segunda-feira, 20 de abril de 2015

LUTANDO CONTRA O SUICÍDIO


“Os cordéis da morte me cercaram, e angústias do Inferno se apoderaram de mim; encontrei aperto e tristeza”. (Salmo 116:3)
Eu tenho um sério problema patológico, pois descobri há pouco tempo que tive ancestrais depressivos com tendência suicida. Desde os meus doze anos sofro de depressão. Na verdade, foi quando eu conheci o Evangelho que me tornei depressivo. Queria nunca ter conhecido a Verdade. Gostaria de nunca ter me convertido, porque conhecer a Verdade somente me trouxe dor e sofrimento.
“Tristezas de morte me cercaram, e torrentes de impiedade me assombraram. Tristezas do Inferno me cingiram, laços de morte me surpreenderam”. (Salmo 18:4-5)
Uma garota que acreditei que era minha amiga de verdade me chutou da vida dela como se eu não valesse nada, como se eu fosse um lixo. Ela nunca gostou de mim de verdade, pois no primeiro conflito que tivemos, ela me excluiu de sua vida por causa do namoradinho de merda dela. Foi melhor assim. Pelo menos, agora, eu sei que ela é tão mau caráter quanto o namorado dela.
Recentemente um dos meus melhores amigos foi assassinado por bandidos do PCC (Primeiro Comando da Capital). Esse meu grande amigo se chamava Maciel. A minha falsa amiga fingiu que era minha amiga durante sete meses. Outro amigo meu, o Rogério, que era policial, que também foi morto por bandidos, foi meu amigo durante três semanas. O Maciel foi meu amigo durante quinze anos. A minha amizade com o Maciel durou metade da minha vida.
Eu falava sempre da Bíblia e das coisas de Deus para o Maciel, vulgo “Miau”. Eu lhe contava os meus dramas de cristão. Eu tentei ajudá-lo. Eu tentei salvá-lo. Não consegui. Depois que nos afastamos um do outro, devido às circunstâncias da vida, o Maciel se tornou num bandido e passou a usar drogas. Não pude impedir que ele ingressasse no crime. Na verdade, eu nem sabia que ele havia se tornado num marginal. O Maciel se envolveu com a garota errada, e um bandido do PCC o jurou de morte. Ele matou esse bandido e feriu o seu comparsa. Mais tarde, outros bandidos do Primeiro Comando da Capital o capturaram, o torturaram e o executaram. Deram fim no corpo dele, para nunca mais ninguém encontrá-lo. Sofro muito com isso. Não odeio esses assassinos, porque o Maciel era tão marginal quanto eles. Foi apenas mais um acerto de contas entre bandidos. Mas, odeio Satanás, o Diabo, porque ele foi o responsável pela morte do meu amigo. E estou profundamente magoado com Deus, por Ele ter permitido e autorizado que isso acontecesse.
“Assim, o meu coração se azedou, e sinto picadas nos meus rins”. (Salmo 73:21)
            O meu ano de 2014 foi um ano perdido, devido essa garota que me chutou de sua vida como se eu não tivesse valor. Para ela, eu sempre fui dispensável e descartável. Nunca tive valor para ela. Não queria estar vivo em 2015. No começo desse ano o Maciel foi assassinado. O meu grande amigo Oséias, que também era muito amigo do Maciel, que me contou tudo. Satanás tentou me matar no passado e Deus me livrou. Mas, Deus não livrou o Maciel. Todos os dias eu luto contra o suicídio. Espero sinceramente que Deus tenha compaixão e me leve antes que eu mesmo termine o serviço que o Diabo começou. A cada dia que passa a minha dor aumenta, e o sofrimento se alastra em meu coração. A minha alma sangra. Em cada gota de sangue vai esvaindo a minha vida. Desejo abraçar o eterno sono da morte.

Nenhum comentário: