domingo, 19 de maio de 2013

A CURA DO MAL



Eu tenho estudado bastante ultimamente, e tenho ficado horrorizado com a perversidade humana. A maldade do homem me assusta, pois não consigo compreendê-la. Não consigo ser indiferente diante do mal. Eu faço pesquisas tanto históricas quanto bíblicas para poder conhecer e compreender melhor a humanidade. Neste texto, quero desabafar sobre as coisas que afligem o meu coração, e mostrar para os meus leitores que existe uma cura para a maldade humana. Ainda há esperança para a humanidade.

Como cristão e futuro historiador eu tenho o dever de fazer a diferença. Mentiras diabólicas que muitos professores da faculdade ensinam, como, por exemplo, de que a família é um conceito burguês (sendo que a família é uma instituição de Deus), e de que o historiador tem que deixar a sua fé de lado (ou pior, é obrigado a negar a sua fé), tudo isso é mentira do Diabo. Em primeiro lugar, não é porque eu faço História que eu sou obrigado a ser ateu e marxista. Eu acredito em Deus e não concordo com a ideologia do Comunismo. Não tenho nada pessoal contra o Karl Marx ou contra o Che Guevara, mas, simplesmente, eu não sou obrigado a concordar com a sua ideologia. Não é porque eu defendo a polícia que significa que eu seja fascista ou a favor da Ditadura Militar. Eu sou de direita, e nem por isso eu sou racista ou burguês. Eu jamais apoiaria um regime execrável como a Ditadura Militar, e nem sou partidário das ideologias nazista e fascista. Os marxistas alienados precisam entender que as pessoas têm o direito de pensar diferente deles, ou seja, as pessoas têm o direito de expressarem as suas opiniões e terem a ideologia que quiserem.

Durante o decorrer da História, a humanidade sempre procurou a sua própria destruição. Os homens procuram se destruir, e ainda chamam isso de civilização.

Lembro-me dos horrores da Inquisição que em Nome de Deus praticou atrocidades inimagináveis. Inúmeras pessoas acusadas de serem bruxas ou hereges foram queimadas vivas nas fogueiras da Inquisição.

Lembro-me da conquista da América, quando os espanhóis e os portugueses massacraram incontáveis tribos indígenas. As civilizações Inca, Maia, e Asteca, foram trucidadas pelos espanhóis que violentavam as mulheres, torturavam e assassinavam os homens, e trucidavam as crianças. Tanto os portugueses como os espanhóis jogavam tribos rivais umas contra as outras, para assim, conseguirem dizimá-las por completo. Os índios tinham todo o direito de viverem em paz em suas terras, mas os europeus destruíram o seu mundo, e ainda os escravizaram.

Lembro-me também da Escravidão, onde negros e índios foram privados de sua liberdade, e eram também torturados e mortos sem piedade. Mulheres escravas eram estupradas, e famílias eram separadas, e os parentes nunca mais se viam. Os valentes quilombolas empunharam armas e pelejaram ferozmente contra os escravocratas em nome da liberdade. Incontáveis escravos usavam a Capoeira como arma para se defender das agressões dos brancos. Houve resistência contra a Escravidão, portanto, os negros e os índios não são coitadinhos e inferiores, porque eles lutaram por sua liberdade, e muitos a conquistaram.

O Nazismo com certeza foi uma das piores desgraças que aconteceu no mundo (se não foi à pior). Adolf Hitler e seus seguidores fanáticos massacraram milhões de pessoas em nome de sua ideologia idiota. Mais de seis milhões de judeus morreram nos campos de concentração, sem contar os inúmeros negros, homossexuais, e ciganos que foram mortos por esse regime execrável. Infelizmente, ainda existem os neonazistas, que propagam a ideologia doentia do Nazismo nos dias de hoje. Seitas racistas como a maldita da Ku Klux Klan, também pregam bizarrices parecidas com as que Hitler pregava, como a superioridade dos brancos e a inferioridade dos negros. O racismo é um mal que tem que ser extirpado da Terra, pois não tem cabimento uma ideologia ridícula e cretina como essa persistir ainda nos dias atuais.

Regimes ditatoriais como o Comunismo mataram mais do que o Nazismo. Os governos comunistas mataram mais do que os nazistas. Com a sua falsa ideologia de igualdade, incontáveis pessoas foram enganadas, perseguidas, torturadas, violentadas, e assassinadas, por marxistas que distorciam tudo o que Karl Marx ensinou. Por isso, eu não consigo ser marxista.

Existe uma esperança para o homem, e essa esperança é Jesus Cristo, que sofreu e morreu numa cruz para nos salvar. O sangue de Jesus é a cura do mal, e a única Salvação.

Nenhum comentário: