domingo, 26 de novembro de 2017

A GUERRA FÍSICA E A GUERRA ESPIRITUAL


Nós, cristãos, vivemos em constante batalha, em contínuo confronto com as hostes espirituais do mal. Assim, como Romanos 13 é a luta do Estado (que é ministro de Deus), Efésios 6 é a luta da Igreja (instituição religiosa). O Símbolo dos ímpios, o Vilão de gibi, constantemente nos ataca covardemente investindo sugestões malignas em nossos pensamentos. O verdadeiro campo de batalha de todo ser humano é a mente. A guerra espiritual não invalida a guerra física. O serviço militar, as artes marciais e o manuseio com armas de fogo é para o combate bélico (Romanos 13:1-7) e (I Pedro 2:13-17). A santidade (bíblica), a oração (conversar sempre com Deus), o estudo constante das Escrituras (Teologia) e a nossa comunhão com Deus (relacionamento sincero e verdadeiro com Deus, sem falsidade e sem hipocrisia, porque Deus não é idiota e nem otário) é para o combate espiritual. Nós, cristãos, sendo soldados ou não (Lucas 3:14), devemos combater as forças do mal. Satanás, o Diabo, e seus anjos infernais, assim, como os malfeitores devem ser combatidos. Nós temos a obrigação e o dever de lutar por aqueles que não podem lutar por si mesmos. Nós devemos proteger os fracos e indefesos. Devemos usar os nossos punhos e as nossas armas não por motivos pessoais, mas apenas para promover a justiça. Não é pecado lutar pela justiça, ao contrário, é uma boa ação, existem inimigos que não são convencidos com palavras. Implorar para os malfeitores somente aumentará a sensação de poder e atiçará o sadismo desses cães do Inferno. Os anjos do Inferno sentem o cheiro do seu medo, portanto, seja corajoso e não demonstre medo diante de seus inimigos. Satanás, o Diabo, e seus capangas só podem ser detidos se alguém ousar se opor a eles. Deus, em todas as épocas, levanta homens ousados e valentes para combater o mal. Os heróis são aqueles que ousam fazer o que mais ninguém quer fazer. Não temer a morte e estar dispostos a se sacrificarem por um propósito maior. A morte é inevitável, então, por que não morrer com honra, de uma forma digna e altruísta? Então, que vivamos e morramos em prol da justiça e em nome da honra. (Filipe Levi)

Nenhum comentário: