quinta-feira, 2 de agosto de 2018

A DEPRESSÃO E O SUICÍDIO (O CÃO NEGRO)


“Ainda que ele traga sobre ti muita tristeza, sua compaixão o amparará, pois imenso é o seu amor infalível.”
(Lamentações de Jeremias 3:32)

A depressão e o suicídio são temas que os crentes da Igreja não gostam de falar (para os velhos hipócritas é mais fácil fazer piadinhas e tirar sarro da dor e do sofrimento dos outros do que ter compaixão). Eu sou autista (TEA – Transtorno do Espectro do Autismo). Tenho depressão crônica e sou diagnosticado com fortes tendências suicidas. O que me mantém vivo até hoje? Vontade de morrer é algo que tenho de sobra. Então, por que eu ainda não me suicidei? Eu abomino hipocrisia e tenho aversão ao falso moralismo, portanto, serei bastante sincero e claro no que irei dizer. Orar e pregar o Evangelho me mantém vivo. Interceder pelas pessoas que precisam de ajuda e pregar sobre a Salvação de Jesus é o que me impede de me suicidar. Desafiar o Diabo e a morte me mantém vivo. Cansei de tanta omissão e conformismo. Cheguei à conclusão de que alguém tem que ficar e lutar. Alguém tem que fazer a diferença. Já que ninguém faz, alguém tem que fazer. Cansei de bordão, chavão e jargão de crente. Eu resolvi tomar uma atitude e fazer alguma coisa. Eu sou historiador de formação e um teólogo autodidata, então, decidi usar todo esse conhecimento para fazer o bem. Apesar de eu ser boxeador (pugilista) e ter tido treinamento em manuseio com armas de fogo (com o revólver calibre 38, com a pistola calibre 380 e com a espingarda calibre 12), ainda não me considero o grande guerreiro que sempre sonhei ser. Não queria nascer e nem existir, mas o fato é que eu nasci e existo. Então, eu serei mais um crente que vai à Igreja só para bater cartão (por causa do “medinho” clássico de ir para o Inferno) ou eu vou tentar fazer a diferença? Eu não tenho medo do Inferno (Submundo), eu desejo a morte todos os dias, e a minha maior ambição na vida é estar na lista dos mais procurados do Diabo. Eu não tenho nada a perder. Eu não compreendo os propósitos de Deus, mas eu conheço o caráter do Deus da Bíblia. Mesmo, não vendo, não entendendo, não enxergando uma luz no fim do túnel, eu sei que Deus está lá. Deve haver algum propósito para o meu nascimento. Se Deus me criou deve haver algum motivo para isso. Eu não tenho nada a perder, mas jamais usarei o meu sofrimento como desculpa para fazer o mal. Eu quero ajudar as pessoas que precisam de ajuda. Quero proteger os indefesos. Quero defender os fracos. Quero salvar vidas. Quero fazer o bem. Se eu puder dar esperança para as pessoas, a minha existência terá valido à pena. (Filipe Levi)

Nenhum comentário: