quinta-feira, 4 de abril de 2013

A MINHA DECEPÇÃO COM A TELEVISÃO



Primeiramente, quero dizer que eu tenho consciência de que às vezes eu acabo sendo repetitivo nos textos que escrevo. Ultimamente, tenho até escrito sobre alguns assuntos diferentes do que eu costumo escrever, mas sinto a necessidade de voltar a escrever sobre os assuntos que eu realmente domino. Na verdade, este artigo é apenas mais um desabafo, porque eu sinto muitas saudades da televisão que me alegrou na minha infância. Não posso negar que a saudosa Rede Manchete deixou um vácuo na televisão brasileira, e um vazio enorme no meu coração. Atualmente, somente o SBT (Sistema Brasileiro de Televisão) e a TV Cultura investem em programação infantil (pelo menos, na TV aberta). Contarei novamente um pouco sobre as lembranças da minha infância, pois me lembro com muito carinho dos desenhos e programas que assistia.

Como já registrei em muitos artigos, a TV Manchete foi à maior alegria que eu tive na minha infância, porque naquela época a televisão me fazia feliz. Naquele tempo eu era inocente e não conhecia a maldade do mundo. A minha maior felicidade era assistir os heróis japoneses na extinta Rede Manchete. O Jiraya, o Jaspion, e o Kamen Rider Black RX, eram os meus maiores heróis. Sem contar com os valentes cavaleiros da esperança, Seiya de Pégaso, Shiryu de Dragão, Hyoga de Cisne, Shun de Andrômeda, e Ikki de Fênix. O anime “Saint Seiya” foi o desenho que mais me emocionou em toda a minha existência. Eu me apaixonei pelos Cavaleiros do Zodíaco na minha primeira vez que os vi (na verdade, a princípio fiquei horrorizado com a violência, mas, logo, depois me acostumei). Apesar de Saint Seiya ter me feito uma criança feliz, eu não recomendo que crianças pequenas assistam esse anime, porque os pequeninos não têm discernimento para reter os princípios e valores que são ensinados nesse desenho. Os heróis japoneses foram os grandes heróis da minha infância; e aprendi muitas coisas boas com eles, como, por exemplo, a honra, a integridade, a lealdade, e, principalmente, a verdadeira amizade. Esses heróis são as minhas referências paternas.

Na TV Cultura, eu me divertia assistindo os desenhos “As Aventuras de Tintim”, “Doug”, “A Pedra dos Sonhos”, e os desenhos do programa “Glub Glub” (eu adorava aqueles peixinhos). Eu via também todas as programações infantis da TV Cultura em geral. A TV Cultura é digna do meu respeito, porque ela é um canal digno de ser assistido, pois esse canal sempre valorizou a cultura (não é a toa que esse canal tem o nome que tem).

O SBT (Sistema Brasileiro de Televisão) também me fez uma criança feliz, porque eu adorava assistir os desenhos que passavam nesse canal. Também já me diverti muito assistindo o Chapolin e o Chaves. Um desenho que me marcou muito foi Street Fighter II Victory, pois eu adorava esse anime. Em todos os desenhos que eu assistia (e que assisto até hoje), eu sempre torço pelos heróis, ou seja, torço para o bem vencer o mal. Como eram bons aqueles tempos. Os tempos áureos da TV Manchete, do SBT, e da TV Cultura, sempre estarão no meu coração.

A Rede Gazeta também tinha uma programação legal (naquela época esse canal se chamava CNT Gazeta). Eu gostava muito do “Hugo” e dos desenhos que passavam nesse canal.

Lembro-me bem que o canal Multishow passava muitos desenhos numa programação chamada “Babá Eletrônica”. Eu via muitos desenhos legais nesse canal. Alguns nomes de desenhos eu não me lembro, mas me lembro dos desenhos do Super Mario.

A minha maior decepção com a televisão, é que hoje apenas passa baixaria e imoralidade, e a programação infantil é desprezada. Isso entristece muito o meu coração. Gostaria somente que a televisão voltasse a ser como era antes.

Nenhum comentário: