quinta-feira, 31 de maio de 2018

Luke Skywalker e Anakin Skywalker (O LADO NEGRO DA FORÇA – O VELHO ADÃO, O VELHO HOMEM)


Luke Skywalker e Anakin Skywalker (O LADO NEGRO DA FORÇA – O VELHO ADÃO, O VELHO HOMEM)

"Eu pensava que o "velho homem" havia se afogado nas águas do batismo, mas descobri que o miserável sabe nadar". (Martinho Lutero)

Todos nós, homens e mulheres, temos o nosso lado obscuro, o nosso demônio interior. As sombras, as trevas e a escuridão. Gritos de desespero e de horror. Sugestões diabólicas e pensamentos cruéis. Desejos duvidosos e impulsos diabólicos. O nosso Lado Negro da Força. Todos nós devemos lutar contra esse demônio interior, para que ele nunca se liberte da jaula. É nosso dever e obrigação mantermos esse demônio aprisionado e encarcerado, porque também o bem vive dentro de nós. Dentro de cada um de nós existe um vilão e um herói. O bem e o mal estão dentro de nós. Há uma história indígena que conta que existem dois lobos dentro de nós; um lobo mau e um lobo bom. Esses dois lobos brigam dentro de nós disputando pelo controle e pelo poder. O lobo que for mais alimentado será o vencedor. Na escuridão também existem pontos de luz. Apesar de toda a escuridão dentro do interior do herói, a chama da esperança ainda queima em seu coração. Enquanto a chama de minha vida permanecer acesa, eu lutarei. Lute contra o seu mal interior. Que o bem vença em seu coração. Não se corrompa como Anakin Skywalker, mas permaneça íntegro como Luke Skywalker. Nunca perca a sua integridade. Seja íntegro. Seja bom. Seja um herói. (Filipe Levi)

"Mortifique o pecado. Faça disso sua labuta diária; sempre, enquanto viver, não termine nenhum dia sem lutar; continue matando o pecado ou ele o matará”. (John Owen)

segunda-feira, 28 de maio de 2018

GUERREIROS MARCIAIS (COMBATENTES MILITARES)



Filipe Levi 28/05/18
GUERREIROS MARCIAIS (COMBATENTES MILITARES)

“Erga a voz em favor dos que não podem defender-se, seja o defensor de todos os desamparados. Erga a voz e julgue com justiça; defenda os direitos dos pobres e dos necessitados”. (Provérbios 31:8-9)


Para mim, a omissão diante do mal é um pecado hediondo, porque quem se omite perante o mal é tão culpado quanto aquele que o pratica. Os cristãos costumam se omitir diante das coisas erradas alegando um falso amor e uma falsa paz, mas Deus nunca aprovou a omissão perante as coisas erradas. A vontade de Deus é que nós, cristãos, defendamos os fracos e oprimidos. O Altíssimo quer que nós lutemos em favor dos indefesos. É nossa obrigação proteger os inocentes.

"Há duas injustiças que o SENHOR abomina: que o inocente seja condenado e que o culpado seja colocado em plena liberdade como justo". (Provérbios 17:15)

O Livro de Provérbios critica muito a injustiça e a omissão diante do mal, portanto, o conformismo perante as coisas erradas não é bíblico. Deus, o Altíssimo, deseja que nós pelejemos em favor dos fracos e necessitados, porque é da vontade d’Ele, que nós defendamos os indefesos e desamparados.

“Não te furtes a fazer o bem a quem de direito, estando na tua mão o poder de fazê-lo”. (Provérbios 3:27)

Se estiver em nossas mãos o poder de ajudar os outros, nós devemos fazê-lo, porque essa é a vontade de Deus, que nós, cristãos, defendamos os direitos dos fracos e oprimidos. Nós temos a obrigação de lutar pelos direitos dos órfãos e das viúvas.

“Ai dos que decretam leis injustas, dos que escrevem leis de opressão, para negarem justiça aos pobres, para arrebatarem o direito aos aflitos do meu povo, a fim de despojarem as viúvas e roubarem os órfãos”! (Isaías 10:1-2)

Deus estabeleceu o Estado (governo) para ser um servo de Deus (ministro de Deus). A função e o dever do governo é servir o povo, e não explorá-lo e oprimi-lo. A vontade de Deus é que o Estado castigue os malfeitores e louve os homens que praticam o bem.

"Aprendam a fazer o bem! Busquem a justiça, acabem com a opressão. Lutem pelos direitos do órfão, defendam a causa da viúva".
(Isaías 1:17)

Desejar ser herói (proteger os fracos e indefesos) não é coisa de “criança e de gente infantil”, mas é o que a Bíblia manda. As Escrituras ordenam que todos os servos de Deus sejam heróis (protetores e defensores). A vontade de Deus é que os fortes protejam e defendam os fracos.
“Portanto, aquele que sabe que deve fazer o bem e não o faz, nisso está pecando”. (Tiago 4:17)

Omitir-se diante do mal é um pecado hediondo, porque quem se omite perante a maldade é tão ruim e perverso quanto quem a pratica. Os pecados de omissão são tão graves quanto os pecados de comissão. Portanto, se omitir também é pecado.

“Todos devem sujeitar-se às autoridades governamentais, pois não há autoridade que não venha de Deus; as autoridades que existem foram por ele estabelecidas. Portanto, aquele que se rebela contra a autoridade está se colocando contra o que Deus instituiu, e aqueles que assim procedem trazem condenação sobre si mesmos. Pois os governantes não devem ser temidos, a não ser pelos que praticam o mal. Você quer viver livre do medo da autoridade? Pratique o bem, e ela o enaltecerá. Pois é serva de Deus para o seu bem. Mas se você praticar o mal, tenha medo, pois ela não porta a espada sem motivo. É serva de Deus, agente da justiça para punir quem pratica o mal. Portanto, é necessário que sejamos submissos às autoridades, não apenas por causa da possibilidade de uma punição, mas também por questão de consciência. É por isso também que vocês pagam imposto, pois as autoridades estão a serviço de Deus, sempre dedicadas a esse trabalho. Dêem a cada um o que lhe é devido: se imposto, imposto; se tributo, tributo; se temor, temor; se honra, honra”. (Romanos 13:1-7)

Deus estabeleceu o Estado para proteger os cidadãos de bem e para punir os malfeitores; portanto, o governo é uma instituição divina. Infelizmente, o Estado brasileiro não tem cumprido com o seu dever, que é exaltar os bons e castigar os maus. O Senhor, Deus de Israel, estabeleceu o governo para manter a lei e a ordem na sociedade, e a nossa obrigação, como cristãos, é interceder em favor das autoridades governamentais, para que elas cumpram com o seu dever. Os militares, policiais, juízes, promotores, e políticos, são ministros de Deus (pelo menos, deveriam agir como tais), para vingar o povo e protegê-lo.

“Por causa do Senhor, sujeitem-se a toda autoridade constituída entre os homens; seja ao rei, como autoridade suprema, seja aos governantes, como por ele enviados para punir os que praticam o mal e honrar os que praticam o bem. Pois é da vontade de Deus que, praticando o bem, vocês silenciem a ignorância dos insensatos. Vivam como pessoas livres, mas não usem a liberdade como desculpa para fazer o mal; vivam como servos de Deus. Tratem a todos com o devido respeito: amem os irmãos, temam a Deus e honrem o rei”. (1 Pedro 2:13-17)

O apóstolo Pedro, assim, como o apóstolo Paulo, também reconheceu que as autoridades governamentais são legítimas e necessárias na ordem estabelecida por Deus. Para Pedro, a função das autoridades é castigar os malfeitores e louvar os homens que praticam o bem. Paulo tinha exatamente a mesma opinião. Ambos os apóstolos legitimaram o uso da força por parte do Estado (da violência mesmo) para punir os criminosos perigosos que ameaçam a sociedade.

“E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus”. (Romanos 12:2)

A Bíblia nos ensina que não devemos nos conformar com esse mundo, mas, sim, que devemos fazer a diferença, ou melhor, sermos a diferença. Nós temos que lutar em prol da justiça, porque essa é a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus. Deus nos convoca para sermos heróis na luta do bem contra o mal. A guerra santa entre o bem e o mal está em seu ápice, porque o pecado tem dizimado incontáveis vidas. Mas, o sangue de Jesus é a cura para o vírus mortal chamado pecado. Nós, servos de Deus, devemos pelejar em favor do que é correto e justo, porque essa é a vontade de Deus e o certo a se fazer.

“Então, alguns soldados lhe perguntaram: E nós, o que devemos fazer? Ele respondeu: Não pratiquem extorsão, nem acusem ninguém falsamente, e contentem-se com o seu salário”. (Lucas 3:14)

Nós todos, sendo soldados ou não, temos que ser honestos e íntegros, porque isso é louvável e honrado. Os verdadeiros heróis são honrados e estão dispostos a viver e morrer com honra. Devemos lutar pelo que é justo, pois o mundo precisa de heróis que estejam dispostos a encarar o perigo em favor dos fracos que não podem se defender. Os inocentes e desamparados precisam de nossa ajuda, e é nosso dever ajudá-los. Essa é a verdadeira justiça.


SAMURAIS CONTEMPORÂNEOS:


"Ninguém que milita se embaraça com negócios desta vida, a fim de agradar àquele que o alistou para a guerra. E, se alguém também milita, não é coroado se não militar legitimamente."
(2 Timóteo 2:4-5)

A palavra militar se originou da palavra marcial, ou seja, a tradução literal da palavra marcial é militar. A Bíblia, a Palavra de Deus, nunca condenou o combate, quando este combate é travado por uma causa justa. Essa “historinha” de que “violência gera violência” não tem na Bíblia (isso não é um versículo bíblico, mas apenas um bordão sem sentido e sem nexo nenhum). As Escrituras ensinam que a violência pode ter um bom uso, se essa violência for usada como uma contingência (para defesa própria ou para a proteção dos outros). Paulo em (Romanos 13:1-7), Pedro em (1 Pedro 2:13-17) e João Batista em (Lucas 3:14) deixam bem claro que combater não é moralmente errado, mas muitas vezes necessário, se for para combater por um bem maior (por uma causa maior). Deus nunca foi e nem será pacifista (esse não é o Deus da Bíblia). O Deus do Antigo Testamento é o mesmo Deus do Novo Testamento (Deus não é bipolar). Deus não é só “paz e amor”, mas Deus também é SANTIDADE, IRA E JUSTIÇA. Deus levanta guerreiros, cavaleiros, combatentes e soldados para combater o mal. A única linguagem que os violentos conhecem é a violência. O opressor só respeita a força que é maior do que a dele. Implorar pela vida ou por misericórdia apenas aumentará a sensação de poder dos bandidos. Suplicar por clemência e piedade somente atiçará o sadismo dos sádicos. Com psicopatas e sádicos não dá para argumentar e nem negociar, porque eles nem se darão ao trabalho de te escutar. Os malfeitores, psicopatas, sádicos, estupradores e opressores não sentem pena ou remorso. Não tem como argumentar ou negociar com eles. Sempre existirão homens bons, corajosos, ousados e valentes que ousarão se opor ao mal. Deus sempre levantará guerreiros corajosos para combaterem os homens maus. Tanto os malfeitores quanto os anjos do Inferno sentem o cheiro do seu medo. Não demonstre medo diante deles. Seja forte e corajoso! Proteja os fracos! Seja um guerreiro honrado e íntegro! Nunca perca a sua integridade! Lute sempre em nome da honra! Use sempre os seus punhos e suas armas para lutar em prol da justiça! Sinto que sempre serei protegido por Deus, enquanto eu fizer a coisa certa. Eu sou protegido. Enquanto eu não cumprir o meu propósito, a minha missão, aqui na Terra, eu serei imortal. Um dia eu morrerei. O meu lugar na sepultura já está reservado. Mas esse dia não é hoje. Espero fazer o bem e praticar a justiça enquanto eu estiver aqui na Terra. Quando eu morrer, quero sorrir para a morte, e perecer com a certeza, de que fiz a diferença, de que fui uma pedra-no-sapato do Diabo, e que fiz a coisa certa.

Há muita semelhança entre os ensinamentos das artes marciais e das Escrituras. Os princípios e valores são os mesmos. Princípios e valores de honra, de justiça, de integridade, de honestidade, de lealdade, de disciplina, de trabalho, de altruísmo, de compaixão e de coragem. Ensinamentos, estes, que não aprendi na "igreja", mas, sim, nas Escrituras e nas artes marciais. Lutar por aqueles que não podem lutar por si mesmos. Defender os mais fracos. Proteger os indefesos. Nunca aprendi isso na "igreja", pelo contrário, o que aprendi foi usar o Nome de Deus para "puxar o tapete e passar a perna nos outros" (malandragem gospel). "Paz e amor" só com os malfeitores, porque os fracos e indefesos tem que tratar na base da porrada mesmo (em Nome de Deus). Vejo mais Bíblia e mais princípios bíblicos nas artes marciais do que em muitas igrejas evangélicas por aí. Pais da Igreja como Clemente de Alexandria, Justino Mártir, Agostinho de Hipona e Tomás de Aquino reconheciam que a Glória de Deus se encontra até nas "filosofias humanas", ou seja, Deus fala por meio das Escrituras (isso é óbvio), mas Ele também pode usar outros métodos e outros meios para se comunicar com seus servos (claro, que não seja nada contrário aos ensinamentos bíblicos). Deus não é "essa coisa" formatada e idealizada pelos evangélicos, Ele é Yahweh, o Eterno.


PRINCÍPIOS E VALORES BÍBLICOS NAS ARTES MARCIAIS:


As principais virtudes do Bushido são Justiça (GI), Coragem (YUU), Compaixão (JIN), Respeito (REI), Sinceridade (MAKOTO), Honra (MEIYO) e Lealdade (CHUUGI). Essas são as verdadeiras características de um verdadeiro guerreiro (os mesmos princípios e valores éticos que a Bíblia, a Palavra de Deus, ensina).

A JUSTIÇA:

É quando o guerreiro opta por lutar pelo que é certo, quando o herói está disposto e determinado a fazer a coisa certa.

A CORAGEM:

Não é a ausência do medo, mas é a habilidade de superá-lo por uma causa maior. O guerreiro corajoso é aquele que supera o seu medo para poder ajudar os outros.

A COMPAIXÃO:

É a capacidade de se colocar no lugar do outro, ou seja, sentir e se compadecer da dor de seu semelhante.

O RESPEITO:

É respeitar os seus semelhantes (principalmente, os mais fracos e desamparados que precisam de proteção).

A SINCERIDADE:

É ser sincero e verdadeiro consigo mesmo e com os outros. Sempre falar a verdade, mesmo que isso não te beneficie. Ser correto e fazer o certo, mesmo, que você se “ferre e se lasque” por fazer a coisa certa.

A HONRA:

É a integridade e o caráter do herói, que mesmo diante das adversidades e da corrupção e degeneração humana, ele ousa ser bom. Ser um guerreiro honrado que usa os seus punhos e suas armas não por razões e motivos pessoais, mas apenas para promover a justiça e a paz.

A LEALDADE:

É quando o guerreiro é leal aos seus amigos e as pessoas que estão sob a sua proteção. As flechas do herói só devem ser lançadas em nome da justiça. Não justiça para si mesmo, mas justiça para aqueles a quem o herói jurou proteger.


REFUTANDO OS ARGUMENTOS BÍBLICOS DOS PACIFISTAS:


Os cristãos pacifistas, para sustentar a heresia do Pacifismo, se utilizam de versículos bíblicos fora de contexto, então, eu mostrarei os verdadeiros contextos dos versículos usados por eles. Para se compreender a Bíblia é preciso lê-la em seu contexto histórico e cultural. Sempre devemos ler os capítulos inteiros inseridos em seu contexto.

“No demais, irmãos meus, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder. Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do Diabo; porque não temos que lutar contra carne e sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais. Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes”. (Efésios 6:10-13) 

Inúmeros cristãos interpretam mal o capítulo 6 da Carta aos Efésios, porque eles confundem guerra espiritual com Pacifismo. O autor da Carta aos Efésios é também o autor da Carta aos Romanos. O apóstolo Paulo, o autor de ambas as Cartas, não era pacifista, pois se percebe claramente a sua posição em relação ao Estado no capítulo 13 da Carta aos Romanos. No capítulo 6 da Carta aos Efésios, o apóstolo Paulo usa puro simbolismo militar para se referir à armadura de Deus. O apóstolo Paulo constantemente usava o serviço militar como bom exemplo para a vida cristã. O fato de Paulo ter dito que a nossa luta não é contra carne e sangue (muito deturpado pelos pacifistas hipócritas), não significa que ele fez apologia ao Pacifismo. O capítulo 6 da Carta aos Efésios não invalida o capítulo 13 da Carta aos Romanos, portanto, o apóstolo Paulo não pregou o Pacifismo. O contexto de Efésios 6 é a luta da Igreja; e o contexto de Romanos 13 é a luta do Estado. A Igreja (instituição religiosa) não deve se engajar em lutas armadas, mas o Estado (que é ministro de Deus) tem a obrigação de lutar nas guerras físicas. A guerra da Igreja é espiritual; e a guerra do Estado é física. Paulo não era bipolar e nem esquizofrênico, ou seja, ele não tinha uma opinião em Romanos 13 e outra opinião em Efésios 6.

“Porque, andando na carne, não militamos segundo a carne. Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas, sim, poderosas em Deus, para destruição das fortalezas;”. (2 Coríntios 10:3-4)

Por isso, as armas carnais e humanas, tais como argúcia, habilidade, riqueza, capacidade organizacional, eloqüência, persuasão, influência e personalidade são em si mesmas inadequadas para destruir as fortalezas de Satanás; porque as únicas armas adequadas para desmantelar os arraiais do Diabo, as injustiças e os falsos ensinos são as armas que Deus nos dá. Esse trecho não se refere às armas bélicas, mas, sim, a capacidade humana; e para combater o Inferno precisamos das armas espirituais dadas por Deus, pois somos incapazes de vencermos Satanás e os seus demônios sozinhos.

“Ouvistes que foi dito: Olho por olho e dente por dente. Eu, porém, vos digo que não resistais ao mal; mas, se qualquer te bater na face direita, oferece-lhe também a outra;”. (Mateus 5:38-39)

Os fariseus deturpavam as Leis do Antigo Testamento para incentivar as pessoas ao ódio e a retaliação, porque olho por olho e dente por dente era na verdade as punições aplicadas pelas autoridades nos malfeitores e não um incentivo a represália do indivíduo (olho por olho e dente por dente era um ensinamento para que os criminosos fossem punidos de forma justa e não de maneira exagerada). Jesus condenou a vingança pessoal e não a legítima defesa, pois Ele usa muito simbolismo nas coisas em que ensina. Cristo, em outra parte da Bíblia, ensinou que se a sua mão direita te fizer pecar, se deve amputá-la. E se o seu olho direito te fizer pecar, se deve arrancá-lo. Oferecer a outra face está inserido no mesmo contexto. Jesus não falou para os cristãos se mutilarem e nem para serem sacos de pancadas dos outros. Tudo isso é puro simbolismo.

“Então, Jesus lhe disse: Embainha a tua espada; pois todos os que lançam mão da espada, à espada perecerão”. (Mateus 26:52)

Cristo não fez apologia ao Pacifismo, mas, simplesmente, falou que os violentos sofrerão violência. Se Pedro tivesse matado Malco, ele seria punido com a morte pelo Estado Romano e Jesus quis impedir que isso acontecesse. O próprio Cristo ordenou a Pedro para que ele comprasse aquela espada. Jesus devia cumprir com a profecia a seu respeito e Pedro quis impedir o cumprimento dessa profecia. Jesus não disse para Pedro jogar a espada fora, mas apenas para guardá-la. Paulo reconhece que o Estado tem o poder da espada (Machaira) para castigar os malfeitores (algo concedido e autorizado por Deus).

“E saberá toda esta congregação que o Senhor salva, não com espada, nem com lança; porque do Senhor é a guerra, e ele vos entregará na nossa mão”. (Samuel 17:47)

Quando Davi afirmou que do Senhor é a guerra, ou seja, de que a batalha pertence ao Senhor, ele quis dizer que nós, servos de Deus, devemos confiar no Altíssimo e não em nossa própria força ou em armas bélicas; entretanto, em nenhum momento, ele hesitou lutar contra Golias por causa disso, porque ele confiava no Senhor dos Exércitos.


SOBRE O SEXTO MANDAMENTO:


Os heróis podem matar os vilões para proteger os inocentes se for necessário, pois o Mandamento “Não Matarás” em sua tradução correta significa “Não Assassinarás”. O Sexto Mandamento em hebraico é “Lo Tirsah”, e em grego é “Ou Foneuseis”, e em ambas as línguas usadas na Bíblia original, esse Mandamento se refere somente ao assassinato criminoso e nunca a legítima defesa. Portanto, os inocentes têm o direito de se defender ou de serem defendidos por alguém.

O verbo hebraico “ratsach” usado nesse Mandamento no Antigo Testamento, e o verbo grego “foneuo” usado nesse Mandamento no Novo Testamento, sempre são usados para se referir ao assassinato criminoso, e nunca a legítima defesa e a pena capital (Machaira). Tanto o verbo hebraico “ratsach” quanto o verbo grego “foneuo” se referem ao homicídio ilícito. Portanto, matar para se defender ou para proteger alguém não é pecado. Seria uma grande incoerência Deus mandar os hebreus matarem nas guerras sendo que Ele mesmo disse “Não Matarás”, se no Sexto Mandamento Deus não se referisse somente ao homicídio criminoso (Deus não é bipolar).


SOBRE O SERVIÇO MILITAR:


“Nenhum soldado em serviço se embaraça com negócios desta vida, a fim de agradar àquele que o alistou para a guerra”. (2 Timóteo 2:4)

Há muitas semelhanças entre a vida cristã e o serviço militar, por isso, o apóstolo Paulo vivia comparando ambos. Os cristãos devem ser como soldados, isto é, devem acatar as ordens de seu Senhor e cumprir a sua missão.

Sobre os juramentos (como o Juramento à Bandeira), Jesus Cristo não condenou totalmente os juramentos. O que Jesus condenou foram às pessoas que não têm palavra, e precisam se garantir em juramentos para os outros acreditarem que elas estão falando a verdade. Algumas confissões de fé protestantes explicam bem sobre isso. Não há problema algum em fazer juramentos honrados em nome da paz, da justiça e do amor.

No Concílio de Jerusalém, em 50, os judeus cristãos decidiram que todos os seguidores de Jesus não devem comer alimentos sacrificados aos ídolos, nem praticar relações sexuais ilícitas, não comer animais que morreram sufocados e nem beber sangue. Na 1 Carta aos Coríntios, o apóstolo Paulo ensinou que os cristãos podem comer alimentos sacrificados aos ídolos sim, portanto, que não escandalizem os irmãos “fracos” na fé. Se os cristãos orarem para Deus abençoar os alimentos sacrificados aos ídolos, não há problema nenhum em comê-los. O sexo deve ser praticado somente dentro do casamento mesmo. No caso da proibição de comer animais que morreram sufocados isso era um ritual religioso do Judaísmo e não significa nada para os cristãos de hoje. O sangue foi proibido de ser ingerido, porque no contexto daquela época, os pagãos bebiam sangue para adorar os seus deuses. Entretanto, hoje, não há problema algum em comer frango ao molho pardo, chouriço ou até mesmo beber sangue de galinha para sobreviver na selva.

Em relação à “cultuar as tradições”, na verdade, os militares não prestam culto as tradições e nem aos heróis do passado, mas, simplesmente, eles relembram os feitos do passado e prestam homenagens a esses grandes guerreiros, no entanto, ninguém bate continência ou se curva diante de quadros e estátuas.


A DISTORÇÃO DO SENTIDO BÍBLICO DE LIDERANÇA (UMA CONSTRUÇÃO IDEOLÓGICA PARA DISTORCER O QUE A BÍBLIA ENSINA)


“Com grandes poderes, vêm grandes responsabilidades”.
(Benjamin Parker – Tio Ben)

Quando se é um líder, a cobrança é maior (principalmente, por parte de Deus). O que muitos evangélicos arrogantes não entendem (ou não querem entender mesmo) é que o sentido bíblico de liderança é servir, e não oprimir e humilhar os seus subordinados. Liderar é servir, no contexto bíblico. O líder (autoridade) não pode usar a ignorância como desculpa (para Deus, ignorância de quem está no poder não cola). Se você tem poder (autoridade) o seu dever é usar o seu poder para fazer o bem. Se você é forte, o seu dever é usar a sua força para proteger os fracos. A obrigação daqueles que tem poder é salvar aqueles que não tem poder. Com grandes poderes, vêm grandes responsabilidades. Se você é um líder e faz mau uso de sua autoridade, Deus, a AUTORIDADE SUPREMA, cobrará essa covardia de você. Se Deus te deu poder e força, o seu dever como homem, líder e autoridade, é usar esse poder e essa força somente para fazer o bem. Faça justiça aos oprimidos. Erga a voz em favor daqueles que não podem falar. Lute por aqueles que não podem se defender. Defenda os fracos. Liberte os acorrentados das correntes infernais da opressão. Use o seu poder para o bem.


CONCLUSÃO:


A "visão" que o mundo e a Igreja têm de Jesus é totalmente distorcida do Jesus verdadeiro revelado nas Escrituras. As pessoas enxergam Jesus como um tipo de "Hippie", um "grande pacifista", ou o "Bob Marley", menos o Messias relatado na Bíblia. O Jesus da Bíblia era desbocado (Ele era boca suja mesmo). O Jesus da Bíblia se indignava com as coisas erradas e criticava as injustiças que o povo sofria. O Jesus da Bíblia xingava, insultava e ofendia os fariseus e os saduceus (os religiosos hipócritas e falsos moralistas da época). O Jesus da Bíblia tinha compaixão pelos "pecadores" e amava os desamparados e os oprimidos. O Jesus da Bíblia elogiou a fé e a integridade de um militar, mas desprezou a religiosidade hipócrita e o falso moralismo dos fariseus. O Jesus da Bíblia era conhecido como o "AMIGO DAS PROSTITUTAS" (o amigo das "putas" mesmo). O Jesus da Bíblia comia e bebia com os "pecadores", porque Ele era o "AMIGO DOS PECADORES". O Jesus da Bíblia (segundo os fariseus) tinha o Diabo no corpo, porque Ele expulsava os demônios em nome de Belzebu. O Jesus da Bíblia pegou um chicote nas mãos e desceu a chicotada nos cambistas e saiu chutando as mesas lá no Templo de Jerusalém. Viram como o Jesus da Bíblia é um "Hippie e grande pacifista"? Quando uma mentira é dita mil vezes, ela se torna numa "verdade". Assim, se constrói uma construção ideológica.

Nós homens (principalmente, cristãos) temos a obrigação e o dever de defender e de proteger os mais fracos. As mulheres são tesouros que devemos honrar e proteger. Nós somos guerreiros e líderes por natureza, portanto, não podemos ser medrosos e covardes. Um cavaleiro prova o seu valor por meio dos seus atos. Seja um defensor. Seja um protetor. Seja um samurai.


AUTOR: Filipe Levi Viasoni da Silva, historiador e professor de História.

CONSTRUÇÕES IDEOLÓGICAS (OS ALICERCES DIABÓLICOS DO CRISTIANISMO)


“Hipócritas, bem profetizou Isaías a vosso respeito, dizendo: Este povo honra-me com os seus lábios, mas o seu coração está longe de mim. Mas em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos dos homens”. (Mateus 15:7-9)

Há mais de dois mil anos, o legalismo, o fanatismo e o fundamentalismo religioso se tornaram nos principais alicerces do Cristianismo. As quatro principais seitas do Judaísmo na época de Jesus (fariseus, saduceus, herodianos e essênios) não eram muito diferentes dos religiosos legalistas e fanáticos de hoje (na verdade, os cristãos conseguem ser piores). “Amor” virou sinônimo de omissão e de conformismo. “Paz” virou um termo banalizado e sem sentido. “Misericórdia” somente quando é conveniente, porque os “pecadores” tem que queimar no Inferno. “Não julgueis” virou sinônimo de conivência com o pecado. “A Letra Mata” virou desculpa para justificar a preguiça de ler a Bíblia. “Jejum” virou sinônimo de greve de fome para poder chantagear e barganhar com Deus. “Honrar os pais” é sempre no contexto da opressão. “Submissão ao marido” é sempre no contexto da opressão. “Respeitar os mais velhos” é sempre no contexto da opressão. Esses hipócritas, falsos, porcos, cães, covardes, tolos, idiotas e imbecis ainda não entenderam (ou não querem entender mesmo) que o sentido bíblico de liderança sempre foi servir, e nunca subjugar e oprimir. Uma mentira religiosa tem muito poder. Esse “telefone sem fio” infernal tem desgraçado a Igreja. Quando uma mentira é dita mil vezes, ela se torna numa “verdade”. Assim, se constrói uma construção ideológica. A Bíblia, a Palavra de Deus, ensina que os jovens são fortes e ousados, e não inúteis e descartáveis. A Bíblia, a Palavra de Deus, valoriza a mulher, e ensina que os homens devem honrá-las e protegê-las, e não espancá-las e estuprá-las (em Nome de Deus). A Bíblia, a Palavra de Deus, ensina que os pais devem cuidar de seus filhos e protegê-los, ou seja, os pais devem respeitar e honrar a sua prole. Uma geração que é incapaz de honrar e respeitar a sua mulher e seus filhos é incapaz de honrar e respeitar a Deus. O Pacifismo (Romanos 13:1-7), (1 Pedro 2:13-17) e (Lucas 3:14) e a satanização da sexualidade e do sexo (Cantares – Cântico dos Cânticos) não são ensinamentos bíblicos (são coisas do Diabo mesmo). A Bíblia (o Novo Testamento) nunca, jamais, ensinou que o serviço militar, a defesa pessoal, a legítima defesa, que a sexualidade e o sexo são coisas do Satanás (esses ensinamentos, que são diabólicos e demoníacos, são construções ideológicas construídas por Satanás, o Diabo, para poder desgraçar a Igreja e para pregar a omissão, a conivência e o conformismo diante do mal). Satanás, o Diabo, não é conhecido como o “Tinhoso”, porque é bobo, tolo, burro, ignorante e ingênuo. Esse cara não é conhecido como o “olho que tudo vê”, porque é cego e não sabe de nada. Satanás, o Diabo, além de ser músico, também era um líder militar (esse cara entende de estratégia). Se uma psicóloga comportamental e um sargento do Exército são espertos e sabem das coisas (não tem como eu tapeá-los), vocês, pensam mesmo, que vocês, crentes, conseguem enganar a Deus e o Diabo. Deus formou o olho, formou o ouvido e dá o conhecimento para os homens (Deus não é cego, não é surdo e nem burro). Não insultem a inteligência de Deus e nem menosprezem e subestimem o Diabo. Quando, vocês religiosos, vem com a farinha, Deus e o Diabo já vieram com o bolo. Vocês pensam que fazem Deus e o Diabo de idiotas, quando na verdade, os idiotas são vocês. O Diabo é o Pai da Mentira e o Enganador. Por favor, parem com esses seus bordões e chavões ridículos, tomem vergonha nessa cara, e vão estudar a Bíblia. Enquanto, vocês brincam de ser “crentes” e somente se importam em “bater cartão” na Igreja, o Diabo está destruindo vidas, famílias, casamentos, relacionamentos, Satanás está matando pessoas. (Filipe Levi)

sábado, 26 de maio de 2018

A OMISSÃO É PECADO (NÃO SE OMITA, FAÇA A DIFERENÇA)


Segundo, Agostinho de Hipona (Santo Agostinho), a esperança tem duas filhas, a indignação e a coragem. A esperança é esperar aquilo que não podemos ver, mas que acreditamos que está lá. A indignação nos ensina a não aceitar as coisas como estão, e a coragem nos dá força e ousadia para mudá-las. A construção ideológica mais usada por Satanás atualmente para ludibriar a Igreja é a construção ideológica de que "Jesus está voltando", e por causa disso os evangélicos cruzam os braços e não fazem nada, porque é o "fim dos tempos" e a "tendência é piorar mesmo". O Diabo conseguiu o que sempre quis, que a Igreja de Cristo se tornasse omissa e conformada e que não fizesse nada para se opor aos seus planos maléficos. Jesus pode voltar hoje como daqui há mais 2.000 anos. Parem de dar ouvidos a esses crentes loucos e pirados que ficam marcando a data da volta de Jesus. Deixem de ser idiotas! Parem com esses bordões e chavões e comecem a levar as coisas de Deus verdadeiramente a sério. Vão ler a Bíblia!!! Vão estudar Teologia!!! Estudem a História da Igreja e procurem ter compromisso com as coisas do Reino de Deus. Nós temos a obrigação e o dever de arregaçar as mangas para ajudar as pessoas que precisam de nossa ajuda. Devemos amparar os órfãos e as viúvas. É nossa missão lutar por aqueles que não podem lutar por si mesmos. Temos que proteger os indefesos. Não nos furtemos a fazer o bem a quem de direito, estando em nossas mãos o poder de fazê-lo. A OMISSÃO TAMBÉM É PECADO!!! Jesus Cristo, os apóstolos, os profetas e os Pais da Igreja (sérios) nunca ensinaram a omissão e o conformismo, pelo contrário, eles sempre nos ensinaram a fazermos a diferença e não nos conformarmos com as coisas erradas deste mundo. O fato de Jesus estar voltando (ou não) não é desculpa para usar como bordão para justificar a omissão diante do mal. (Filipe Levi)

NÓS SOMOS TÃO JOVENS (NÓS PODEMOS MUDAR O MUNDO)


“Lembra-te do teu Criador nos dias da tua mocidade, antes que venham os maus dias, e cheguem os anos dos quais dirás: Não tenho neles prazer”; (Eclesiastes 12:1)

Nós somos tão jovens! Não precisamos ter pressa de viver. Gostar da vida não é vergonhoso. Não devemos temer a morte, mas também não precisamos nos apressar para chegar até ela. Nós somos fortes, ousados, falamos o que pensamos e nos arriscamos pelo que acreditamos. Devemos focar nossa revolta e rebeldia em algo que vale à pena. Devemos lutar pelo que acreditamos. Devemos fazer o bem sempre. Não podemos nos cansar de fazermos o bem a quem de direito. Nós podemos fazer a diferença. Nós temos a força, a coragem e a ousadia para isso. Os velhos de cultura e de espírito só sabem viver de saudosismo barato e não são capazes de se desprender do passado. Nós somos o presente e o futuro. Podemos aprender com o passado, mas não devemos nos prender a ele (o passado não pode ser uma âncora em nossas vidas). Os velhos de cultura e de espírito temem o moderno, o novo. Nós podemos e devemos mudar tudo o que precisa ser mudado. Devemos, sim, nos indignar com as coisas erradas e tentar mudá-las. Agostinho de Hipona nos ensinou que a Esperança tem duas filhas lindas, a indignação e a coragem. A indignação nos faz não nos conformarmos com as coisas que estão erradas, e a coragem nos faz querer mudá-las. Não liguem para esses “velhos hipócritas” que não vivem e nem praticam o que pregam (sempre usam o mesmo discurso e só sabem usar bordões e chavões). Sejam diferentes, façam a diferença! Nós podemos mudar o mundo e impactar a sociedade com os nossos princípios e valores (princípios éticos e valores morais). Princípios de amor e de justiça e valores de honra e de paz. Nós podemos mudar o que está errado. Nós somos fortes! Nós somos jovens! Nós podemos mudar o mundo. Nós podemos fazer a diferença. (Filipe Levi)

ESTOICISMO E ASCETISMO (LEGALISMO RELIGIOSO)



Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? E em teu nome não expulsamos demônios? E em teu nome não fizemos muitas maravilhas?
E, então, lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade.
(Mateus 7:22-23)

O maior problema da religião (principalmente, do Cristianismo) é o maldito, demoníaco, satânico e diabólico legalismo religioso. O que é o legalismo religioso? É o religioso legalista que adora cobrar uma “santidade” dos outros (grandes pecadores imundos), que ele próprio não vive e nem pratica, mas que não perde uma oportunidade de “apontar o dedo imundo” para os “grandes pecadores” para cobrar uma “santidade” que o próprio Deus nunca cobrou de ninguém. Os religiosos legalistas querem ser mais “santos” do que o próprio Espírito Santo. Os fariseus querem ser mais “santos” do que o próprio Jesus (O AMIGO DOS PECADORES – O AMIGO DAS PROSTITUTAS). Os fundamentalistas e fanáticos querem ser mais “santos” do que o próprio Yahweh, o ETERNO. Uma característica interessante e intrigante dos religiosos legalistas é que (ELES SEMPRE PECAM ESCONDIDOS), mas adoram cobrar “santidade” dos outros. Tanto o Estoicismo quanto o Ascetismo (legalismo e fanatismo) são diabólicos e satânicos (o legalismo e o fanatismo são do Diabo mesmo). Isso não significa que o Epicurismo e o Hedonismo (libertinagem e promiscuidade) também seja o correto e o certo a se fazer. Nós, cristãos, Igreja de Cristo e povo de Deus, devemos pregar que é pecado somente o que a Bíblia, a Palavra de Deus, de fato ensina que é pecado. Nós devemos buscar a santidade sim, mas a santidade bíblica. Nós devemos buscar a Deus por amor, e nunca por medo. Praticar o bem por interesse (para ganhar alguma vantagem em troca) e não praticar o mal por medo de ser punido (punição e castigo), não é uma virtude. (Filipe Levi)


Parte superior do formulário

A LÓGICA DA TIRANIA E DA OPRESSÃO (NÃO SEJA UM COVARDE)


“Covarde não é aquele que evita um combate, covarde é aquele que mesmo sabendo que é superior luta e fere o mais fraco”. (Bruce Lee)

A lógica da tirania e da opressão é sempre descontar a sua frustração e fúria no mais fraco (em quem não pode revidar), ou seja, em quem está “abaixo de você”. Geralmente, aquele cara “machão” que mais lambe as botas do patrão é quem humilha mais a faxineira. Geralmente, o “opressor covarde” só sabe ser “corajoso e valentão” com os mais fracos (aquele cara que é tão macho, mas tão macho, que só sabe descer a porrada em mulheres, em adolescentes e em crianças). O interessante que peitar bandidos, terroristas e os anjos do Inferno, ninguém quer (nessas horas ninguém é macho, não é)? Podem acreditar, geralmente, aquele cara que precisa humilhar e subjugar os outros para se autoafirmar como “homem”, geralmente, é um “gay enrustido”, ou seja, é uma “tremenda de uma BICHONA”. Para mim, o cara que é homem mesmo, tem atitudes de um homem de verdade. O homem de verdade respeita as mulheres, as crianças e os mais fracos. O homem que é macho mesmo está disposto a se sacrificar lutando em prol dos outros. O homem de verdade é corajoso e valente quando é preciso ser (não só com quem é mais fraco e não pode revidar). O homem de verdade honra, respeita e protege a sua esposa. O homem de verdade respeita e cuida dos seus filhos, ou seja, protege e honra a sua prole. Homem de verdade é honesto e íntegro quando ninguém está olhando (há diferença entre reputação e caráter). Ser homem não é só ter uma “piroca e um saco escrotal” entre as pernas, mas é ter atitudes de um macho de verdade. (Filipe Levi)

NA LISTA DOS MAIS PROCURADOS (REBELDE, GÊNIO E LIBERTADOR)


"Como leão que ruge e urso que ataca, assim é o perverso que domina sobre um povo pobre." (Provérbios 28:15)

Eu não tenho culpa se a Bíblia, a Palavra de Deus, ensina que a Polícia e as Forças Armadas são autoridades estabelecidas por Deus e que são ministros de Deus para fazer justiça (usando a força bruta, a violência mesmo), tudo isso está registrado no Novo Testamento (Romanos 13:1-7), (1 Pedro 2:13-17) e (Lucas 3:14). Não é culpa minha se o Livro (Cantares – Cântico dos Cânticos) ensina que o sexo (sexualidade) é de Deus, e não do Satanás (no contexto do casamento, portanto, não vai “comer” sua namorada, seu vacilão).
Sobre o "Não Julgueis", em nenhum momento Jesus pregou a omissão e o conformismo nesse contexto, mas apenas criticou a hipocrisia dos "fariseus" que adoravam apontar o seu "dedo imundo" para os outros sem ter moral para isso, sendo que eles faziam coisa pior do que as pessoas que eles criticavam. O próprio Jesus, os apóstolos e os profetas da Bíblia julgavam os homens maus e criticavam as injustiças.
O verdadeiro contexto de Efésios 4 nunca foi sobre "xingamentos e palavrões". Os fariseus legalistas com certeza irão me acusar de eu querer distorcer a Bíblia para forçá-la a pregar o que eu quero (porque os legalistas fazem isso, então, eles acham que os outros fazem também). Palavra "torpe" significa palavra "enganosa, falsa ou desonesta" e o verdadeiro contexto de Efésios 4 se refere a conversas fúteis, fofocas, calúnias e difamações (tipo, as conversas de muitos crentes que adoram pregar que tudo é do Diabo, fazer fofoca sobre a vida dos outros, caluniar e difamar as pessoas, que adoram publicar e compartilhar futilidades, ou seja, nada que seja proveitoso e útil). O próprio Deus cansou de chamar os falsos profetas e líderes religiosos mercenários de filhos de prostitutas e de filhos de meretrizes (de filhos da puta mesmo). O próprio Jesus (o "paz e amor") vivia xingando, insultando e ofendendo os fariseus e saduceus, que eram os religiosos hipócritas e falsos moralistas da época (isso porque Jesus é só "paz e amor" e não tem senso de justiça). Tipo, a tradição de que Levítico 19:28 está satanizando tatuagem (sendo que o contexto se refere a uma prática pagã em que alguns povos se autoflagelavam em homenagem aos seus entes queridos mortos, ou seja, o contexto desse capítulo nem sequer está falando de tatuagem). Tipo, que se te "baterem na face direita ter que oferecer a outra", mas arrancar o olho direito e cortar a mão direita ninguém quer (o contexto é alegórico, ou seja, é puro simbolismo). Na Igreja Primitiva tiveram inúmeros cristãos primitivos que se castraram (cortaram a piroca fora mesmo), porque interpretaram essas passagens bíblicas no sentido literal, ou seja, eles não sabiam o básico da exegese (como muitos “doutores e teólogos” de hoje também não sabem). Muitas coisas que são ensinadas na Igreja como sendo “pecados” são tradições humanas, ou seja, tradições de homens, porque a própria Bíblia, a Palavra de Deus, nunca ensinou que tais práticas são pecados (são pecados só na cabecinha dos fariseus legalistas mesmo). (Filipe Levi)

sexta-feira, 25 de maio de 2018

VIDA DE GUERREIRO (A VIDA É UMA GUERRA)


“Todo guerreiro já ficou com medo de entrar em combate.
Todo guerreiro já perdeu a fé no futuro.
Todo guerreiro já trilhou um caminho que não era dele.
Todo guerreiro já sofreu por bobagens.
Todo guerreiro já achou que não era guerreiro.
Todo guerreiro já falhou em suas obrigações.
Todo guerreiro já disse "SIM" quando queria dizer "NÃO".
Todo guerreiro já feriu alguém que amava.
Por isso, é um guerreiro; porque passou por estes desafios, e não perdeu a esperança de ser melhor do que era."

quinta-feira, 24 de maio de 2018

SE EU AJUDAR UMA PESSOA A TER ESPERANÇA NÃO TEREI VIVIDO EM VÃO (EU QUERO FAZER A DIFERENÇA)


Diversas vezes, pedi para o próprio Deus, o Todo-Poderoso, me matar, mas Ele, por alguma razão, ainda não atendeu esta minha oração. Por que será que ainda estou vivo? (Deve haver algum propósito para o meu nascimento. Deve mesmo haver algum bom motivo para eu ainda estar vivo). O que o Deus de Israel quer de mim? Qual é o meu propósito? Qual é a minha missão? Qual é o meu destino?
Vejo tantas famílias, casamentos, relacionamentos e vidas destruídas pelas Forças do Mal e sou obrigado a assistir tudo de braços cruzados, pois sozinho, não posso fazer muita coisa (um simples beija-flor, sozinho, não pode apagar um incêndio na floresta).
Vários de meus amigos e muitas pessoas que conheci durante a minha vida que foram criadas na Igreja se desviaram por causa de decepções e frustrações, e, principalmente, por causa do legalismo e da hipocrisia dos crentes safados que só sabem oprimir e subjugar os mais jovens em nome de um falso moralismo e de uma “falsa santidade” que eles mesmos não praticam, mas que adoram cobrar dos outros. Incontáveis, adolescentes e jovens, têm suas vidas ceifadas e os crentes mais velhos não se importam com isso (esses velhos hipócritas preferem continuar “batendo cartão” na Igreja e brincando de ser “crente”, do que se importar de verdade com as vidas das pessoas que estão sendo destruídas e ceifadas pelo Diabo, por meio do pecado, cujo salário é a morte). 
Quem me dera se Deus regenerasse a minha alma por completo e me desse à capacidade e as condições necessárias para resgatar as vidas que estão sendo escravizadas por Satanás, o Diabo.
Os teólogos e apologetas estão mais preocupados em defender as suas opiniões pessoais (que, geralmente, costumam ter uma forte tendência ao legalismo, ao fanatismo e ao fundamentalismo religioso) do que ensinar de fato o que a Bíblia, a Palavra de Deus, ensina. Esses fariseus da modernidade preferem endeusar e cultuar os Pais da Igreja (depois, só os católicos é que são os idólatras) do que se preocupar e se importar realmente de fato com o que as Escrituras ensinam.
Gostaria muito de ser amigo de Deus e de ser usado grandemente como os heróis do passado (homens, que estavam à frente do seu tempo e que fizeram a diferença na sua época) para combater a maldade neste mundo tenebroso, degenerado e corrompido, fazendo o bem, protegendo os fracos, libertando os oprimidos, dando esperança aos perdidos e tentando ajudar as pessoas que precisam de ajuda, fazendo, assim, a diferença. Se eu conseguir dar esperança a uma só pessoa; se eu conseguir salvar uma só vida; se eu conseguir ajudar uma só pessoa, talvez, assim, a minha vida não tenha sido em vão. Eu quero fazer a minha existência aqui na Terra valer à pena. Eu quero fazer a diferença. (Filipe Levi)

quarta-feira, 23 de maio de 2018

A VIDA É UMA GUERRA (A GUERRA SEMPRE COBRA O SEU PREÇO)


“Você não saberá para que serve a oração até que saiba que a vida é uma guerra”. (John Piper)

A guerra sempre cobra o seu preço. Muitas vezes, o preço é alto demais. Todos os heróis passam por eventos traumáticos. Parece clichê o que direi, mas, muitas vezes, Deus nos coloca no deserto para testar e provar os nossos princípios, valores e ideais, para assim poder conhecer o que está no nosso coração. Apesar das cicatrizes serem como medalhas (elas nos lembram que aquilo que tentou nos matar, não conseguiu), o ferido nunca mais volta a ser o mesmo. Todos os heróis devem pagar um preço pelo seu heroísmo. Em muitos casos, a felicidade é o preço a ser pago (um preço alto demais, mas necessário). Nós servimos a Deus, combatemos o mal e fazemos o bem, não para sermos felizes, mas porque é a coisa certa a se fazer. Entre ser feliz e fazer o que é certo, nós devemos fazer a coisa certa. Eu já desisti de mim há muito tempo. Eu só cumpro ordens. Eu sou apenas uma ferramenta nas mãos de Yahweh. Eu nem existo. Eu sou uma arma. O meu propósito, a minha missão, o meu destino é fazer a diferença, mesmo que isso custe a minha própria felicidade. Alguém tem que fazer, porque não tem homem para fazer. Alguém precisa confrontá-los. Alguém precisa dar um basta nisso. Alguém tem que tomar a iniciativa e fazer. Eu não me importo em ser ferido ou ser morto, se for por uma boa causa. O meu motivo é justo; e estou disposto a morrer por isso. De repente, é por isso que eu sou um depressivo com tendência suicida, porque se eu fosse uma “pessoa normal”, eu não estaria disposto a fazer, o que todos os homens têm medo de fazer, fazer a diferença. (Filipe Levi)

terça-feira, 22 de maio de 2018

AS TRÊS INSTITUIÇÕES DIVINAS (A FAMÍLIA, A IGREJA E O ESTADO)



Filipe Levi 22/05/18
AS TRÊS INSTITUIÇÕES DIVINAS (A FAMÍLIA, A IGREJA E O ESTADO)


INTRODUÇÃO:


Segundo a Bíblia, a Palavra de Deus, existem três instituições que o próprio Deus instituiu para o bem-estar da sociedade, que são: a família, a Igreja, e o Estado. Neste texto, pretendo contar o dever e as qualidades de cada uma dessas instituições, que foram instituídas por Deus.


O ESTADO (O AGENTE DA JUSTIÇA DE DEUS):


“Obedeçam às autoridades governamentais, porque Deus foi quem estabeleceu todas elas. Não há governo, em parte alguma, que Deus não tenha colocado no poder. Portanto, aqueles que se recusam a obedecer às autoridades estão se recusando a obedecer a Deus, e o castigo virá sobre eles. Pois os governantes devem ser temidos apenas por aqueles que praticam o mal. Assim, se você não quiser ter medo da autoridade, guarde as leis e pratique o bem e tudo irá bem. Pois a autoridade é enviada por Deus para o seu bem. Mas, se você estiver fazendo algo errado, é natural que deve ter medo, pois ela terá de castigá-lo. Ela é serva de Deus, agente da justiça para castigar quem pratica o mal. Assim, vocês precisam obedecer às autoridades por duas razões: para evitar o castigo e por uma questão de consciência. Paguem também seus impostos, por essas mesmas razões. Porque as autoridades do governo estão a serviço de Deus, dedicadas a continuar a fazer essa obra. Dêem a cada um o que lhe é devido; paguem seus impostos e tributos, obedeçam aos seus superiores, e honrem e respeitem a todos aqueles a quem isso for devido”. (Romanos 13:1-7)

O apóstolo Paulo reconheceu que o Estado é necessário para se manter a paz na Terra. Para Paulo, é necessário que haja um governo para se manter a lei e a ordem no mundo. Segundo o apóstolo, os agentes do Estado (militares, policiais, e magistrados) têm a autorização de Deus para usarem a força e até mesmo armas letais para poderem fazer justiça (dentro da lei, claro). Deus estabeleceu o governo sobre a Terra, para que os governantes e seus agentes (autorizados por Deus para usarem a violência se for necessário) combatam o crime, punindo os maus e louvando os bons. Todos, nós, cristãos, temos o dever cívico de nos sujeitarmos às autoridades governamentais, e de interceder em favor dos governantes, e de todos os homens investidos de autoridade (1 Timóteo 2:1-4).

“Pelo amor que vocês têm ao Senhor, obedeçam a todas as leis do governo; sejam as do rei, como a autoridade maior, sejam as que são dos oficiais do rei, pois ele os enviou para castigar todos os que fazem o mal e honrar aqueles que fazem o bem. É da vontade de Deus que a vida correta de vocês faça com que se calem aqueles que insensatamente condenam o Evangelho sem saberem o que ele pode fazer por eles, pois nunca experimentaram o seu poder. Vocês estão livres da lei, porém, isso não quer dizer que estão livres para fazer o mal. Vivam como aqueles que são livres para fazer somente a vontade de Deus em todas as ocasiões. Mostrem respeito para com todos. Amem os irmãos em toda parte. Temam a Deus e respeitem o governo”. (1 Pedro 2:13-17)

Segundo o apóstolo Pedro, o governo também é necessário na ordem estabelecida por Deus, para refrear o mal, castigando os malfeitores e enaltecendo os cidadãos de bem. Para Pedro, os cristãos devem ser cidadãos exemplares e também devem se submeter às autoridades constituídas, porque essa é a vontade de Deus (portanto, que as autoridades não obriguem os cristãos a desobedecerem as Leis de Deus).


A IGREJA DE CRISTO (O POVO DE DEUS):

A Igreja de Cristo tem o dever de acolher e amparar os órfãos e as viúvas, de interceder em favor das autoridades governamentais, de se engajar em causas sociais, e de pregar o Evangelho a todas as pessoas. A Igreja não tem cumprido com o seu papel nos últimos tempos, e Deus cobrará isso dela. Infelizmente, quando há liberdade demais, a Igreja se acomoda no pecado e fica apática, mas quando há perseguição, aí a Igreja volta a cumprir o seu papel, que é mostrar a Salvação de Jesus Cristo para o mundo. A Igreja Cristã tem que amar os seres humanos, porque os homens são alvos do amor de Deus. O Altíssimo ama tanto o ser humano, que Ele enviou o seu Único Filho para sofrer e morrer no lugar das pessoas, para que elas sejam salvas do poder do pecado, que as sentencia a morte eterna. Jesus sofreu e morreu numa cruz, para que eu e você fôssemos salvos. Quem reconhecer Jesus Cristo como o seu Único e suficiente Salvador, ganhará a vida eterna, e escapará das chamas do Inferno, que é o lugar reservado para todas as pessoas que rejeitam o Espírito Santo e o sacrifício de Jesus. A Igreja precisa mostrar isso para os homens. A guerra da Igreja é a Guerra Espiritual, registrado em Efésios 6 (isso não invalida a função e o dever do Estado, que está registrado em Romanos 13).


A FAMÍLIA (O PRINCIPAL ALICERCE DA SOCIEDADE):


A instituição mais importante criada por Deus é a família, ao contrário, do que os ateus marxistas pregam, a família não é um conceito burguês, mas é um sonho de Deus. A família é o principal alicerce de todas as sociedades civilizadas (até das tribos). Nenhuma sociedade sobrevive sem a família. Todos precisam de uma família, e do amor e do apoio dos familiares para que cresçam e progridam na vida. A família é a principal instituição divina.


O DEVER DO MARIDO (HONRAR E PROTEGER):

"Homens com almas cheias do Evangelho não verão as mulheres como coisas para manipular ou controlar, mas como tesouros para honrar e proteger." — John Piper

A Bíblia, a Palavra de Deus, nunca foi machista. Infelizmente, as pessoas tem uma visão distorcida de Deus, de Jesus e da Bíblia. As Escrituras sempre ensinaram que o dever do homem é cuidar de sua família e proteger os mais fracos. Deus sempre abominou a covardia e teve aversão aos homens covardes. A obrigação dos homens é honrar e proteger as mulheres. O dever do homem, como marido, pai, líder e autoridade, é proteger os mais fracos. Homem de verdade não oprime os fracos. Um líder de verdade não humilha os seus subordinados, mas dá o exemplo. Alguém honrado é íntegro, corajoso, valente, altruísta, cuidadoso e protetor. Não é o que vejo nos homens da Igreja e da sociedade (pelo menos, em sua maioria, não passam de um bando de covardes). Satanás, o Diabo, sabe que quando as pessoas tem uma imagem distorcida de sua referência paterna, elas terão sérias dificuldades em se relacionar e buscar a Deus. Você quer ser um homem de verdade? Então, tenha hombridade e atitudes de um macho de verdade. Os homens devem honrar, valorizar, respeitar e proteger as suas mulheres, mesmo, que isso comprometa a sua integridade física ou até ponha em risco a sua própria vida. O seu dever, homem, é honrar e proteger a sua esposa. Valorize a sua mulher, como sendo um tesouro. O cavaleiro deve proteger a sua princesa. O guerreiro deve defender a sua rainha. Seja um homem de verdade. Respeite e valorize a sua mulher. Um homem cheio do Evangelho deve honrar e proteger a sua amada.

"O marido cristão mostra o que pensa de Cristo pela forma como ele trata a sua esposa." - John Mac Arthur.

AUTOR: Filipe Levi Viasoni da Silva, historiador e professor de História.

segunda-feira, 21 de maio de 2018

MINISTROS DE DEUS (FAÇA A DIFERENÇA)




“No Rio de Janeiro, existem mais de 700 favelas. Todas essas favelas são dominadas por quadrilhas de traficantes armados até os dentes. Por isso, o policial aqui tem 3 opções: ou se corrompe, ou se omite, ou vai pra guerra. Meu nome é Capitão Nascimento, eu chefiava a equipe Alfa do BOPE, estava nessa guerra há muito tempo e já estava ficando cansado dela”. (Roberto Nascimento)

Apesar da corrupção e da degeneração humana que assola o Brasil, ainda existem policiais e militares honestos que tentam fazer a diferença (Lucas 3:14). Os bons policiais e bons soldados são verdadeiros ministros de Deus (Romanos 13:1-7) e (1 Pedro 2:13-17) que tentam fazer a justiça prevalecer neste país corrupto e degenerado. Assim, como os aspirantes a oficiais, Matias e Neto, o policial de verdade deve ter a inteligência e o coração de um policial. Tenha a inteligência de um estrategista e o coração de um verdadeiro herói. O Neto e o Matias eram uns anjinhos, policiais inocentes e ingênuos, mas eram de homens assim que o Capitão Nascimento precisava para poder bater de frente com o Sistema (corrupção). Se todos são maus, ouse ser bom. Se todos são corruptos, ouse ser honesto. Se todos são infiéis e desleais, ouse ser fiel e leal. Se todos são covardes, ouse ser valente. Se todos tem medo, ouse ter coragem. Seja diferente. Seja íntegro. Faça a diferença. (Filipe Levi)


OS "HISTORIADORES DE INTERNET" (A IGNORÂNCIA DOS RELIGIOSOS)


“Pois atam fardos pesados e difíceis de suportar, e os põem sobre os ombros dos homens; eles, porém, nem com o dedo querem movê-los”. (Mateus 23:4)

Com o advento da Internet, as mulas e jumentos ganharam voz (maldita inclusão digital). Quando é para pregar que as coisas são do Diabo, todo mundo é historiador. Os “historiadores de Internet” (geralmente, Testemunhas de Jeová e evangélicos que não terminaram nem o Ensino Fundamental) ficam pregando em incontáveis sites que tudo é coisa do Capeta. O que eles gostam é de Jesus, mas o que eles não gostam é “tudo coisa do Satanás”. Todos são “teólogos e historiadores”. Para esses religiosos legalistas, tudo é do Diabo, menos o que de fato é do Diabo. Para esses fariseus hipócritas, tudo é pecado, menos o pecado. Os legalistas sempre querem impor o seu legalismo para os outros (uma “santidade” que eles próprios não vivem, mas que adoram cobrar dos outros). Se você quer ser pacifista (Romanos 13:1-7), (1 Pedro 2:13-17) e (Lucas 3:14), o problema é seu, mas não coloque palavras na boca de Deus, que Deus nunca disse. Se você não quer “trepar” com sua esposa (fazer sexo), não invente coisas na Bíblia que não tem na Bíblia (Cantares – Cântico dos Cânticos). Se você é loucamente apaixonado pelo Diabo (não consegue viver sem o Capeta) o problema é seu, mas, por favor, não banque o teólogo e o historiador, quando você é um ignorante que não sabe nem o básico da História e da Bíblia. Realmente, a Internet (principalmente, as redes sociais) se tornaram num antro de antas e de imbecis. Só tem idiotas nessas merdas. (Filipe Levi)

AS CORRENTES DA IGNORÂNCIA QUE OS TOLOS VENERAM


"Há duas injustiças que o SENHOR abomina: que o inocente seja condenado e que o culpado seja colocado em plena liberdade como justo". (Provérbios 17:15)

O impressionante da sociedade (principalmente, entre os religiosos) é que a culpa é sempre do oprimido, e nunca do opressor. A vítima é sempre a culpada, mas o bandido é o “coitadinho e excluído” da sociedade. Se a mulher é estuprada, a mulher que é uma “vagabunda e safada”, porque o estuprador é um “coitadinho que sofreu muito na vida”, ou seja, a culpa é sempre da mulher. Se os filhos (crianças, adolescentes e jovens) são oprimidos, espancados, abusados e humilhados, a culpa é sempre dos filhos, sobrinhos e netos, porque os pais “pagam as contas e sustentam a casa”, portanto, as crianças, os adolescentes e os jovens, devem ser espancados, abusados, oprimidos e humilhados mesmo, porque essa é a “vontade de Deus”. Se a mulher apanha do marido, não é valorizada, não é respeitada, não é honrada, não é protegida, é traída, é tratada como “empregada e escrava”, o marido está “certo e coberto de razão”, porque ele também “paga as contas e sustenta a casa”, portanto, a esposa tem que “levar porrada mesmo”, porque essa é a “vontade de Deus”. Se o pastor só sabe explorar e extorquir as ovelhas, ele tem esse direito, porque o pastor é o “ungido do Senhor”. O interessante é que os seres humanos (principalmente, os crentes) inventam essas “merdas”, aí falam que foi Deus quem disse. Colocam palavras na boca de Deus que Deus nunca falou, e depois jogam a culpa na Bíblia. Os religiosos fazem “a cagada” aí depois quem leva a culpa é Deus, como sempre. (Filipe Levi)

sexta-feira, 18 de maio de 2018

SEJA UM CRISTÃO BEREANO (ESTUDE A BÍBLIA)


"Não importa de quem seja a interpretação, do teólogo famoso, do professor experiente, do pastor novato ou do pastor ancião, enfim, seja de quem for, o correto é verificar nas Escrituras a veracidade do que está sendo dito.
Não tenha receio de ser um "cristão bereano"!