sábado, 22 de fevereiro de 2014

ABAIXO AO POLITICAMENTE CORRETO


Decidi escrever este artigo para combater o politicamente correto e a falsa moralidade, que têm dominado o Brasil. Geralmente, as pessoas politicamente corretas querem impor o seu falso moralismo para os outros. Muitos deles se dizem “pacifistas” e “naturalistas”, ou “vegetarianos”, mas se tornam em criaturas bestiais e animalescas quando são questionados por suas convicções hipócritas.

Em primeiro lugar, quero deixar bem claro que adoro comer legumes e vegetais, portanto, não tenho nada contra o vegetarianismo em si, mas sou totalmente contra o falso moralismo em acusar as pessoas que gostam de comer carne de assassinas e de maldosas, apenas, porque se alimentam de animais. Já chegaram até a me acusarem de ser hipócrita, apenas, porque eu afirmo que amo os animais domésticos, mas como animais, como, por exemplo, peixes, galinhas, vacas, e porcos. Segundo a Bíblia, a Palavra de Deus, depois do Dilúvio, Deus autorizou os homens a se alimentarem dos animais. O povo hebreu se alimentava de peixes e de cordeiros. Jesus Cristo e os apóstolos se alimentavam de animais. Muitos dos apóstolos eram pescadores, e comiam carne de animais, portanto, não há base bíblica para demonizar a prática de se alimentar de animais. Quem é o homem para falar que é imundo comer o que Deus purificou? O errado é a caça predatória, ou seja, matar os animais somente por maldade e diversão. O apóstolo Paulo até criticou os cristãos que se recusavam a comer carne e que apenas se alimentavam de vegetais. O próprio Paulo afirmou que não há problema algum em comer carne (até sacrificadas aos ídolos), que era o problema polêmico entre uma ramificação do Cristianismo Primitivo. Os naturalistas e vegetarianos (não todos, há exceções, pois há os que são sinceros em sua crença e ideologia) acusam, julgam, e condenam quem pensa diferente deles (como se eles fossem os donos da verdade absoluta). Eles apelam para o sentimentalismo barato para poder manipular as pessoas em seu favor. Se eles não querem comer carne, o problema é deles, mas esses indivíduos não têm o direito de proibir os outros de comer.

Outro grupo extremamente hipócrita são os chamados “pacifistas” ou “desarmamentistas”, pois eles querem impor a sua ideologia hipócrita e falsa moralista para as pessoas que pensam diferente deles. Eles se dizem tão “pacíficos”, mas se transformam quando são contrariados e questionados. Assim, como os naturalistas e vegetarianos, eles apelam para o sentimentalismo barato para poderem manipular as emoções das pessoas. Eu sei manusear armas de fogo, pois aprendi a atirar com o revólver calibre 38 e com a pistola calibre 380, portanto, tenho autoridade para falar sobre o assunto (não estou querendo apelar para o “discurso competente”, mas é somente a esse argumento que as pessoas tolas dão crédito). Se o pacifista não quer ter arma, o problema é dele, mas ele não tem o direito de coibir o direito de legítima defesa das outras pessoas que querem se defender. O maior problema dos “politicamente corretos” é que eles são extremamente intolerantes. Se eu gosto de armas e de artes marciais, o problema é meu, e ninguém tem nada a ver com isso.

Outro grupo muito conhecido por sua intolerância são os ativistas gays, que querem impor o homossexualismo para os heterossexuais. Em primeiro lugar, se eu não quero “dar o meu rabo” e gosto de mulher (inclusive, gosto muito de mulher), o problema é meu, e os gays não têm nada a ver com isso. Se eu não gosto da causa gay, porque eu sou cristão, e a Bíblia condena a prática homossexual, o problema é meu também, porque eu tenho o direito garantido pela Constituição de expor a minha opinião. Mas, os ativistas gays, não toleram e nem admitem quem os questiona e pensa diferente deles. O maior problema dos intolerantes politicamente corretos, é que eles não respeitam ninguém.

Os religiosos também têm as suas intolerâncias, como, os famosos “fariseus”, porque eles se consideram mais santos e melhores do que os outros. Eles manipulam, exploram, e oprimem qualquer um que os questione ou pense diferente deles. Os fariseus pregam doutrinas que são preceitos dos homens, ou seja, que não têm embasamento bíblico nenhum. Eles distorcem as Escrituras, isto é, usam versículos bíblicos fora de contexto para poderem manipular os tolos e leigos. Os fariseus são cruéis e impiedosos.

Espero ter sido claro e objetivo no meu ponto de vista. Eu respeito os pacifistas, naturalistas, vegetarianos, e religiosos sinceros no que acreditam. O que não respeito é a intolerância.

Nenhum comentário: