segunda-feira, 1 de julho de 2013

O MEU RELACIONAMENTO COM DEUS


“Pregue o Evangelho em todo o tempo. Se necessário, use palavras”. (Francisco de Assis)

Desde criança, eu costumo conversar com Deus. Durante a minha adolescência vivi o auge do meu Cristianismo e santidade. Justo na época em que as pessoas mais pecam e se afastam de Deus, foi à época em que eu estive mais próximo de Deus. Hoje, sou mais maduro e tenho muito mais conhecimento do que tinha naquele tempo. Atualmente, eu escrevo muito melhor do que escrevia durante a minha mocidade, mas sinto saudades da minha relação com Deus daquele tempo. Apesar de eu ter complexo de inferioridade, reconheço as minhas virtudes e valores. Com certeza, sou diferente da maioria das pessoas (principalmente, dos outros jovens). Eu sou honesto e íntegro. Apesar do meu conhecimento bíblico e histórico, eu também, muitas vezes, sou ingênuo e inocente. Infelizmente, as garotas não reconhecem essas virtudes em mim. Ultimamente, estou mais preocupado com o meu relacionamento com Deus, do que com o meu relacionamento com as mulheres. A cada dia que passa, tenho me tornado mais machista (devido à depravação e ao apelo sensual de certas garotas), mas reconheço que existem algumas mulheres que se dão ao respeito e que valem à pena. Mas, para ser bem sincero, estou me importando mais com Deus do que com o sexo oposto.

O maior desejo do meu coração atualmente é que Deus me use para os seus propósitos grandiosos. Eu quero ser um instrumento de benção nas mãos de Deus. A minha esperança é que da mesma forma que Deus abençoou a casa de Potifar por amor a José, Deus abençoe e salve as pessoas ao meu redor por amor a mim. Eu desejo de verdade ser luz nas trevas e o sal do mundo. Quero fazer a diferença de alguma maneira. Já quebrei a cara muitas vezes por fazer o que é correto, mas mesmo assim, eu não me arrependo de ter feito o que é certo. Eu estou disposto a ser punido por fazer o que é agradável aos olhos de Deus, porque o meu desejo é fazer a vontade de Deus.

Até hoje me pergunto o porquê do meu nascimento e da minha existência, mas estou começando a acreditar que, talvez, Deus não tenha errado ao me criar. Talvez, eu não seja um erro. Tenho orado por muitas pessoas durante as madrugadas. Sinceramente, não sei se Deus salvará essas pessoas, mas uma vez, ouvi uma pregação que dizia que nós, cristãos, temos o poder em nossas mãos de mudar o destino e as vidas das pessoas. Eu tenho fé, de que com o meu clamor, Deus possa ter misericórdia das pessoas por quem tanto oro. Não quero ficar apenas orando, pois pretendo fazer algo mais pelo mundo. Tenho pensado seriamente em trabalhar, para com o meu dinheiro, ajudar alguns missionários que conheço, e se eu não conseguir um emprego, pretendo fazer algum trabalho voluntário para ajudar os meus semelhantes. Cansei de ser apenas um ativista de sofá. Quero impactar as vidas das pessoas com as minhas atitudes de amor e compaixão. Quero viver o Evangelho. Quero evangelizar com as minhas atitudes, e não apenas com palavras. Desejo ardentemente ser mais parecido com Jesus. Pretendo algum dia conseguir me tornar a imagem e a semelhança de Cristo. Quero ser um verdadeiro servo de Deus. Almejo ser um cristão de verdade.

Nas minhas orações, eu abro o meu coração para Deus, porque Ele é a pessoa, ou, melhor dizendo, são as três pessoas em que eu mais confio. Tenho conversado bastante com Jesus Cristo (geralmente, eu converso com o Deus Pai). Tenho conversado às vezes também com o Espírito Santo. Eu acredito na Santíssima Trindade, e creio que as três pessoas de Deus me ouvem e escutam as minhas orações (apesar de muitas vezes eu duvidar disso). Descobri que o Cristianismo não é apenas mais uma religião, mas é o relacionamento direto com Deus. Deus quer se relacionar comigo, e com você também.

Nenhum comentário: