sexta-feira, 27 de abril de 2018

SERÁ MESMO QUE É MELHOR SER UM COVARDE VIVO DO QUE UM HERÓI MORTO?


“os quais, por meio da fé, subjugaram reinos, praticaram a justiça, obtiveram promessas, fecharam bocas de leões, extinguiram a violência do fogo, escaparam ao fio da espada, da fraqueza tiraram força, fizeram-se poderosos em guerra, puseram em fuga exércitos de estrangeiros. Mulheres receberam, pela ressurreição, os seus mortos. Alguns foram torturados, não aceitando seu resgate, para obterem superior ressurreição; outros, por sua vez, passaram pela prova de escárnios e açoites, sim, até de algemas e prisões. Foram apedrejados, provados, serrados pelo meio, mortos ao fio da espada; andaram peregrinos, vestidos de peles de ovelhas e de cabras, necessitados, afligidos, maltratados (homens dos quais o mundo não era digno), errantes pelos desertos, pelos montes, pelas covas, pelos antros da Terra. Ora, todos estes que obtiveram bom testemunho por sua fé, não obtiveram, contudo, a concretização da promessa, por haver Deus provido cousa superior a nosso respeito, para que eles, sem nós, não fossem aperfeiçoados”. (Hebreus 11:33-40)
O “bordão” mais usado pelos evangélicos é “melhor ser um covarde vivo do que um herói morto”. Fico pensando, ainda bem que Jesus, os profetas, os apóstolos e os mártires da fé discordavam disso. Quer dizer, então, que é melhor ser um covarde ileso e vivo, do que ser um herói ferido ou morto? Tenho a mera impressão, de que os heróis bíblicos discordariam disso. Eu sou “criança e infantil”, porque eu me espelho nos heróis, porque prego que o dever dos fortes é proteger os fracos e que os homens devem valorizar, honrar e respeitar as mulheres. Sinceramente, espero mesmo que Deus tenha uma opinião sobre a minha pessoa diferente da opinião de vocês. Os “mais velhos” adoram estufar o peito e encher a boca para falar “eu não aceito desaforo dos mais jovens”. Queria ver esses “mais velhos” dizerem isso também para alguém mais forte ou armado, ou para os terroristas do Boko Haram e do Estado Islâmico, ou para Satanás, o Diabo. Nessas horas ninguém quer ser “valente” e “corajoso”, não é mesmo? Mas na hora de oprimir o mais fraco (quem não pode revidar) ou para viver uma vida religiosa vazia e hipócrita (pensando que podem enganar a Deus, o Deus que formou o olho, que formou o ouvido e que dá o conhecimento para as pessoas) todos são cheios de “coragem e de valentia”. Vocês são valentes e corajosos mesmo? Então, quando vocês tiverem que escolher entre morrer por sua fé ou viver ilesos, ou combater os malfeitores e os demônios para salvar alguém (que é o que vocês não fazem, porque vocês são covardes), se lembrem de toda essa sua “coragem e valentia”. Ser “herói” ninguém quer (só o autista cabaço e infantil aqui), mas viver na hipocrisia e na falsidade, todos adoram fingir e bancar ser o que não são. Bando de hipócritas e covardes. (Filipe Levi)

Nenhum comentário: