sexta-feira, 6 de julho de 2018

ESTRATÉGIA DE GUERRA (SEMPRE VEJA OS DOIS LADOS DA HISTÓRIA)


Geralmente, as pessoas costumam ser intolerantes e radicais. Eu costumo ver sempre os dois lados da história. Isso não significa que eu fique em cima do muro (relativismo, não acreditar no certo e no errado), mas, sim, que eu costumo ser estratégico (estrategista). Na religião, existem os dois grupos extremos (estoicos e epicuristas, ou seja, os legalistas e os promíscuos). Um grupo costuma ver o Diabo em todo lugar (não conseguem viver sem o Capeta, ou seja, adoram satanizar, demonizar e endiabrar tudo o que encontram pelo caminho) e o outro grupo não enxergam o Diabo em lugar nenhum (gostam de curtir o pecado e de fazer do jeito que o Diabo gosta mesmo). Na política, costumam ter os dois grupos extremos de sempre (Direita e Esquerda). Na Esquerda, vemos a justiça social e a preocupação com os excluídos. Na Direita, vemos a liberdade individual e de fé (religião), que são coisas muito boas. Mas, geralmente, os fascistas da extrema Direita são xenófobos, racistas, machistas e preconceituosos com os pobres e excluídos (não são todos assim, mas muitos são tapados desse jeito mesmo). Geralmente, os esquerdistas são ateus, promíscuos, depravados, folgados (sobrevivem às custas do Estado ou de parentes ricos), vagabundos (não gostam de trabalhar mesmo, só de perturbar e de encher o saco), boyzinhos e patricinhas (socialistas só da boca para fora, porque adoram roupas de marca, automóveis do ano e equipamentos caros de última geração), ditadores, intolerantes com os cristãos e com outros religiosos sinceros em sua fé. A Bíblia ensina que nós, cristãos, devemos nos preocupar em acolher os estrangeiros (Deus condena a xenofobia); que nós, cristãos, devemos amparar os órfãos e as viúvas (ajudar os pobres e necessitados sem esperar alguma recompensa em troca); que nós, cristãos, devemos honrar e proteger as nossas mulheres (esposas e filhas); que nós, cristãos, devemos amar todos os seres humanos (de todas as etnias e povos, sem exceção); e, claro, que por preferência, o Estado (governo) nos dê a liberdade para podermos viver a nossa fé com toda piedade e respeito com as outras religiões. Não sou a favor de Ecumenismo, mas, sim, que devemos respeitar as outras pessoas por terem uma religião diferente da nossa, e não persegui-las, estuprá-las, torturá-las e matá-las por pensarem e terem uma fé diferente. Isso é ser correto e ser estratégico, ver sempre os dois lados da história e reter somente o que é bom. (Filipe Levi)

Nenhum comentário: