segunda-feira, 22 de abril de 2013

DEUS VINGADOR



“O Senhor é Deus zeloso e vingador; o Senhor é vingador e cheio de furor; o Senhor toma vingança contra os seus adversários, e guarda a ira contra os seus inimigos. O Senhor é tardio em irar-se, mas grande em poder, e ao culpado não tem por inocente; o Senhor tem o seu caminho na tormenta e na tempestade, e as nuvens são o pó dos seus pés”. (Naum 1:2-3)

Pretendo escrever neste texto o lado justo de Deus que os evangélicos não querem conhecer, ou seja, que eles preferem ignorar. Atualmente, o pecado se alastra como uma epidemia viral dentro da Igreja de Cristo, pois quase todos os cristãos são egoístas e mesquinhos, e levam as coisas de Deus na brincadeira. Nunca concordei com a pregação do Evangelho do Medo (usar as imagens do Diabo e do Inferno para amedrontar as pessoas), mas, infelizmente, os crentes geralmente somente buscam a Deus coagidos e baseados no medo. Muitos evangélicos têm mais temor e respeito por Satanás do que por Deus. Parece que as coisas sobre o Satanismo são mais atraentes do que as coisas de Deus. Estou muito decepcionado com os cristãos, porque eles não compreenderam ainda o que é o Evangelho (muitos deles confundem o amor com a omissão diante do mal e conformismo com as coisas erradas). Infelizmente, a Igreja Cristã vive em uma época de escuridão e trevas.

No Antigo Testamento, Israel e Judá foram castigados por Deus através de povos pagãos. O Altíssimo usou a Assíria para castigar Israel, e usou a Babilônia para punir Judá. O Deus de Israel usou vários profetas para alertar o seu povo, mas o seu povo preferiu viver na prática do pecado, como, por exemplo, a idolatria (pecado típico dos hebreus). Os assírios destruíram Israel, e os babilônios assolaram Judá. Tanto Samaria quanto Jerusalém foram sitiadas por causa da desobediência do povo de Deus. Hoje, percebo que a Igreja de Cristo precisa sofrer perseguição para poder voltar a levar Deus a sério. Quando há tribulação, os cristãos começam a levar as coisas de Deus a sério, mas quando há liberdade religiosa, os cristãos começam a levar as coisas de Deus na brincadeira. Os cristãos nunca souberam aprender a valorizar a liberdade religiosa. Fico muito triste em escrever isso, mas é a mais pura verdade.

O sincretismo religioso domina as igrejas evangélicas (principalmente, as igrejas pentecostais). No Antigo Testamento, os hebreus muitas vezes queriam servir a Deus e a Baal ao mesmo tempo, ou servir a Moloque e Adonai juntos. Não se pode servir a dois senhores. O Todo-Poderoso não divide a sua glória com ninguém. Não se pode servir a Jesus e a Satanás ao mesmo tempo. Os cristãos têm que se decidirem a quem querem servir. Yavé é um Deus ciumento, e não admite que o seu povo sirva a outros deuses.

Lamento dizer para os evangélicos, mas Deus é justo; e não inocenta o culpado. Não adianta querer ser luz dentro da Igreja, porque vocês têm que ser luz no mundo, isto é, no trabalho, na escola, na faculdade, e, principalmente, em casa. Não adianta vocês bancarem os “santos” dentro das igrejas, mas fora esquecerem que Deus existe, ou seja, ficarem pecando escondidos como se Deus não soubesse de nada. De Deus não se zomba; portanto, o que vocês plantarem, vocês colherão. Deus castiga mesmo, quando as pessoas zombam de sua soberania e menosprezam o seu grandioso poder.

“Ó Senhor Deus, a quem a vingança pertence, ó Deus, a quem a vingança pertence, mostra-te resplandecente”. (Salmo 94:1)

Deus, o Altíssimo, observa todas as obras dos homens, e todos (principalmente, os que conhecem a Verdade) prestarão contas a Ele. Não importa se a pessoa foi criada na Igreja ou se têm pais cristãos, se essa pessoa não tiver um relacionamento sério com Deus, ela será castigada severamente aqui na Terra, e depois no fogo do Inferno.    

Nenhum comentário: