quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

O MUNDO MÁGICO DA TV


Nos últimos anos, tenho me conformado com o fato da televisão brasileira ser de péssima qualidade, mas não negarei que ainda sinto muita falta da televisão de antigamente. A antiga TVS (TV Studios), que hoje é o atual SBT (Sistema Brasileiro de Televisão), a TV Cultura, e a extinta Rede Manchete, marcaram muito a minha infância. Como eu me divertia vendo as programações infantis dessas emissoras! A única preocupação que eu tinha naquela época era assistir os desenhos e séries que amava.

Infelizmente, eu cresci, mas fiquei perdido no tempo. O meu corpo físico cresceu, mas a minha mente permanece imatura. Se crescer é ser perverso e desonesto, então, prefiro ser criança para sempre. Abomino o “jeitinho brasileiro”, pois sou contra a corrupção e a falta de caráter. Não sou malicioso como a maioria dos homens, porque sempre fui puro em relação a minha sexualidade. Claro, que gosto de mulheres, mas eu as respeito tanto, que ainda não provei nenhuma (e se eu provar alguma será depois do meu casamento). Estou quase me formando na faculdade, pois faltam poucos meses para eu me graduar em História. Já sei andar sozinho por São Paulo, e também sei manusear algumas armas de fogo (aprendi isso dentro da legalidade). De certa forma, estou crescendo, mas não tenho esperança de algum dia encontrar o verdadeiro amor e me casar. Se, pelo menos, eu tivesse a televisão de antigamente para me alegrar, seria muito mais fácil superar essa dor.

Eu adorava acordar cedo (naquela época eu não me incomodava) para assistir desenhos de manhã no SBT. Eu amava o “Bozo” e a “Vovó Mafalda”, que assistia durante o dia nesse canal. Como eu amava os desenhos que passavam nessa época! Eu era apaixonado pelos desenhos animados inocentes que alegravam tanto a minha infância. Gostaria de ter conhecido a Rede Tupi também, mas ela faliu antes de eu nascer. As décadas de 80 e 90 foram mágicas.

Os programas educativos da TV Cultura também alegravam os meus dias. Adorava Glub-Glub, e os desenhos “inocentes e bobinhos” que passavam nesse programa. Gostava muito de outras programações infantis que passavam nesse maravilhoso canal também. Amava os desenhos animados “As Aventuras de Tintim” e “A Pedra dos Sonhos”. Como sinto saudades dessa “Era Mágica”, onde eu ainda não conhecia a maldade humana!

A emissora que mais marcou a minha infância foi à extraordinária TV Manchete, porque esse canal esplêndido alegrou a minha vida quando eu ainda era apenas uma criança. Tenho muito que contar sobre essa emissora, mas tentarei resumir o máximo que eu puder.

Jiraya, Jaspion, Kamen Rider Black RX, Winspector, Solbrain, Saint Seiya, Yu Yu Hakusho, e outros, foram os programas que mais me alegraram. Eu sonhava em ser como os heróis desses animes e séries tokusatsus. Aprendi a ser nobre e honrado com esses heróis. Com eles, aprendi a ser honesto e corajoso. Esses heróis me ensinaram a ser um homem de verdade (pelo menos, no meu caráter, que foi moldado através desses desenhos e séries). Eles são bons exemplos a serem seguidos, ao contrário, dos homens que ocuparam a figura de pai na minha vida. Esses heróis são a minha referência paterna. Aprendi muitos princípios e valores com esses nobres e honrados guerreiros do mundo mágico da TV.

Muitos boatos surgiram sobre o retorno da Rede Manchete. Muitos diziam que a TV Pampa do Rio Grande do Sul obteve o direito de usar o nome “Manchete” (ela foi afiliada da TV Manchete no passado). Por isso, disseram que a Rede Manchete voltaria, mas era tudo boato e especulação. Até disseram que um herdeiro de Adolpho Bloch compraria o SBT e o tornaria na nova TV Manchete. Também falaram que a Rede TV faliria e a maravilhosa Rede Manchete voltaria em seu lugar para alegrar os nossos corações. Mas, tudo isso, eram apenas boatos.

A Rede Brasil e a Ulbra TV são as emissoras que mais chegaram próximo a qualidade da extinta TV Manchete. Alguns canais UHF tentaram imitar a Rede Manchete, mas nem chegaram aos seus pés (apesar de sua qualidade ser muito boa).

Como gostaria de voltar no tempo, nas décadas de 80 e 90, e voltar a ver os desenhos animados que me divertiam. No passado, pensava que o século XXI seria ainda melhor, mas me enganei tremendamente. Hoje, a mídia é insuportável, porque ela é manipuladora, obscena, maquiavélica, baixa, e sensacionalista ao extremo. Gostaria de ter a esperança de que a mídia voltasse a ser como na minha infância, mas essa esperança morreu com o tempo.

Nenhum comentário: