domingo, 8 de julho de 2018

VOZ QUE CLAMA NO DESERTO (O JOIO E O TRIGO - HIPOCRISIA E FALSO MORALISMO)


“Os pregadores da atualidade tem diante de si duas escolhas. Agradar pessoas dizendo o que elas querem ouvir ou dizendo à Verdade que elas não querem ouvir (morte, pecado, culpa, juízo e Cruz). Podemos escolher entre deixá-los satisfeitos ou despertar a sua hostilidade. Em outras palavras, ou somos infiéis e conquistamos a popularidade, ou corremos o risco de nos tornarmos impopulares por causa da nossa fidelidade. Não creio que é possível ser fiel e popular ao mesmo tempo”.
(John Stott)

Os “bordões e chavões” tomaram conta das igrejas evangélicas. A Igreja Evangélica se tornou num ambiente hostil e violento (só com quem não pode revidar). Os crentes são “paz e amor” só quando lhes é conveniente. Deus é amor e misericórdia somente quando lhes convêm. Esses religiosos hipócritas esquecem que Deus também é IRA, SANTIDADE E JUSTIÇA. Deus foi quem criou o Hades (Submundo) e o Tártaro (Lago de Fogo). Deus é paz, mas também é IRA. Deus é misericórdia, mas também é SANTIDADE. Deus é amor, mas também é JUSTIÇA. Os crentes com sua “VERBORRAGIA” (FALSA REVÊRENCIA) não enganam a Deus. Deus não gosta de bajulador, puxa-saco e baba-ovo. Deus procura verdadeiros adoradores e não interesseiros e covardes que só o buscam por medo ou por interesse. Deus prefere orações sinceras do que uma liturgia religiosa hipócrita e uma vida de hipocrisia e de falsa santidade. Há diferença entre provérbio e “bordão”. Há diferença entre frase de efeito e “frase feita”. Há diferença entre reverência e “verborragia”. Há diferença entre santidade e “legalismo”. Há diferença entre amor e omissão. Há diferença entre sinceridade e religiosidade. Arrependam-se de seus pecados, bando de hipócritas. (Filipe Levi)

Nenhum comentário: