa vida. Sempre tentei ser diferente, mas agora vejo que teria sido melhor se eu fosse como a maioria das pessoas. As pessoas geralmente são egoístas e individualistas. Os seres humanos apenas sabem olhar para o próprio umbigo. Sempre me decepcionei com as pessoas (principalmente com as garotas). Eu perdi o meu tempo me conservando puro e sendo sincero. As pessoas valorizam gente falsa, e não gente verdadeira como eu. Arrependo-me amargamente por ter sido bom e sincero, porque nunca os outros valorizaram isso em mim. Perdi o meu tempo amando as pessoas; e confiando em quem não merecia a minha confiança.

Eu achei que o amor fosse algo que valesse à pena, mas descobri que perdi o meu tempo com uma coisa tão insignificante. Realmente, eu achei que teria o tempo perdido de volta, mas o tempo é implacável. A vida não me deu uma segunda chance, ou seja, eu jamais terei as oportunidades de volta.

Já vi tantas famílias serem destruídas; e não pude fazer nada para ajudá-las. Tantos casamentos já foram destruídos; e tantos filhos ficaram sem seus pais. O poder do Diabo é descomunal, pois todos os homens que ousam desafiá-lo perecem em suas mãos. O poder do pecado é terrível, porque o pecado apodrece a carne e resseca os ossos.

Gostaria de voltar a ter esperança, mas dessa vez, eu não tenho escapatória. Estou no fundo de um poço tão profundo, que ninguém pode me tirar daqui de dentro. O único que poderia me tirar de dentro deste poço é o Deus de Israel, mas Ele não quer mais saber de mim. O Deus Vivo me abandonou; e não quer mais me ajudar. O Todo-Poderoso virou as costas para mim, isto é, Ele me despreza. Os meus pecados ofendem tanto a Deus, que o Senhor dos Exércitos não me ouve mais. O Deus Eterno não escuta mais as minhas orações.

Muitas vezes eu já pensei em me suicidar, mas eu prefiro que o próprio Deus faça esse serviço por mim. Se foi Deus quem me deu a vida, nada mais do que justo Ele mesmo tirá-la. Clamo, dia e noite, ao Altíssimo, implorando para Ele me tirar à vida. Gostaria muito que Deus me desse à morte de presente. Não há razão para eu viver. Uma pessoa fraca e sensível como eu, não tem condições de continuar vivendo nesse mundo. Não valeu à pena eu viver. Não valeu à pena eu ter existido. Não há mais esperança.   

Nenhum comentário: