quarta-feira, 13 de junho de 2018

BIZARRICES DO CRISTIANISMO (HERESIAS DIABÓLICAS)



Filipe Levi 13/06/18
BIZARRICES DO CRISTIANISMO (HERESIAS DIABÓLICAS)

"Religião é a busca do homem a Deus, por isso, há muitas religiões. Mas, o Evangelho é Deus buscando o homem, por isso, só há um Evangelho". (Stanley Jones)
Antes de eu começar a meter o pau nas religiões cristãs, quero deixar bem claro que admiro muito Jesus Cristo e para mim Ele é um bom exemplo a ser seguido, ou seja, não tenho nada contra o Filho de Deus, mas, sim, contra os cristãos que denigrem a imagem do Evangelho, do Cristianismo.
Desde o primeiro século, a Igreja Cristã se envolveu com a hipocrisia e os cristãos primitivos pregavam ensinamentos que Jesus e seus apóstolos nunca pregaram, como, por exemplo, a demonização das autoridades governamentais, o antissemitismo e a satanização da sexualidade e do sexo. Os cristãos e os hebreus não se davam bem e se odiavam, e a maioria dos seguidores de Cristo não se alistava no Exército e nem ocupava cargos públicos, pois acreditava que as instituições humanas eram demoníacas. O apóstolo Paulo disse que as autoridades governamentais são instituídas (estabelecidas, colocadas no poder) por Deus e que são ministros de Deus para castigar os malfeitores e louvar os cidadãos de bem (Romanos 13:1-7), mas os “cristãos pacifistas” ignoraram isso descaradamente. Pedro ensinou exatamente a mesma coisa (1 Pedro 2:13-17). João Batista apoiava o serviço militar, portanto, que os soldados exercessem a sua função e dever com honestidade (Lucas 3:14). O próprio Jesus reconheceu que a autoridade que Pilatos tinha fora concedida por Deus, e Ele mesmo ensinou que é para dar a César o que é de César e a Deus o que é de Deus.
A Igreja Primitiva se auto-intitulava “Ekklesia”, e esse nome em sua origem significava “assembléia popular”, formada por cidadãos, que se reuniam para discutir sobre política, em Atenas, na Grécia. O apóstolo Paulo constantemente usava o serviço militar como bom exemplo para a vida cristã. Então, será mesmo que as autoridades constituídas são do Diabo ou elas foram instituídas por Deus como as Escrituras Sagradas ensinam?
Agora, eu contarei os podres de alguns “santos” Pais da Igreja, homens que se diziam “ungidos de Deus”, mas que pregavam heresias.
Tertuliano de Cartago no começo realmente combatia ensinamentos heréticos, e em seu livro “APOLOGÉTICUM”, ele usava como bons exemplos os cristãos que eram soldados e políticos; mas, quando Tertuliano aderiu uma seita chamada Montanismo (a seita do “ungido” do Montano), ele passou a endiabrar as autoridades instituídas pelo próprio Deus e a satanizar o casamento, a sexualidade e o sexo, e até escreveu um livro chamado “A COROA DOS MILITARES” em que o Exército é demonizado.
Hipólito de Roma era um encrenqueiro que caluniava todo mundo e ele criou uma lista ridícula de profissões proibidas em que certos ofícios eram endiabrados. Em sua “lista santa” os cristãos que exerciam cargos nas Forças Armadas, no magistrado civil, ou na política tinham que ser expulsos das igrejas, porque exerciam profissões profanas. Eu gostaria de saber onde esse “santo” viu isso na Bíblia ou será que ele teve uma revelação extra-bíblica?
Orígenes de Alexandria acreditava na reencarnação e no Universalismo (teoria em que até Satanás e seus demônios serão salvos). Apesar dele não concordar com as guerras que o Império Romano promovia, ele não endiabrava o serviço militar em si, mas esse “santo” também cometeu a burrice de satanizar a sexualidade e o sexo, porque ele chegou ao ponto insano de se castrar (cortar a piroca fora mesmo).
Cipriano de Cartago ensinava que o Diabo é o pai dos judeus e era outro que também adorava demonizar as autoridades constituídas. Ele odiava os hebreus como muitos outros Pais da Igreja também odiavam. Se os judeus não prestam, então, Jesus não devia prestar, pois Ele também era judeu. Sem contar, que o “santo e ungido” do Cipriano também pregava que quem salva é a Igreja e não o sacrifício de Jesus. Quanta incoerência!
Lactâncio era apologista do imperador Constantino, porém, foi outro que também endiabrou o Exército, algo que eu acho um tremendo absurdo, porque na sua época o culto imperial foi abolido e o próprio Constantino era simpatizante do Cristianismo, portanto, não havia mais perseguições e nem práticas idolátricas no serviço militar.
Com o Concílio de Nicéia, surgiu o Catolicismo, e no começo a Igreja Católica buscava a Deus e não se envolvia com a idolatria e nem com a corrupção, entretanto, com o passar do tempo, a Igreja Cristã passou à idolatrar os santos e a Maria, pois o Paganismo foi introduzido no Cristianismo.
Durante a Idade Média, a Igreja Católica perseguiu, torturou e assassinou inúmeras pessoas inocentes, apenas, porque discordavam de seus preceitos religiosos. As supostas “bruxas” (mulheres inocentes que foram mortas sem piedade, apenas, por terem uma religião diferente) e os “hereges” (cristãos autênticos e verdadeiros) eram queimados vivos nas fogueiras da Inquisição.
O Catolicismo pregava o “Evangelho do Medo” (algo que muitas igrejas evangélicas pregam hoje), e por meio desse falso evangelho, o Clero explorava constantemente os homens leigos que não conheciam a Bíblia, pois as Sagradas Escrituras eram escritas em latim, e poucos sabiam essa língua. A Igreja Católica usava as imagens de Satanás e do Inferno para amedrontar os cristãos ignorantes que temiam o Príncipe das Trevas e seu reino infernal, por isso, que os católicos medievais (que eram até sinceros na sua fé) acatavam os ensinamentos do Catolicismo por temerem ir para o Inferno.
A Igreja Católica defendia a Escravidão e usava, inclusive, versículos bíblicos para justificar essa abominação. O Clero condenava a escravização indígena, mas apoiava a Escravidão dos africanos. Os teólogos católicos alegavam que os índios eram pessoas puras e alvos da evangelização, mas os negros por serem descendentes de Cam (o filho de Noé que zombou de seu pai por esse estar nu, ou pode ter molestado sexualmente o próprio pai mesmo) eram amaldiçoados e, portanto, deviam ser escravizados pelos brancos. Infelizmente, existiram até protestantes que eram favoráveis a Escravidão, algo que Jesus reprova, porque todos os homens têm direito a liberdade e a vida.
Hoje, os hereges têm enganado inúmeros cristãos com suas heresias e qualquer um que ouse criticá-los é perseguido por seus seguidores fanáticos que alegam que seus ídolos são “ungidos de Deus” e, por isso, é pecado criticar os seus ensinamentos heréticos e diabólicos.
David Miranda, o missionário fundador da Igreja Deus é Amor, foi um dos maiores falsos profetas de nosso tempo, pois ele pregava que suas doutrinas são mais “sagradas” que os Mandamentos de Deus e esse safado também usava o Evangelho do Medo para explorar os membros de sua igreja alegando que eles iriam para o Inferno se ousassem questioná-lo. Para mim, a Igreja Deus é Amor é uma seita; e conheço cristãos da Igreja Adventista do Sétimo Dia que dão mais exemplo que os membros dessa igrejinha herética do Diabo.
Josué Yrion sente “tesão” quando fala mal de desenhos animados e de videogames; tem mania de ver o Diabo em todo lugar, e fica procurando pêlo em ovo. Eu aprendi bons valores e princípios éticos em vários desenhos japoneses, virtudes que é difícil de aprender na Igreja Evangélica, já que os religiosos alienados que pregam uma coisa e vivem outra, tomam conta dessa instituição religiosa. Na Bíblia ensina que devemos reter de tudo o que é bom, e eu retive muitas coisas boas em desenhos animados que o Josué Yrion adora endiabrar. Esse missionário mete o pau na Walt Disney e na Toei Animation para se autopromover.
Os hereges, Neuza Itioka, Rebecca Brown e Daniel Mastral pregam heresias envolvendo “rituais místicos” de libertação e de exorcismo, isto é, a famigerada Teologia da Maldição Hereditária e o diabólico e satânico “Movimento Batalha Espiritual”. Esses hereges exaltam mais o Diabo do que o próprio Deus. O legalismo religioso cegou esses cães e porcos do Inferno. O fundamentalismo religioso é a fonte de todas as suas heresias satânicas e ensinamentos diabólicos.
Entre os pentecostais e neopentecostais tem havido um tremendo sincretismo religioso, e dons do Espírito Santo têm sido confundidos com manifestações esquizofrênicas ou até mesmo demoníacas. Se alguém entrar em um Terreiro de Macumba ou Templo Satânico e depois freqüentar determinadas igrejas pentecostais e neopentecostais, não verá grande diferença entre uma coisa e outra. Os evangélicos pregam que os dons de línguas e de profecia que se manifestam na Igreja Católica Carismática e nos terreiros de macumba são profanos, mas se são manifestados nas igrejas evangélicas são “santos”. As Escrituras Sagradas ensinam que os dons do Espírito Santo devem se manifestar com ordem e decência, mas o que vejo em certas igrejas pentecostais e neopentecostais é um “espetáculo dos horrores” e não a manifestação do poder de Deus. O “Movimento Pentecostal” é o espetáculo mais bizarro da Terra.
A heresia do momento na Igreja Evangélica tem sido a Teologia da Prosperidade, e os seus adeptos são avarentos, pois amam mais o dinheiro do que o próprio Deus. Eu realmente acredito que Deus pode abençoar os cristãos financeiramente, mas devemos buscar a Deus por amor, e não por interesse para termos riquezas em troca. Com Deus não se barganha.
Os “bordões e chavões” tomaram lugar dos verdadeiros Mandamentos de Deus. Respeito e liderança se tornaram em “bordões” para legitimar e justificar a opressão em Nome de Deus. Honrar os pais virou “bordão” para oprimir, humilhar, espancar e para estuprar os filhos (EM NOME DE DEUS). Submissão ao marido virou “bordão” para oprimir, trair, humilhar, violentar, escravizar e para descer a porrada e o cassete nas esposas (EM NOME DE DEUS). Respeitar os mais velhos virou “bordão” para humilhar, oprimir, espancar e abusar sexualmente dos mais jovens (EM NOME DE DEUS). Os “cristãos” até hoje não entenderam que o sentido bíblico de liderança é servir e proteger, e não pisar em seus subordinados em Nome de Deus. Os líderes devem honrar, respeitar e proteger os seus subalternos.
O “bordão” conhecido como o famoso “Não julgueis” virou desculpa e justificativa para pregar a omissão diante do mal e o conformismo perante o pecado. Jesus ensinou que não devemos julgar segundo a aparência, mas, sim, que devemos julgar segundo a reta justiça. O interessante dos “Não Julguetes” é que eles falam mal de todo mundo (principalmente, dos políticos, dos gays, das putas, das bruxas, dos macumbeiros, das feministas, dos muçulmanos e dos desviados), porque para esses hipócritas, o bordão “Não julgueis” só é válido quando é conveniente para eles.
A Bíblia, a Palavra de Deus, sempre defendeu a sexualidade, o sexo e o prazer sexual (TESÃO MESMO). No Novo Testamento tem dois capítulos que defendem o serviço militar e a política (Romanos 13:1-7) e (1 Pedro 2:13-17), já a sexualidade e o sexo tem vários capítulos no Antigo Testamento e no Novo Testamento, e ainda um Livro inteiro (Cantares – Cântico dos Cânticos) que mostram, claramente, que Deus apoia a área sexual dos cristãos (no contexto do casamento, óbvio). A Bíblia sempre defendeu a guerra justa, o serviço militar, a política e a legítima defesa, mas sempre enfatizou o apoio de Deus muito mais em relação ao sexo e a sexualidade.
Nesse texto mostrei as principais bizarrices do Cristianismo, ou seja, as suas principais heresias satânicas e diabólicas, e reconheço que existem cristãos que seguem verdadeiramente a Cristo, porém, existem muitos hereges que difamam a Palavra de Deus com seus ensinamentos heréticos. Não tenho nada contra Deus, Jesus Cristo e o Espírito Santo, mas somente não suporto as heresias que incontáveis cristãos têm pregado durante a História negando o verdadeiro Evangelho, com seus ensinamentos satânicos, diabólicos e demoníacos.

AUTOR: Filipe Levi Viasoni da Silva, historiador e professor de História.

Nenhum comentário: