domingo, 28 de outubro de 2018

HOMENS DE HONRA (SERVIR E PROTEGER)



Filipe Levi 28/10/18
HOMENS DE HONRA (SERVIR E PROTEGER)


INTRODUÇÃO:

“A definição final do amor, para os tais, não está na Bíblia toda, mas apenas no Novo Testamento, interpretado por eles mesmos. Se esquecem que o Novo está latente no Velho Testamento e o Velho está patente no Novo”. (Agostinho de Hipona)

Os que sobrevivem são os que contam a História, nesse oceano de adversidades. Os sobreviventes têm a obrigação e o dever de reconstruir. O planeta está em chamas. A morte está por todo lugar. Só vejo caos e destruição. Só vejo desorientação e desordem. Gente mutilada e morta. Sangue jorrando por todos os lados. Todos estão mortos e somente eu sobrevivi, mas na verdade sou eu que estou morto e eles é quem vivem, porque o espírito da morte permanece na memória dos vivos.
O ambiente é pesado e tem cheiro de morte, o sangue dos inocentes transborda como um grande rio vermelho e o fedor de carniça se espalha por todo o planeta.

A palavra militar se originou da palavra marcial, ou seja, a tradução literal da palavra marcial é militar. A Bíblia, a Palavra de Deus, nunca condenou o combate, quando este combate é travado por uma causa justa. Essa “historinha” de que “violência gera violência” não tem na Bíblia (isso não é um versículo bíblico, mas apenas um bordão sem sentido e sem nexo nenhum). As Escrituras ensinam que a violência pode ter um bom uso, se essa violência for usada como uma contingência (para defesa própria ou para a proteção dos outros). Paulo em (Romanos 13:1-7), Pedro em (1 Pedro 2:13-17) e João Batista em (Lucas 3:14) deixam bem claro que combater não é moralmente errado, mas muitas vezes necessário, se for para combater por um bem maior (por uma causa maior). Deus nunca foi e nem será pacifista (esse não é o Deus da Bíblia). O Deus do Antigo Testamento é o mesmo Deus do Novo Testamento (Deus não é bipolar). Deus não é só “paz e amor”, mas Deus também é SANTIDADE, IRA E JUSTIÇA. Deus levanta guerreiros, cavaleiros, combatentes e soldados para combater o mal. A única linguagem que os violentos conhecem é a violência. O opressor só respeita a força que é maior do que a dele. Implorar pela vida ou por misericórdia apenas aumentará a sensação de poder dos bandidos. Suplicar por clemência e piedade somente atiçará o sadismo dos sádicos. Com psicopatas e sádicos não dá para argumentar e nem negociar, porque eles nem se darão ao trabalho de te escutar. Os malfeitores, psicopatas, sádicos, estupradores e opressores não sentem pena ou remorso. Não tem como argumentar ou negociar com eles. Sempre existirão homens bons, corajosos, ousados e valentes que ousarão se opor ao mal. Deus sempre levantará guerreiros corajosos para combaterem os homens maus. Tanto os malfeitores quanto os anjos do Inferno sentem o cheiro do seu medo. Não demonstre medo diante deles. Seja forte e corajoso! Proteja os fracos! Seja um guerreiro honrado e íntegro! Nunca perca a sua integridade! Lute sempre em nome da honra! Use sempre os seus punhos e suas armas para lutar em prol da justiça! Sinto que sempre serei protegido por Deus, enquanto eu fizer a coisa certa. Eu sou protegido. Enquanto eu não cumprir o meu propósito, a minha missão, aqui na Terra, eu serei imortal. Um dia eu morrerei. O meu lugar na sepultura já está reservado. Mas esse dia não é hoje. Espero fazer o bem e praticar a justiça enquanto eu estiver aqui na Terra. Quando eu morrer, quero sorrir para a morte, e perecer com a certeza, de que fiz a diferença, de que fui uma pedra-no-sapato do Diabo, e que fiz a coisa certa.

Há muita semelhança entre os ensinamentos das artes marciais e das Escrituras. Os princípios e valores são os mesmos. Princípios e valores de honra, de justiça, de integridade, de honestidade, de lealdade, de disciplina, de trabalho, de altruísmo, de compaixão e de coragem. Ensinamentos, estes, que não aprendi na "igreja", mas, sim, nas Escrituras e nas artes marciais. Lutar por aqueles que não podem lutar por si mesmos. Defender os mais fracos. Proteger os indefesos. Nunca aprendi isso na "igreja", pelo contrário, o que aprendi foi usar o Nome de Deus para "puxar o tapete e passar a perna nos outros" (malandragem gospel). "Paz e amor" só com os malfeitores, porque os fracos e indefesos tem que tratar na base da porrada mesmo (em Nome de Deus). Vejo mais Bíblia e mais princípios bíblicos nas artes marciais do que em muitas igrejas evangélicas por aí. Pais da Igreja como Clemente de Alexandria, Justino Mártir, Agostinho de Hipona e Tomás de Aquino reconheciam que a Glória de Deus se encontra até nas "filosofias humanas", ou seja, Deus fala por meio das Escrituras (isso é óbvio), mas Ele também pode usar outros métodos e outros meios para se comunicar com seus servos (claro, que não seja nada contrário aos ensinamentos bíblicos). Deus não é "essa coisa" formatada e idealizada pelos evangélicos, Ele é Yahweh, o Eterno.

AS OPINIÕES DOS APÓSTOLOS SOBRE AS AUTORIDADES GOVERNAMENTAIS (ESTADO - GOVERNO):

AS TRADUÇÕES DE ROMANOS 13:1-7:

“Obedeçam às autoridades governamentais, porque Deus foi quem estabeleceu todas elas. Não há governo, em parte alguma, que Deus não tenha colocado no poder. Portanto, aqueles que se recusam a obedecer às autoridades estão se recusando a obedecer a Deus, e o castigo virá sobre eles. Pois os governantes devem ser temidos apenas por aqueles que praticam o mal. Assim, se você não quiser ter medo da autoridade, guarde as leis e pratique o bem e tudo irá bem. Pois a autoridade é enviada por Deus para o seu bem. Mas, se você estiver fazendo algo errado, é natural que deve ter medo, pois ela terá de castigá-lo. Ela é serva de Deus, agente da justiça para castigar quem pratica o mal. Assim, vocês precisam obedecer às autoridades por duas razões: para evitar o castigo e por uma questão de consciência. Paguem também seus impostos, por essas mesmas razões. Porque as autoridades do governo estão a serviço de Deus, dedicadas a continuar a fazer essa obra. Dêem a cada um o que lhe é devido; paguem seus impostos e tributos, obedeçam aos seus superiores, e honrem e respeitem a todos aqueles a quem isso for devido”. (Romanos 13:1-7)


“Todo homem esteja sujeito às autoridades superiores; porque não há autoridade que não proceda de Deus; e as autoridades que existem foram por ele instituídas. De modo que aquele que se opõe à autoridade, resiste à ordenação de Deus; e os que resistem trarão sobre si mesmos condenação. Porque os magistrados não são para temor quando se faz o bem, e, sim, quando se faz o mal. Queres tu não temer a autoridade? Faze o bem, e terás louvor dela; visto que a autoridade é ministro de Deus para teu bem. Entretanto, se fizeres o mal, teme; porque não é sem motivo que ela traz a espada; pois é ministro de Deus, vingador, para castigar o que pratica o mal. É necessário que lhe estejais sujeitos, não somente por causa do temor da punição, mas também por dever de consciência. Por esse motivo também pagais tributos: porque são ministros de Deus, atendendo constantemente a este serviço. Pagai a todos o que lhes é devido: a quem tributo, tributo; a quem imposto, imposto; a quem respeito, respeito; a quem honra, honra”. (Romanos 13:1-7)

“Todos devem sujeitar-se às autoridades governamentais, pois não há autoridade que não venha de Deus; as autoridades que existem foram por ele estabelecidas. Portanto, aquele que se rebela contra a autoridade está se colocando contra o que Deus instituiu, e aqueles que assim procedem trazem condenação sobre si mesmos. Pois os governantes não devem ser temidos, a não ser pelos que praticam o mal. Você quer viver livre do medo da autoridade? Pratique o bem, e ela o enaltecerá. Pois é serva de Deus para o seu bem. Mas se você praticar o mal, tenha medo, pois ela não porta a espada sem motivo. É serva de Deus, agente da justiça para punir quem pratica o mal. Portanto, é necessário que sejamos submissos às autoridades, não apenas por causa da possibilidade de uma punição, mas também por questão de consciência. É por isso também que vocês pagam imposto, pois as autoridades estão a serviço de Deus, sempre dedicadas a esse trabalho. Dêem a cada um o que lhe é devido: se imposto, imposto; se tributo, tributo; se temor, temor; se honra, honra”. (Romanos 13:1-7)

“Toda alma esteja sujeita às autoridades superiores; porque não há autoridade que não venha de Deus; e as que existem foram ordenadas por Deus. Por isso quem resiste à autoridade resiste à ordenação de Deus; e os que resistem trarão sobre si mesmos a condenação. Porque os magistrados não são motivo de temor para os que fazem o bem, mas para os que fazem o mal. Queres tu, pois, não temer a autoridade? Faze o bem, e terás louvor dela; porquanto ela é ministro de Deus para teu bem. Mas, se fizeres o mal, teme, pois não traz debalde a espada; porque é ministro de Deus, e vingador em ira contra aquele que pratica o mal. Pelo que é necessário que lhe estejais sujeitos, não somente por causa da ira, mas também por causa da consciência. Por esta razão também pagais tributo; porque são ministros de Deus, para atenderem a isso mesmo. Dai a cada um o que lhe é devido: a quem tributo, tributo; a quem imposto, imposto; a quem temor, temor; a quem honra, honra”. (Romanos 13:1-7)


“Todos devem sujeitar-se às autoridades superiores; porquanto, não, há autoridade que não venha de Deus; e as que existem foram ordenadas por Ele. Portanto, quem se recusa a submeter-se à autoridade está se colocando contra o que Deus instituiu, e aqueles que assim procedem trazem condenação sobre si mesmos. Porque os governantes não podem ser motivo de temor para os que praticam o bem, mas para os que fazem o mal. Não queres sentir-se ameaçado pela autoridade? Faze o bem, e ela o honrará. Pois ela serve a Deus para o teu bem. Mas, se fizerdes o mal, teme, pois não é sem razão que traz a espada. É serva de Deus, agente da justiça para punir quem pratica o mal. Portanto, é imprescindível que sejamos submissos às autoridades, não apenas devido à possibilidade de uma punição, mas também por causa da consciência. Por esta razão, igualmente pagais impostos; porque as autoridades estão a serviço de Deus, e seu trabalho é zelar continuamente pela sociedade. Dai a cada um o que lhe é devido: se imposto, imposto; se tributo, tributo; se temor, temor; se honra, honra”. (Romanos 13:1-7)

O apóstolo Paulo foi muito claro quando escreveu o capítulo 13 da Carta aos Romanos (uma grande pedra no sapato dos cristãos pacifistas e anarquistas). Paulo reconheceu que as autoridades governamentais são instituídas por Deus, isto é, Deus coloca no poder os governantes da Terra. Os magistrados, os soldados, os policiais e os políticos são estabelecidos por Deus para zelarem pelo bem-estar da sociedade. O Estado é servo de Deus, ministro de Deus, para castigar os malfeitores e louvar os homens que praticam o bem. As Testemunhas de Jeová e os evangélicos pacifistas podem negar isso até a morte, mas o capítulo 13 da Carta aos Romanos não sumirá da Bíblia por causa disso (para o azar deles). Paulo ensinou que os cristãos devem se submeter às autoridades em várias de suas Cartas (ele insistiu bastante nesse assunto). Paulo vivia usando o serviço militar como bom exemplo para a vida cristã. Claro, que se o governo for injusto e opressor (ditatorial e corrupto) ou exigir que os cristãos façam coisas contrárias ao que a Bíblia ensina, nós, cristãos, devemos obedecer mais a Deus do que aos homens.

AS TRADUÇÕES DE 1 PEDRO 2:13-17:

“Sujeitai-vos a toda instituição humana por causa do Senhor; quer seja ao rei, como soberano; quer às autoridades como enviadas por ele, tanto para castigo dos malfeitores, como para louvor dos que praticam o bem. Porque assim é a vontade de Deus, que, pela prática do bem, façais emudecer a ignorância dos insensatos; como livres que sois, não usando, todavia, a liberdade por pretexto da malícia, mas vivendo como servos de Deus. Tratai a todos com honra, amai aos irmãos, temei a Deus, honrai ao rei”. (1 Pedro 2:13-17)

“Sujeitai-vos, pois, a toda a ordenação humana por amor do Senhor; quer ao rei, como superior; quer aos governadores, como por ele enviados para castigo dos malfeitores, e para louvor dos que fazem o bem. Porque assim é a vontade de Deus, que, fazendo bem, tapeis a boca à ignorância dos homens insensatos; como livres, e não tendo a liberdade por cobertura da malícia, mas como servos de Deus. Honrai a todos. Amai a fraternidade. Temei a Deus. Honrai ao rei”. (1 Pedro 2:13-17)

“Por causa do Senhor, sujeitem-se a toda autoridade constituída entre os homens; seja ao rei, como autoridade suprema, seja aos governantes, como por ele enviados para punir os que praticam o mal e honrar os que praticam o bem. Pois é da vontade de Deus que, praticando o bem, vocês silenciem a ignorância dos insensatos. Vivam como pessoas livres, mas não usem a liberdade como desculpa para fazer o mal; vivam como servos de Deus. Tratem a todos com o devido respeito: amem os irmãos, temam a Deus e honrem o rei”. (1 Pedro 2:13-17)

“Pelo amor que vocês têm ao Senhor, obedeçam a todas as leis do governo; sejam as do rei, como a autoridade maior, sejam as que são dos oficiais do rei, pois ele os enviou para castigar todos os que fazem o mal e honrar aqueles que fazem o bem. É da vontade de Deus que a vida correta de vocês faça com que se calem aqueles que insensatamente condenam o Evangelho sem saberem o que ele pode fazer por eles, pois nunca experimentaram o seu poder. Vocês estão livres da lei, porém, isso não quer dizer que estão livres para fazer o mal. Vivam como aqueles que são livres para fazer somente a vontade de Deus em todas as ocasiões. Mostrem respeito para com todos. Amem os irmãos em toda parte. Temam a Deus e respeitem o governo”. (1 Pedro 2:13-17)


O apóstolo Pedro também reconheceu a legitimidade dos reis e das autoridades enviadas por eles (soldados e magistrados) para castigar os malfeitores e louvar os homens que praticam o bem. Paulo e Pedro ensinaram, claramente, que a função do Estado é punir os maus e louvar os bons.

ORAR E INTERCEDER EM FAVOR DAS AUTORIDADES:

“Antes de tudo, pois, exorto que se use a prática de súplicas, orações, intercessões, ações de graça, em favor de todos os homens, em favor dos reis e de todos os que se acham investidos de autoridade, para que vivamos vida tranqüila e mansa, com toda piedade e respeito. Isto é bom e aceitável diante de Deus nosso Salvador, o qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade”. (1 Timóteo 2:1-4)

O apóstolo Paulo também ensinou que o dever de todos os cristãos é interceder em favor dos homens investidos de autoridade, porque é da vontade de Deus que, inclusive, os governantes e os soldados se convertam e sejam salvos. Paulo, mais uma vez, reconhece a legitimidade das autoridades.

OS GUERREIROS DOS SONHOS (A TENTATIVA DE EXTERMÍNIO DAS GERAÇÕES FUTURAS):

"Que o seu nome seja conhecido no Céu e temido no Inferno". (Leonard Ravenhill)

Uma tática suja muito usada por ditadores, conquistadores e genocidas é matar as crianças e os jovens, para que não haja resistência no futuro. Assim, eliminando as gerações futuras, não haverá resistência. É exatamente isso o que Satanás, o Diabo (Mestre dos Pesadelos) faz. O maior alvo de Satanás são as crianças e os jovens, pois assim, ele impedirá que existam os Guerreiros dos Sonhos, os Guerreiros do Futuro. O Diabo (Guilty) costuma desviar a atenção, o foco das pessoas (todos os bandidos e terroristas espertos fazem isso). Enquanto as antas dos crentes, os burros dos evangélicos perdem o tempo com “Pokémon e Disney”, Satanás continua destruindo famílias, casamentos e vidas. Satanás além de ser músico, também é um líder militar, esse cara entende de estratégia. O Diabo é conhecido como o “O Olho Que Tudo Vê”, porque sabe das coisas. Satanás é conhecido como o “Tinhoso”, porque é muito mais esperto e astuto do que os crentes idiotas e trouxas da Igreja pensam que ele é. Enquanto os crentes fanáticos e legalistas ficam perdendo tempo com a hipocrisia religiosa e com o falso moralismo, Satanás, o Diabo (Destruidor), continuará matando e destruindo as gerações futuras. Por meio do pecado, Satanás, leva os homens à morte (Thanatos). As pessoas “batem cartão” na Igreja, ou simplesmente ignoram a existência do Diabo, porque se “cagam de medo dele”. O Diabo sabe que as pessoas tem medo dele, e esse desgraçado se aproveita disso. A Igreja precisa de homens de verdade (só tem frouxo na Igreja), de Guerreiros dos Sonhos, Cavaleiros da Esperança, para fazerem a diferença.

O CAMPO DAS CONVICÇÕES (A ESTRATÉGIA DO DIABO):

"A minha maior ambição na vida é estar na lista dos mais procurados do Diabo". (Leonard Ravenhill)

O campo das convicções é o grande alvo do Diabo. Satanás costuma usar mais “meias verdades” do que “mentiras descaradas”. Uma mentira descarada chocará de imediato, mas uma “mentirinha bonitinha e fofinha” não chocará tanto, pelo contrário, será aceita, inclusive, pelos crentes da Igreja. Versículos bíblicos usados fora de seus verdadeiros contextos (falta de exegese) são o que Satanás e os seus falsos profetas mais fazem. Sempre distorcendo as Escrituras para forçar a Bíblia, a Palavra de Deus, a pregar somente o que lhes é conveniente, ou seja, apenas o que lhes convêm. Os “bordões”, “chavões”, “jargões”, “frases feitas”, “frases clichês” e “frases de efeito ruim” dos crentes comprovam isso. A apatia está por toda parte e a omissão dita às regras.

OS TRÊS DESAFIOS QUE UM GRANDE GUERREIRO PRECISA ENFRENTAR (O SEU INIMIGO, O SEU MAIOR MEDO E A SI MESMO):

Um grande guerreiro deve sempre enfrentar três desafios: ele deve enfrentar o seu inimigo; ele deve enfrentar a si mesmo; e ele deve enfrentar o seu maior medo. Se quiser ser um herói, você deve vencer os seus medos, para poder conquistá-los e subjugá-los. A coragem não é a ausência do medo, mas é a resistência contra o medo e a habilidade de superá-lo. Vença o seu inimigo; vença o seu maior medo e vença a si mesmo.

AS TRÊS VIRTUDES (SERVIÇO, COMPAIXÃO E DISCIPLINA):

Existem três virtudes que os homens nunca devem esquecer: serviço, compaixão e disciplina. Os homens devem se dedicar ao serviço que eles foram designados para fazer. Nós devemos fazer o trabalho com perfeição, pois se for para fazer de qualquer jeito, nem comece. O homem esforçado e dedicado se dará bem em tudo o que fizer. Nós devemos ter compaixão pelos mais fracos e desamparados, pois o nosso dever é proteger os indefesos e lutar por aqueles que não podem lutar por si mesmos. Nós devemos ter disciplina, pois temos que sermos altamente disciplinados em tudo o que fizermos. O bom guerreiro deve ser disciplinado e dedicado em tudo o que fizer (principalmente, naquilo que ele ama fazer). O serviço, a compaixão e a disciplina são as virtudes de um homem de verdade, de um homem que tem hombridade e integridade e que dedica a sua vida lutando em nome da honra.


A PRINCIPAL CARACTERÍSTICA DOS HERÓIS:

“Um bom soldado não é aquele que luta, porque odeia o que está enfrentando, mas, sim, aquele que luta, porque ama o que está defendendo”.

Todos nós devemos decidir o que queremos proteger. Todos querem proteger algo, alguém ou alguma coisa. Queremos sempre proteger algo ou alguém que seja importante para nós. A verdadeira força não está no ódio que sentimos pelos nossos inimigos, mas, sim, no poder do amor que é liberado quando protegemos a quem amamos. Não é o ódio que libera a nossa verdadeira força, mas, sim, o poder do amor. A principal característica de um herói é o amor.

Quando todos se omitem diante do mal. Quando todos se conformam com as coisas erradas. Quando todos folgam com a injustiça. Quando todos te perseguem, porque você ousa questionar o que está errado. Os heróis são aqueles que fazem o que ninguém mais quer fazer. Se não tem quem faça, se não tem ninguém para fazer, o herói tem que tomar a iniciativa e fazer. Muitas vezes, os heróis são desprezados, rejeitados, abandonados e excluídos. Mesmo, você sabendo que levará a pior e que se dará mal por fazer o bem, mas mesmo, assim, você ousa fazer o que é correto, você é corajoso de verdade. Quando você ousar desafiar os malfeitores. Quando não temer o perigo e nem a morte. Quando você se importar mais com os outros do que consigo mesmo. Quando você estiver disposto a morrer lutando pelo que você acredita. Quando você amar tanto os seus amigos que você estaria disposto a morrer no lugar deles para salvá-los. Quando você encarar uma batalha impossível em prol dos outros. Quando você estiver na lista dos mais procurados do Diabo. Sinta-se honrado, pois é isso que te faz ser um herói.

O PROPÓSITO DOS HERÓIS:

"Se Deus impor as mãos sobre você todo o mundo saberá. E você não será conhecido aqui, você será conhecido no Inferno." (Leonard Ravenhill)

Existem pessoas que são pontos de luz no escuro. Pessoas boas que fazem a diferença nesse mundo decaído e pervertido. Homens e mulheres que ousam questionar as coisas erradas e fazer a diferença. Pessoas que se importam mais com os outros do que consigo mesmas. O herói, apesar de toda a escuridão que tem dentro de si, ainda a chama da esperança queima em seu coração. A sua luz interior ilumina o seu caminho para combater o mal e fazer justiça aos oprimidos. Os heróis são homens que vivem e morrem em nome da honra. O cavaleiro prova o seu valor por meio dos seus atos. O verdadeiro herói é aquele que usa os seus punhos e as suas armas somente para lutar em nome da justiça; não justiça para si mesmo, mas justiça para aqueles a quem o herói jurou proteger.

Há um herói dentro de cada um de nós. Que nos incentiva a sermos íntegros, que nos enobrece. Muitas vezes, para fazer o bem, precisamos desistir do que mais queremos. Desistir até mesmo dos nossos sonhos. Isso é altruísmo. Isso é ser altruísta. Se importar mais com os outros do que consigo mesmo. São homens assim que fazem a diferença. São homens assim que mudam o mundo. Homens que também tem as suas fraquezas, mas eles as superam, por algo maior do que eles próprios. A coragem não é a ausência do medo, mas é a habilidade de superá-lo. Homens que resistem à dor e vencem o medo. Homens cheios de coragem e de ousadia que ousam fazer o que ninguém mais quer fazer. Homens que estão dispostos a se sacrificar pelo semelhante. A inteligência deve ser usada para o bem da humanidade. Isso é um privilégio. Quando Deus nos escolhe para fazer a diferença e mudar a História, Ele não está tapando buraco (não se pode barganhar com um Deus que não precisa de você). Se Deus te escolher para fazer a diferença, Ele está te dando um privilégio. Isso é uma grande honra. Então, honre e valorize essa oportunidade que Deus lhe deu.

É muita ingenuidade acreditar que quando você invadir o território do seu inimigo, travando batalhas contra os seus soldados, resgatando os perdidos das trevas, libertando os acorrentados das correntes infernais, libertando os oprimidos da opressão, causando o caos e a desordem em seu reino, e ainda querer sair com os reféns resgatados e não querer ser notado. Quando você prega o Evangelho e busca fazer a vontade de Deus, isso chamará a atenção do Diabo e seus anjos (de todos os malfeitores em geral, tanto criminosos comuns quanto religiosos maus). Se você ousar se opor ao Diabo e seus seguidores, eles virão para cima de você. Se Deus impor as suas mãos sobre você, e as pessoas ao seu redor verem a Glória de Deus em sua vida, por meio de suas atitudes e gestos de justiça, de compaixão e de bondade, você não será conhecido somente aqui na Terra, mas também será conhecido no Inferno. Faço das palavras de Leonard Ravenhill minhas palavras também: “A minha maior ambição na vida é estar na lista dos mais procurados do Diabo”. Eu estou preparado para morrer, mas eu escolho morrer lutando.

PRINCÍPIOS E VALORES BÍBLICOS NAS ARTES MARCIAIS:

As principais virtudes do Bushido (Código do Guerreiro) são Justiça (GI), Coragem (YUU), Compaixão (JIN), Respeito (REI), Sinceridade (MAKOTO), Honra (MEIYO) e Lealdade (CHUUGI). Essas são as verdadeiras características de um verdadeiro guerreiro (os mesmos princípios morais e valores éticos que a Bíblia, a Palavra de Deus, ensina).

A JUSTIÇA:

É quando o guerreiro opta por lutar pelo que é certo, quando o herói está disposto e determinado a fazer a coisa certa.

A CORAGEM:

Não é a ausência do medo, mas é a habilidade de superá-lo por uma causa maior. O guerreiro corajoso é aquele que supera o seu medo para poder ajudar os outros.

A COMPAIXÃO:

É a capacidade de se colocar no lugar do outro, ou seja, sentir e se compadecer da dor de seu semelhante.

O RESPEITO:

É respeitar os seus semelhantes (principalmente, os mais fracos e desamparados que precisam de proteção).

A SINCERIDADE:

É ser sincero e verdadeiro consigo mesmo e com os outros. Sempre falar a verdade, mesmo que isso não te beneficie. Ser correto e fazer o certo, mesmo, que você se “ferre e se lasque” por fazer a coisa certa.

A HONRA:

É a integridade e o caráter do herói, que mesmo diante das adversidades e da corrupção e degeneração humana, ele ousa ser bom. Ser um guerreiro honrado que usa os seus punhos e suas armas não por razões e motivos pessoais, mas apenas para promover a justiça e a paz.

A LEALDADE:

É quando o guerreiro é leal aos seus amigos e as pessoas que estão sob a sua proteção. As flechas do herói só devem ser lançadas em nome da justiça. Não justiça para si mesmo, mas justiça para aqueles a quem o herói jurou proteger.

CÓDIGO SAMURAI (INTEGRIDADE E HONRA):

“O caminho do valente não segue os passos da estupidez. Quando um samurai diz que fará algo, é como se já o tivesse feito. Nada nesta terra o deterá na realização do que disse que fará”.

Nós, homens de Deus, somos servos da justiça. Os nossos atos devem ser de justiça. Nós lutamos em prol da justiça. Se for preciso, nos tornaremos na própria justiça. As nossas flechas só devem ser lançadas em nome da justiça. Não justiça para nós mesmos, mas justiça para aqueles a quem nós juramos proteger. A nossa espada nunca deve ser usada por motivos ou razões pessoais, mas apenas para promover a paz e a justiça. Os servos de Deus são homens de palavra. Homens de honra devem defender e proteger os fracos. O sentido bíblico de liderança é servir e proteger. Os líderes devem servir aos outros e não ser servido por eles. Sejamos guerreiros honrados e íntegros. Sejamos homens de verdade. As nossas armas e os nossos punhos devem ser usados para proteger os indefesos e para a promoção da justiça. O dever do homem, do cavaleiro, do guerreiro, do soldado e do líder, é cuidar de seus protegidos. Sejamos homens valentes e corajosos. Sejamos homens íntegros e honrados. Sejamos homens de Deus. Sejamos heróis. Já tem homens demais fazendo o mal, então, ouse fazer o bem.

UMA NODACHI (O PODER DO IMPACTO PSICOLÓGICO):


“Uma Nodachi (野太刀) é uma espécie de Katana longa, e era utilizada por um dos mais famosos e habilidosos espadachins do Japão Feudal, Sasaki Kojirō (佐々木 小次郎). Kojirō aperfeiçoou suas habilidades no manuseio da nōdachi, e ganhou excelência em uma técnica própria chamada "Tsubame Gaeshi" (Rasante da Andorinha), capaz de cortar uma andorinha em pleno voo. Kojiro foi morto na ilha de Ganryūjima pelo lendário Miyamoto Musashi, que sabia que Kojirõ só poderia ser superado por um método que não se baseasse exclusivamente nas habilidades com a espada. Kojiro era muito orgulhoso, e Musashi se aproveitou desse orgulho utilizando de alguns truques psicológicos para desestabilizá-lo emocionalmente. Conta a história, baseada nas próprias narrativas de Musashi, que este, entendendo que superar o estilo de Sasaki Kojirō seria muito difícil e arriscado, propositalmente se atrasou mais de 2 horas da hora marcada para chegar no local do duelo enquanto esculpia em um remo do barco uma bokken (espada de madeira), um pouco maior que a nodachi de Kojirō. A ideia era enfurecer o adversário com o atraso e com a ofensa de batalhar contra uma espada de madeira, pois somente principiantes ou crianças lutavam com bokken. Musashi também planejou descer na praia exatamente na direção oposta à do sol, com a intenção de ofuscar a visão do oponente. Ao desembarcar na praia, estava usando vestes surradas e tinha os cabelos visivelmente desgrenhados, com a bokken recém-esculpida em uma mão e um cobertor na outra. Kojirō tomou isso como mais um insulto, pois no código samurai, apresentar-se desalinhado para um duelo significa completa desconsideração pelo adversário, ainda mais sem portar a espada, usando a bokken de madeira em vez da katana. Para a infelicidade de Kojirō, este caiu no jogo psicológico de Musashi, e, irritadíssimo com o menosprezo com que o adversário lhe demonstrava, correu exasperado em sua direção. A luta real durou apenas o lance do seu momento decisivo, embora Musashi tenha escrito que a luta começou no momento em que meditava e esculpia sua espada no barco. Apesar do jogo psicológico, Musashi considerou Kojirō como sendo o seu maior rival”. (autor desconhecido)

AQUELE QUE PROTEGE (NÃO FUJA DO SEU CHAMADO):


"O sentimento de luta não deve ser medido pela probabilidade de vitória, mas, sim, pelos valores em defesa dos quais a luta foi feita".

Há batalhas que são travadas para proteger uma vida inocente; e há batalhas que são travadas para preservar a honra. Quantas vezes, você acha que pode escapar com vida da toca do leão sem ter nenhuma estratégia? Nunca deixe à ira e a paixão te desviarem do seu verdadeiro propósito. Não fuja do seu chamado! A ira entorpece a sua espada, portanto, não seja descuidado. Seja prudente. Seja sábio. Pense antes de agir. Seja estratégico. Seja tático. Sempre que tiver dúvidas sobre o que fazer, busque a Deus. Busque o seu Deus em oração. Cuide de sua mente, de seu corpo e de seu espírito. Não aja como um animal irracional (Tigre). Um animal apenas responde e reage por instinto. Um grande guerreiro (um homem prudente e sábio) pensa antes de agir, e procura outros caminhos e outros meios para vencer a batalha. Tenha domínio próprio (tenha autocontrole). O verdadeiro guerreiro é aquele que vence a si mesmo. Vença o Velho Adão, o Velho Homem (Demônio Interior). O verdadeiro campo de batalha é a mente. Um grande guerreiro precisa ter vontade, força e concentração. Seja forte e corajoso! Lute sempre em prol dos outros. O seu chamado, o seu propósito, a sua missão é proteger os inocentes. Use as suas armas e os seus punhos para proteger os indefesos. O seu dever é lutar em prol da justiça. Os verdadeiros heróis são Aqueles Que Enfrentam a Morte. Você é Aquele Que Protege. Não tenha medo da morte. Se for possível, morra com um sorriso no rosto (rindo da cara da morte). Combata o mal e os malfeitores. Proteja e defenda os fracos. Faça o bem.

RETROCEDER NUNCA, RENDER-SE JAMAIS (PERSEVERE NA FÉ):

"Ninguém que milita se embaraça com negócios desta vida, a fim de agradar àquele que o alistou para a guerra. E, se alguém também milita, não é coroado se não militar legitimamente." (2 Timóteo 2:4-5)

Um guerreiro sempre procura explorar as fraquezas do seu inimigo. Espera o momento oportuno em que ele abaixa a guarda para poder acertá-lo. Assim, Satanás faz. O primeiro alvo de seu ataque sempre será uma necessidade física sua. O Diabo conhece o ser humano, portanto, ele sabe como derrubá-lo. Durante milhares de anos, Satanás analisou os homens e os estudou para poder conhecer todas as suas forças e as suas fraquezas. No meu caso, Satanás sabe quando a minha libido está alta (para usar a promiscuidade sexual contra mim) e quando as minhas, endorfina e serotonina, estão baixas (para usar a depressão e se aproveitar de minha tendência suicida). Lúcifer sabe quando a minha adrenalina (química da coragem) está alta, e quando eu estou cheio de adrenalina, me torno num “homem-bomba ou kamiquaze”, isso pode ser vantajoso para mim ou não. O Diabo não é esse tolo e sonso que os crentes pregam por aí. Satanás não é conhecido como o “Tinhoso” porque ele é bobo e burro. Ele não é conhecido como o “olho que tudo vê”, porque é cego. Satanás, o Diabo, não era só músico, mas também era um líder militar. Ficar com legalismo, fanatismo e fundamentalismo religioso não vai ajudar na luta contra o Diabo. As mandingas dos hereges do Movimento Batalha Espiritual não representam nenhuma ameaça contra Satanás. Somente, o Nome de Jesus e o poder de sua Palavra (Bíblia) representam uma verdadeira ameaça para o Diabo e seus anjos. Se fortaleça em Deus e na sua Palavra. Dedique-se a oração e estude profundamente as Escrituras (Bíblia). Busque a santidade bíblica (por amor e não por medo). Não busque a Deus por interesse, mas busque-o por gratidão. Seja forte e corajoso. Não demonstre medo diante de seus inimigos. Os malfeitores e os demônios sentem o cheiro do seu medo. Implorar pela vida ou para não ser ferido, apenas atiçará o sadismo desses sádicos e aumentará a sensação de poder desses opressores. Nunca pare de lutar enquanto a luta não acabar. Muito mais do que saber bater (há diferença entre ter técnica para lutar e simplesmente bater como uma mula), você tem que ser resistente para aguentar apanhar também. Se você tem poder, use o seu poder para salvar aqueles que não tem poder. Se você é forte, use a sua força para proteger os fracos. Se você tem voz, fale por aqueles que não podem falar. Liberte os acorrentados das correntes infernais da opressão. Lute em favor dos fracos e oprimidos. Ajude os excluídos e desamparados. Tenha compaixão por aqueles que ninguém se importa. Coloque-se no lugar do outro, sinta a dor do outro, para, assim, você poder compreendê-lo. Faça justiça aos oprimidos. Defenda os fracos. Proteja os inocentes e indefesos. Quando o poder de fazer o bem estiver em suas mãos, não deixe de fazer o bem a quem de direito. Faça a diferença. Faça o bem. Se não tem ninguém para fazer, faça você mesmo. Alguém tem que fazer.

O VERDADEIRO CONTEXTO DE EFÉSIOS 6 (A GUERRA ESPIRITUAL):

Em Efésios 6, quando Paulo fala que a nossa luta não é contra carne e sangue, ele se refere a luta da Igreja, ou seja, que a Igreja não deve se engajar em lutas armadas (Igreja, instituição, ou quer que eu desenhe?). Em Romanos 13, (o autor é o mesmo de Efésios 6, ou seja, ele não era bipolar), Paulo ensina, claramente, que a luta do Estado (que é ministro de Deus) é contra os malfeitores. Como, Paulo, não era bipolar e nem esquizofrênico, ele não tinha uma opinião em Romanos 13 e outra opinião em Efésios 6. Paulo não era pacifista, ele simplesmente disse que a guerra da Igreja é espiritual, e a guerra do Estado é física.

O QUE A BÍBLIA REALMENTE DE FATO ENSINA SOBRE “OLHO POR OLHO E DENTE POR DENTE”:

Na verdade, o ensinamento do "olho por olho e dente por dente" nunca se referiu ao ódio e a vingança pessoal (isso era distorção dos fariseus). Moisés nunca pregou esse tipo de coisa, até porque foi ele quem ensinou primeiro que a vingança pertence a Deus e de que se deve amar o próximo como a ti mesmo. Olho por olho e dente por dente sempre se referiu à legítima defesa e as punições aplicadas pelas autoridades legalmente constituídas contra os malfeitores. Olho por olho e dente por dente significa que a reação contra um agressor injusto ou a punição aplicada contra um malfeitor deve ser de acordo com a agressão sofrida ou com o delito cometido, ou seja, na mesma proporção, e nunca de forma exagerada.

O VERDADEIRO ENSINAMENTO SOBRE “OFERECER A OUTRA FACE”:


Os fariseus deturpavam as Leis do Antigo Testamento para incentivar as pessoas ao ódio e a retaliação, porque olho por olho e dente por dente era na verdade as punições aplicadas pelas autoridades nos malfeitores e não um incentivo a represália do indivíduo (olho por olho e dente por dente era um ensinamento para que os criminosos fossem punidos de forma justa e não de maneira exagerada). Jesus condenou a vingança pessoal e não a legítima defesa, pois Ele usa muito simbolismo nas coisas em que ensina (Mateus 5:38-39). Cristo, em outra parte da Bíblia, ensinou que se a sua mão direita te fizer pecar, se deve amputá-la. E se o seu olho direito te fizer pecar, se deve arrancá-lo. Oferecer a outra face está inserido no mesmo contexto (Mateus 5:27-30). Jesus não falou para os cristãos se mutilarem e nem para serem sacos de pancadas dos outros. Tudo isso é puro simbolismo (Alegorismo).

SOBRE O VERDADEIRO ENSINAMENTO A RESPEITO DAS ARMAS ESPIRITUAIS:

Por isso, as armas carnais e humanas, tais como argúcia, habilidade, riqueza, capacidade organizacional, eloqüência, persuasão, influência e personalidade são em si mesmas inadequadas para destruir as fortalezas de Satanás; porque as únicas armas adequadas para desmantelar os arraiais do Diabo, as injustiças e os falsos ensinos são as armas que Deus nos dá (2 Coríntios 10:3-4). Esse trecho não se refere às armas bélicas, mas, sim, a capacidade humana e as vãs filosofias; como, por exemplo, as heresias, as opiniões pessoais dos religiosos, as experiências mirabolantes baseadas apenas em misticismo e delírios (doutrinas de demônios), legalismo, fanatismo e fundamentalismo religioso. Para se combater o Inferno precisamos das armas espirituais dadas por Deus, pois somos incapazes de vencermos Satanás e os seus demônios sozinhos.

JESUS CONDENOU A VINGANÇA E A VIOLÊNCIA COMO MEIO DE VIDA (CRISTO NUNCA CONDENOU A LEGÍTIMA DEFESA):

Cristo não fez apologia ao Pacifismo, mas, simplesmente, falou que os violentos sofrerão violência. Se Pedro tivesse matado Malco, ele seria punido com a morte pelo Estado Romano e Jesus quis impedir que isso acontecesse (Mateus 26:52). O próprio Cristo ordenou a Pedro para que ele comprasse aquela espada (Lucas 22:35-36). Jesus devia cumprir com a profecia a seu respeito e Pedro quis impedir o cumprimento dessa profecia. Jesus não disse para Pedro jogar a espada fora, mas apenas para guardá-la. Paulo reconhece que o Estado tem o poder da espada (Machaira) para castigar os malfeitores (algo concedido e autorizado por Deus).

A ESPADA DO ESPÍRITO:


“A frase "Espada do Espírito" é encontrada apenas uma vez nas Escrituras, em (Efésios 6:17). A espada é parte da armadura espiritual que Paulo diz aos cristãos para colocar a fim de poderem lutar eficazmente contra o mal (Efésios 6:13). A espada é uma arma tanto ofensiva quanto defensiva usada para se proteger do mal ou para atacar o inimigo e vencê-lo. Era necessário que um soldado tivesse um treinamento rígido sobre o uso correto de sua espada para obter dela o máximo benefício. Todos os soldados cristãos precisam do mesmo treinamento rígido para saberem como lidar corretamente com a Espada do Espírito, "que é a Palavra de Deus". Já que cada cristão encontra-se em uma batalha espiritual contra as forças satânicas deste mundo, precisamos saber como manusear a Palavra corretamente. Só, então, ela será uma defesa eficaz contra o mal e uma ofensa valiosa para "destruir fortalezas" do erro e da mentira (2 Coríntios 10:4-5). A Palavra também é chamada de espada em (Hebreus 4:12). Aqui, a Palavra é descrita como viva e eficaz e mais penetrante que uma espada de dois gumes. A espada romana era comumente de dois gumes, tornando-a melhor para perfurar e cortar em ambos os sentidos. A ideia das Escrituras penetrando significa que a Palavra de Deus atinge o "coração", o centro de ação, e traz à tona os motivos e sentimentos daqueles em quem ela toca. O propósito da Espada do Espírito -- a Bíblia -- é nos fortificar e capacitar a suportar os ataques de Satanás (Salmo 119:11; 119:33-40; 119:99-105). O Espírito Santo usa o poder da Palavra para salvar almas e dar-lhes força espiritual para serem soldados maduros para o Senhor. Quanto melhor conhecermos e compreendermos a Palavra de Deus, mais úteis seremos em fazer a vontade de Deus e mais eficazes em enfrentar o inimigo de nossas almas”.


SOBRE O SEXTO MANDAMENTO:

Os heróis podem matar os vilões para proteger os inocentes se for necessário, pois o Mandamento “Não Matarás” em sua tradução correta significa “Não Assassinarás”. O Sexto Mandamento em hebraico é “Lo Tirsah”, e em grego é “Ou Foneuseis”, e em ambas as línguas usadas na Bíblia original, esse Mandamento se refere somente ao assassinato criminoso e nunca a legítima defesa. Portanto, os inocentes têm o direito de se defender ou de serem defendidos por alguém.

O verbo hebraico “ratsach” usado nesse Mandamento no Antigo Testamento, e o verbo grego “foneuo” usado nesse Mandamento no Novo Testamento, sempre são usados para se referir ao assassinato criminoso, e nunca a legítima defesa e a pena capital. Tanto o verbo hebraico “ratsach” quanto o verbo grego “foneuo” se referem ao homicídio ilícito. Portanto, matar para se defender ou para proteger alguém não é pecado. Seria uma grande incoerência Deus mandar os hebreus matarem nas guerras sendo que Ele mesmo disse “Não Matarás”, se no Sexto Mandamento Deus não se referisse somente ao homicídio criminoso (Deus não é bipolar).

SOBRE O SERVIÇO MILITAR:

Sobre os juramentos, Jesus nunca condenou totalmente os juramentos, mas, sim, aquelas pessoas que não tem palavra e nem moral e que precisam fazer “juramentos” para que os outros acreditem que elas estão dizendo a verdade. A Bíblia, a Palavra de Deus, nunca condenou os juramentos que são feitos em nome da verdade, da paz, da justiça e do amor (o casamento é um juramento de lealdade a sua esposa).

Em relação à “cultuar as tradições”, na verdade, os militares não prestam culto as tradições e nem aos heróis do passado, mas, simplesmente, eles relembram os feitos do passado e prestam homenagens a esses grandes guerreiros, no entanto, ninguém bate continência ou se curva diante de quadros e estátuas.

O BÁSICO DA ESTRATÉGIA MILITAR:

Você sempre deve conhecer o terreno do seu inimigo. Procure explorar as fraquezas de seu adversário. Procure destruir a economia (riquezas) de seus adversários (o dinheiro, a renda de organizações criminosas ou de exércitos inimigos). A ira entorpece a sua espada, portanto, nunca ataque com raiva (tenha técnica). Seja estratégico. Seja tático. A coragem é forjada no campo de batalha. Adquirindo experiência nas pelejas, você melhora os seus reflexos e aguça os seus sentidos. Os cangaceiros tinham vantagem sobre os policiais e soldados, porque conheciam a caatinga. Os vietnamitas tinham vantagem sobre os militares norte-americanos, porque conheciam a sua terra natal como ninguém. Os soldados norte-americanos somente conseguiram derrotar o Talibã, porque tiveram a ajuda dos combatentes da Aliança do Norte (que conheciam a região e o território). O básico da estratégia militar é sempre eliminar os líderes primeiro para que os seus subordinados fiquem confusos e comecem a disputar pelo poder. Cortar a luz elétrica e as linhas telefônicas para que os seus inimigos fiquem sem comunicação e desorientados na escuridão. Antecipe os passos de seu inimigo. Coloque-se em seu lugar para pensar exatamente como ele, porque assim você saberá qual será o seu próximo ataque. Cerque seus inimigos, destrua as suas plantações e os privem de água e de alimento, assim, você terá mais probabilidade de derrotá-los. O opressor só respeita a força que é maior do que a dele. Os violentos só conhecem a linguagem da violência. Negociar e argumentar com estupradores, torturadores e assassinos cruéis é perda de tempo, porque eles nem se darão ao trabalho de te ouvir. A resposta tem que ser rápida. O disparo tem que ser certeiro. Tenha foco de tiro. Use o fator surpresa, pois assim você surpreenderá o seu inimigo. Nunca implore por sua vida ou por misericórdia, pois isso apenas aumentará a sensação de poder e atiçará o sadismo dos malfeitores. Você escolhe se quer ser vítima ou inimigo dos bandidos. Você escolhe se quer ser vítima ou inimigo dos opressores. Você escolhe se quer ser vítima ou inimigo dos malfeitores. Você escolhe se quer ser apenas uma vítima indefesa ou um inimigo a altura.

O MEDO COMO ARMA (A MAIOR ARMA DOS BANDIDOS):

Quando os Incas enfrentaram os espanhóis, eles foram derrotados por causa do impacto psicológico, porque os Incas poderiam vencer a guerra, mas eles não conheciam as armas de fogo e nem os canhões, e com isso eles ficaram assustados, entraram em desespero e foram derrotados. Quando Hyoga de Cisne lutou contra o gigante Dócrates (irmão de Cássios), o cavaleiro de Cisne se lembrou do ensinamento de seu mestre (Mestre Cristal), que homens muito grandes têm pernas muito frágeis e com isso, Hyoga, causou um grande impacto psicológico em Dócrates e com a ajuda de Shun de Andrômeda e de Seiya de Pégaso, venceram o gigante. Saitou Hajime disse para Kenshin Himura que Makoto Shishio conquistou o espírito das pessoas (do povo), por isso, ninguém ousava desafiá-lo e se opor ao seu domínio. Os bandidos, os terroristas e os ditadores usam o medo e o terror como armas para poder subjugar e oprimir os mais fracos que tem o seu espírito, conquistado, subjugado e dominado por eles. Desde a Antiguidade que o Diabo e seus anjos usam o medo para conquistar o mundo. Durante a Idade Média, esse medo foi intensificado por meio dos horrores praticados pela Inquisição. Satanás, o Diabo, faz isso com a Igreja hoje também, ele a controla e a domina por meio do impacto psicológico. A maior arma dos bandidos, dos terroristas e dos ditadores sempre foi o medo.

PUNIÇÃO E CASTIGO (BARGANHA E LEGALISMO):

O interessante dos "cidadãos de bem" e dos "cristãos" é que se não existe Estado (Romanos 13:1-7) e (1 Pedro 2:13-17), os caras saem estuprando e matando (se não tem Polícia para prender). Esses religiosos hipócritas só fazem o certo se for na base da coação e do medo (se não existisse o Inferno, Deus que se dane para eles). Só fazem o correto se for para ganhar alguma vantagem ou recompensa em troca (Barganha) e só não fazem o errado e o mal se for na base da punição e do castigo (Legalismo).

O VERDADEIRO CAMPO DE BATALHA:

O verdadeiro campo de batalha de todo ser humano é a mente. Satanás atua principalmente usando sugestões diabólicas ocultamente as infiltrando nas mentes das pessoas. O verdadeiro contexto de Efésios 6 é a luta da Igreja (isso não invalida a luta do Estado, que é ministro de Deus, ensinado em Romanos 13). O primeiro alvo do ataque de Satanás será sempre uma necessidade física sua. O Diabo é o Pai da Mentira, mas muitas vezes, ele distorce a verdade ou não a conta totalmente para poder enganar as pessoas (assim, como ele fez com Adão e Eva no Jardim do Éden). Lúcifer costuma usar muito as Escrituras (as distorcendo totalmente usando versículos bíblicos fora de seus verdadeiros contextos apenas para pregar o que lhe é conveniente, claro). Eu sou um "pouquinho" mais esperto do que a grande maioria dos evangélicos, mas ainda tenho a mera impressão de que o Diabo é muito mais esperto do que penso, acho e imagino que ele seja. Estudem a Bíblia, a Palavra de Deus! Procurem ter comunhão com Deus! Busquem a santidade (santidade bíblica, e não o maldito legalismo religioso hipócrita)! Busquem ter um verdadeiro e sincero relacionamento com Deus! Assim, vocês sairão vitoriosos contra o Diabo e seus anjos.

AS TRÊS CONSTRUÇÕES IDEOLÓGICAS (PACIFISMO, SATANIZAÇÃO DA SEXUALIDADE E ANTISSEMITISMO):

“A causa de Deus nem sempre é de sucesso; nós realmente podemos ser “mal sucedidos” e, ainda assim, estar no caminho certo”.
(Dietrich Bonhoeffer)

O Pacifismo resulta na violência gratuita. A satanização da Sexualidade resulta em abusos sexuais e na promiscuidade sexual. O Antissemitismo resulta na Judaização da Igreja. Todos os extremismos são ruins e nocivos para a Igreja. A Bíblia, a Palavra de Deus, nunca pregou a apatia, o conformismo e a omissão diante do mal (Romanos 13:1-7), (1 Pedro 2:13-17) e (Lucas 3:14). Deus criou a Sexualidade, ou seja, o Sexo é um presente de Deus para a humanidade (Cantares - Cântico dos Cânticos). Jesus Cristo é o Rei dos judeus, o Herdeiro legítimo do trono de Israel. O Deus da Bíblia é o Deus de Israel, o Deus dos hebreus. Israel é a Igreja, o povo de Deus.

CONCLUSÃO:

“Com armas os homens conquistam terras. Nas terras conquistadas nasce a lei. A lei se defende com armas. Só existe paz em terras onde há lei. Onde houver terra, haverá homens e onde houver homens, se imporá leis e, para impor a lei, haverá armas. Portanto, nunca vá desarmado para uma terra onde não há lei”.

Quando um povo perde a fé nas instituições, o declínio dessa civilização está próximo. O futuro do Brasil é tenebroso. Se os cristãos verdadeiros não se posicionarem, as coisas só vão piorar (por favor, não me venham com esse "bordão" do Diabo de que "Jesus está voltando e a tendência é piorar mesmo", porque isso é só desculpa para justificar a omissão e o conformismo de vocês, seus crentes hipócritas). Precisamos orar e interceder em favor da nossa nação e começar a viver o Evangelho de Verdade (e não essa "imitação barata” que pregam por aí do Jesus pacifista que é só "paz e amor" e que não tem senso de justiça). Paulo em (Romanos 13:1-7) e Pedro em (1 Pedro 2:13-17) afirmaram, claramente, que as autoridades governamentais são legítimas e necessárias na ordem estabelecida por Deus. Nós, cristãos, precisamos nos posicionar e fazer algo concreto de fato para ajudar a nossa nação, antes que seja tarde demais e a nossa sociedade entre em colapso e deixe de existir.

“Covarde não é aquele que evita um combate, covarde é aquele que mesmo sabendo que é superior luta e fere o mais fraco”. (Bruce Lee)

Nós, homens, (principalmente, cristãos) temos a obrigação e o dever de defender e de proteger os mais fracos. As mulheres são tesouros que devemos honrar e proteger. Nós somos guerreiros e líderes por natureza, portanto, não podemos ser medrosos e covardes. Um cavaleiro prova o seu valor por meio dos seus atos. Seja um defensor. Seja um protetor. Seja um samurai.

AUTOR: Filipe Levi Viasoni da Silva, historiador e professor de História.

A GERAÇÃO DE "CRENTES PAZ & AMOR"


A GERAÇÃO DE "CRENTES PAZ & AMOR"

Mais do mesmo: homens querendo ensinar a Deus sobre o amor.
A definição final do amor, para os tais, não está na Bíblia toda, mas apenas no Novo Testamento, interpretado por eles mesmos. Se esquecem que o Novo está latente no Velho Testamento e o Velho está patente no Novo (Agostinho).
Ao lidar com a santidade da vida, só sabem dizer que:
"Cristo se assentou com pecadores", mas fazem vista grossa à condenação do pecado.
"Cristo andava com os pobres e minorias", mas ocultam as festas nas casas dos nobres.
"Cristo era pacifista", mas se esquecem da ira santa contra os vendilhões no Templo e a ordem para que seus discípulos comprassem espadas para autodefesa (Pedro foi repreendido, sobre Malco, não por ter se defendido de homens armados, mas por não entender que Cristo deveria ser entregue e que Ele era o Senhor de tudo, o Criador, e que poderia convocar exércitos de anjos para o livrar, se quisesse).
"Cristo condenou os religiosos". Mentira! Ele condenou a hipocrisia deles, não a sua religião, pois Ele mesmo sempre estava no Templo, cumprindo a Lei, elogiava e era paciente com os que a praticavam com sinceridade de coração, como Natanael e Nicodemus.
"Cristo foi condenado por ditadores". Mentira! Ele foi condenado pelo pecado da humanidade, inclusive o dessa geração 'floco de neve', desobediente e contumaz, que acha ser mais bondosa do que o Deus das Escrituras!
Hipocrisia! Quem define o que é o amor é Deus e não o homem!
O amor e a justiça são indissociáveis, Deus assim decretou para conter a selvageria da humanidade (para os transgressores estabeleceu a severidade dos magistrados). Mas os "paz & amor" pensam que podem lidar com os atributos de Deus conforme seus próprios pensamentos progressistas, à parte da Palavra. Veja o resultado que essa cosmovisão fraca e humanista produziu!
Olhe ao redor e chore! 
Continuarão pregando esse falso evangelho?

quinta-feira, 25 de outubro de 2018

O GRANDE LIBERTADOR (AQUELE QUE VENCEU A MORTE)



Filipe Levi 25/10/18
O GRANDE LIBERTADOR (AQUELE QUE VENCEU A MORTE)


“Quem creu em nossa pregação? E a quem foi revelado o braço do Senhor? Porque foi subindo como renovo perante ele e como raiz duma terra seca; não tinha aparência nem formosura; olhamo-lo, mas nenhuma beleza havia que nos agradasse. Era desprezado, e o mais rejeitado entre os homens; homem de dores e que sabe o que é padecer; e como um de quem os homens escondem o rosto, era desprezado, e dele não fizemos caso. Certamente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido. Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões; e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados”. (Isaías 53:1-5)

A "visão" que o mundo e a Igreja têm de Jesus é totalmente distorcida do Jesus verdadeiro revelado nas Escrituras. As pessoas enxergam Jesus como um tipo de "Hippie" (paz e amor), um "grande pacifista" (que não tem senso de justiça e que pregou a omissão e a apatia diante do mal), ou o "Bob Marley" (o que importa é que as pessoas sejam felizes e não o que a Bíblia ensina), menos o Messias relatado na Bíblia. O Jesus da Bíblia era desbocado (Ele era boca suja mesmo). O Jesus da Bíblia se indignava com as coisas erradas e criticava as injustiças que o povo sofria. O Jesus da Bíblia xingava, insultava e ofendia os fariseus e os saduceus (os religiosos hipócritas e falsos moralistas da época). O Jesus da Bíblia tinha compaixão pelos "pecadores" e amava os desamparados e os oprimidos. O Jesus da Bíblia elogiou a fé e a integridade de um militar, mas desprezou a religiosidade hipócrita e o falso moralismo dos fariseus. O Jesus da Bíblia era conhecido como o "AMIGO DAS PROSTITUTAS" (o amigo das "putas" mesmo). O Jesus da Bíblia comia e bebia com os "pecadores", porque Ele era o "AMIGO DOS PECADORES". O Jesus da Bíblia (segundo os fariseus) tinha o Diabo no corpo, porque Ele expulsava os demônios em nome de Belzebu. O Jesus da Bíblia pegou um chicote nas mãos e desceu a chicotada nos cambistas e saiu chutando as mesas lá no Templo de Jerusalém. Viram como o Jesus da Bíblia é um "Hippie e grande pacifista"? Quando uma mentira é repetida mil vezes (como se fosse um mantra), ela se torna numa "verdade". Assim, se constrói uma construção ideológica.

O Jesus "paz e amor" que pregam por aí, não é o Jesus histórico, menos ainda o Jesus da Bíblia. Essa "historinha" de que Jesus era um "grande pacifista" não tem embasamento histórico, menos ainda base bíblica. Os "historiadores de Internet" (geralmente, Testemunhas de Jeová e evangélicos que não terminaram nem o Ensino Fundamental), adoram usar o argumento de que os cristãos primitivos não se alistavam no Exército, e por causa disso o serviço militar é do Diabo. Existem historiadores (historiadores de verdade) que até defendem a teoria de que Jesus era um líder dos zelotes (judeus revolucionários que tentavam derrubar o Império Romano do poder). Eu sei que Jesus e os apóstolos nunca apoiaram os zelotes, mas Cristo e seus fiéis apóstolos sempre defenderam a submissão às autoridades (portanto, que as autoridades não exigissem nada contra a Palavra de Deus). Paulo (Romanos 13:1-7) e Pedro (1 Pedro 2:13-17), claramente, ensinaram que a função das autoridades governamentais é punir os maus e louvar os bons. Pedro evangelizou o centurião Cornélio, e ordenou que ele fosse batizado ainda sendo um oficial romano. João Batista batizou alguns soldados e lhes incentivou a permanecerem no serviço militar, portanto, que eles fossem honestos e justos (Lucas 3:14). Paulo (assim, como o profeta Daniel no Antigo Testamento) afirmou, claramente, que as autoridades governamentais são estabelecidas por Deus e que são ministros de Deus para castigar os malfeitores e para enaltecer os cidadãos de bem (sem contar que Paulo também evangelizou a Guarda Pretoriana, os Santos da Casa de César). Portanto, essa "historinha" de que Jesus e seus apóstolos eram um bando de pacifistas e anarquistas, não tem embasamento histórico, e menos ainda base bíblica.

Os "cristãos" sempre distorceram as Escrituras para pregar somente o que lhes é conveniente, apenas o que lhes convêm. Adoram exigir uma "santidade" dos outros que eles mesmos não praticam, uma "santidade" que o próprio Deus nunca cobrou de ninguém. Esses religiosos hipócritas banalizaram a paz. Esses falsos moralistas vulgarizaram o amor. Esses safados rebaixaram o perdão. Pregam "a paz e o amor", mas praticam a violência gratuita contra aqueles que não podem oferecer resistência, contra aqueles que não podem revidar e se defender. Satanizam a sexualidade e o sexo, mas abusam sexualmente de mulheres e crianças às escondidas (EM NOME DE DEUS). Os "cristãos" são os maiores inimigos do Cristianismo. Os crentes são os maiores inimigos de Deus e de Jesus. Os evangélicos são os maiores inimigos do Evangelho.

O Príncipe da Paz, também é o Senhor dos Exércitos. Deus é amor, mas também se ira em fervor. A essência de Deus é o amor, mas o seu princípio é a justiça. O Deus da Paz, também é o Deus da Guerra. O Cordeiro de Deus, também é o Leão de Judá. Jesus é o Grande Libertador de Israel, e não esse songamonga idealizado pelos evangélicos. O Jesus da Bíblia é o Messias e o verdadeiro Rei dos judeus. Cristo é o Rei legítimo de Israel. O Príncipe da Paz, também é o Senhor da Guerra. O Deus que concede Salvação por meio de sua Graça é o mesmo que também lança os pecadores no Tártaro (Lago de Fogo). De Deus não se zomba! Deus se ira e também tem senso de justiça.

O Jesus da Bíblia e os profetas xingavam os falsos profetas e malfeitores de bastardos, de assassinos, de ladrões e de filhos de prostitutas e filhos de meretrizes, de porcos e cães (ofensas graves no contexto do Judaísmo); de hipócritas, de loucos e de falsos; de serpentes e de víboras. Esse é o Jesus "paz e amor" dos crentes e evangélicos.

Os cristãos se tornaram naquilo que Jesus mais abomina e sempre combateu, em religiosos legalistas que fazem mau uso do Nome de Deus. Os religiosos legalistas não se baseiam na Bíblia, a Palavra de Deus, mas, sim, no legalismo religioso, na hipocrisia moral e no falso moralismo. O maldito legalismo (Estoicismo e Ascetismo) pregado pelos "fariseus da modernidade" (na verdade, desde o primeiro século existem essas pragas na Igreja). O Jesus "Hippie" (paz e amor) e politicamente correto e songamonga que pregam por aí, não é o Jesus da Bíblia. O Jesus da Bíblia tinha compaixão pelos "pecadores", ao contrário, dos "santos religiosos" que se acham superiores e melhores do que os outros (grandes pecadores). Os crentes safados e hipócritas podem negar até a morte que Jesus comia e bebia com os pecadores, mas nos 4 Evangelhos da Bíblia está registrado isso. Os pacifistas podem negar até a morte que os soldados e magistrados são estabelecidos (instituídos) por Deus e que são ministros de Deus para punir os maus e louvar os bons (Romanos 13:1-7) vai continuar na Bíblia, com os pacifistas querendo ou não. Os cristãos que não gostam de fazer sexo (que não gostam de "dar uma mesmo") podem continuar satanizando a sexualidade à vontade, mas o Cântico dos Cânticos (Cantares) vai continuar na Bíblia, com esses "frustrados sexualmente e brochas querendo ou não". As Escrituras sempre ensinaram que as autoridades governamentais (governantes, magistrados, reis e soldados) são colocados por Deus no poder (Romanos 13:1-7), (1 Pedro 2:13-17), (Daniel 2:20-21) e (Daniel 5:20-21). Nem os fariseus do Sinédrio (que Jesus tanto abominava e tinha aversão) ousaram demonizar o serviço militar (matar mesmo), a defesa pessoal (se defender mesmo) e a sexualidade (trepar mesmo), mas os cristãos tiveram a ousadia (ignorância e burrice mesmo) de fazer isso (em Nome de Deus), como se o Deus da Bíblia apoiasse essa sandice e insanidade. Infelizmente, os cristãos (Igreja) se tornaram e pregam coisas que o Jesus da Bíblia sempre combateu. Cristo está mais próximo da prostituta que sabe que é pecadora do que do religioso que pensa que é “santo”. O próprio Jesus (O AMIGO DAS PROSTITUTAS – O AMIGO DOS PECADORES) disse que os publicanos e as prostitutas são mais dignos do Céu do que os fariseus (religiosos hipócritas e falsos moralistas). Deve ser por isso que o Jesus da Bíblia era acusado de ter “o Diabo no corpo”.

As pessoas são muito hipócritas mesmo. Querem enfiar o "politicamente correto" na Bíblia goela abaixo. Falam de "educação", de "respeito" e de "amor", mas esquecem que o Jesus da Bíblia e os profetas de Deus eram muito "mal educados" e "destemperados" quando presenciavam a injustiça e a covardia sendo praticadas diante deles. Vocês, seus hipócritas, pregam um "jesus" que nunca existiu. Parece até que o Jesus da Bíblia causa aversão a vocês, seus falsos moralistas. Vocês, seus hipócritas, querem ser mais santos do que o próprio Jesus da Bíblia, do que o próprio Deus.

O impressionante dos evangélicos é que eles somente gostam de divulgar o "jesuis" distorcido e o "evangelho" deturpado deles. O Jesus cordeirinho e pacifista dos crentes, ou seja, o Jesus songamonga dos evangélicos. E os cristãos pacifistas e babacas que são capachos e sacos de pancadas dos outros. Eles não gostam de pregar sobre o Jesus que comia e bebia com os pecadores. Eles não gostam de pregar sobre o Jesus que xingava e julgava os religiosos hipócritas. Eles não gostam de pregar sobre o Jesus que amava os oprimidos e que se indignava com as coisas erradas e contra as injustiças que o povo sofria. Eles não gostam de pregar sobre o Jesus que desceu a chicotada num bando de religiosos hipócritas e safados, e que virou as mesas para expulsar os "ungidos do Senhor" do Templo de Jerusalém. Esses crentes não gostam de divulgar sobre os cristãos que empunham armas para combater o Boko Haram e o Estado Islâmico. Esses evangélicos não gostam de divulgar sobre os protestantes (luteranos, huguenotes e puritanos) que empunharam armas para combater a Igreja Católica na época da Reforma da Igreja. É porque ser pacifista e politicamente correto é mais fofinho e bonitinho do que fazer o que a Bíblia realmente ensina. Esses religiosos hipócritas querem ser mais santos do que próprio Jesus, o "amigo dos pecadores". Esses crentes safados querem ser mais santos do que o próprio Espírito Santo que inspirou a Bíblia, a Palavra de Deus. Esses malditos fariseus querem ser mais santos do que o próprio Yahweh, o Eterno.

Eu admiro muito Jesus Cristo. Eu me identifico com Jesus. Não com o Jesus pacifista e omisso (songamonga dos evangélicos), mas com o Jesus da Bíblia, que era bocudo, que andava com os pecadores (o amigo das prostitutas), que se indignava com as coisas erradas, que xingava os fariseus, que amava os oprimidos e que não suportava a hipocrisia religiosa e o falso moralismo.

O mundo clama por um grande herói que combata o mal e proteja os indefesos. A Terra está assolada pela maldade, e Satanás oprime a raça humana através do pecado. Deus amou o mundo de tal maneira que Ele enviou Jesus para sofrer e morrer numa Cruz por nós. Cristo sofreu torturas indescritíveis e foi brutalmente assassinado por amor ao seu povo, mas no terceiro dia, Ele ressuscitou. Jesus venceu a morte e o pecado, porque Ele é o Soberano Senhor. Cristo tem as chaves da morte e do Inferno, portanto, Satanás não tem nem a chave de sua própria casa, e nem pode mais usar a morte para ameaçar os escolhidos de Deus, porque os remidos pelo Cordeiro têm a vida eterna.

Quem vai lutar pelo que é certo? Quem vai nos ajudar a sobreviver? Quem vai lutar pelos fracos? Quem vai fazê-los acreditar? A resposta para essas perguntas é Jesus Cristo. Eu sempre admirei os heróis dos filmes de ação e dos desenhos japoneses (animes), mas passei a admirar muito Jesus, tanto que quero ser igual a Ele. Desejo ardentemente me tornar a imagem e a semelhança de Jesus Cristo. Almejo ser mais parecido com Jesus. O Deus que se fez homem para habitar entre nós. O Messias curou os enfermos e ressuscitou os mortos. Ele expulsou demônios e acalmou a tempestade. O Grande Libertador de Israel, o Rei dos judeus, sangrou dolorosamente até morrer, para que o seu santo sangue nos purificasse de todo o pecado. Os judeus esperavam um Messias guerreiro e nacionalista, mas Jesus Cristo veio ensinar a compaixão, o amor e o perdão. Alguns séculos depois, o Império Romano caiu sob o domínio dos bárbaros, mas isso aconteceu no tempo de Deus. Na época em que Jesus veio aqui na Terra foi mais importante ensinar as pessoas a se amarem do que acabar com o domínio dos romanos.

Existe uma cura para o vírus mortal chamado pecado. Existe uma maneira de conter a epidemia viral que se alastra sobre a Terra. O sangue de Jesus é a cura para o pecado. Cristo veio para nos libertar da escravidão do pecado e da opressão do Diabo. Jesus é o Único Caminho para se chegar até Deus (não existe outro caminho). Cristo é a Única Salvação, pois Ele é o único que pode nos salvar. Ele veio para nos resgatar do Império das Trevas. O Reino das Sombras sucumbiu diante de seu poder. Jesus Cristo veio para proteger os fracos. Ele veio nos trazer Salvação. Cristo veio nos libertar da opressão. Lúcifer foi derrotado na Cruz do Calvário, porque quando Jesus Cristo derramou o seu precioso sangue, Ele venceu o mal. Jesus veio nos salvar.

“Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim”. (João 14:6)

Jesus Cristo pode levar todos os homens até Deus. Jesus é o Caminho para se chegar até o Todo-Poderoso (não existe outro caminho). Cristo é o Único Salvador que pode nos livrar da maldição eterna. Qualquer homem que reconhecer Jesus Cristo como o seu único e suficiente Salvador será salvo. Os verdadeiros cristãos são templos do Espírito Santo e se tornam amigos de Deus através de Jesus Cristo. O sacrifício de Jesus foi o preço pago para que todos nós possamos ser salvos. A Salvação é de graça. Qualquer um pode ser salvo se buscar a Deus e se converter de seus maus caminhos.

“Jesus respondeu e disse-lhe: Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e meu Pai o amará, e viremos para ele e faremos nele morada”. (João 14:23)

Se as pessoas amarem a Deus acima de todas as coisas e guardarem a sua Palavra, o Altíssimo e o Messias farão morada em seus corações. Todos os homens que amam a Deus acima de tudo e obedecem aos seus Mandamentos se tornam templos do Espírito Santo. Deus, Jesus Cristo, e o Espírito Santo, amam o ser humano; e querem fazer do homem a sua morada.

“Vinde a mim todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, porque sou humilde e manso de coração; e achareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve”. (Mateus 11:28-30) 

Todas as pessoas que estão cansadas e sobrecarregadas podem se aliviar se forem até Jesus Cristo. O Messias pode consolá-las de todo o sofrimento. O jugo de Jesus é suave e o seu fardo é leve. Não é preciso pagar promessas para alcançar bênçãos, porque Jesus já pagou o preço por nós. O sacrifício de Cristo é o suficiente para que sejamos salvos e abençoados. Então, vão até Jesus, que Ele aliviará vocês de todo o cansaço e os libertará de toda a opressão.

Jesus não estava tão preocupado com o domínio dos conquistadores romanos, mas, sim, com os líderes religiosos "mercenários" que usavam o Santo Nome de Deus para explorar o povo. Jesus era agressivo e incisivo. Jesus era bravo e se revoltava com as coisas erradas. Jesus amava os oprimidos e criticava as injustiças que o povo sofria. Jesus xingava os fariseus e saduceus e desceu a chicotada nos cambistas lá no Templo de Jerusalém e ainda saiu chutando as mesas os expulsando do local. Jesus nunca foi “um grande pacifista”. O Messias que elogiou a fé e a integridade de um oficial romano, e que desprezou a religiosidade e o falso moralismo dos fariseus. O "AMIGO DAS PROSTITUTAS". O HOMEM SANTO QUE COMIA E BEBIA COM OS PECADORES. Jesus sempre combateu o legalismo religioso, o politicamente correto e a falsa moralidade. O "jesuis" que pregam por aí, NÃO É O JESUS DA BÍBLIA!!! O Jesus Cristo da Bíblia é o GRANDE LIBERTADOR DE ISRAEL (AQUELE QUE VENCEU A MORTE). Esse é o verdadeiro Jesus, o Jesus histórico, o Jesus da Bíblia.

Quanto mais a Igreja Cristã era perseguida, mais os cristãos se tornavam numerosos. Durante todas as perseguições que a Igreja Primitiva sofreu, mais os cristãos aumentavam em número, porque cada vez mais pessoas se convertiam. A coragem dos cristãos diante do terror da morte impressionava os pagãos, que ficaram interessados na fé que dava coragem para os cristãos encararem a morte. Os pagãos não compreendiam o porquê dos cristãos se absterem dos prazeres momentâneos da vida e morrerem por amor a um Deus invisível. Os cristãos primitivos realmente faziam a diferença na sociedade. Os primeiros cristãos amparavam os órfãos e as viúvas, e ajudavam todos os necessitados. Os cristãos primitivos amavam de verdade os seus semelhantes (até os seus próprios inimigos). Nós, cristãos atuais, temos muito que aprender com os nossos irmãos da Igreja Primitiva. Que Deus seja louvado hoje e sempre.

O Pacifismo resulta na violência gratuita. A satanização da Sexualidade resulta em abusos sexuais e na promiscuidade sexual. O Antissemitismo resulta na Judaização da Igreja. Todos os extremismos são ruins e nocivos para a Igreja. A Bíblia, a Palavra de Deus, nunca pregou a apatia, o conformismo e a omissão diante do mal (Romanos 13:1-7), (1 Pedro 2:13-17) e (Lucas 3:14). Deus criou a Sexualidade, ou seja, o Sexo é um presente de Deus para a humanidade (Cantares - Cântico dos Cânticos). Jesus Cristo é o Rei dos judeus, o Herdeiro legítimo do trono de Israel. O Deus da Bíblia é o Deus de Israel, o Deus dos hebreus. Israel é a Igreja, o povo de Deus.

O símbolo da Casa de El (Casa de Deus) significa "ESPERANÇA". Todos os povos aguardam por uma figura "messiânica". Todos os homens têm fome e sede por um Salvador. Por isso, se criam os "heróis", porque todos nós precisamos de bons exemplos para seguir. Os heróis nos enobrecem, nos mostram como podemos nos tornar nobres e íntegros. A Bíblia, a Palavra de Deus, e a História da Igreja estão repletas de bons exemplos de heróis, não porque esses homens em sua "natureza pecaminosa" fossem bons, mas porque a Graça de Deus os transformou em homens bons, os tornando em verdadeiros heróis. O personagem "Super-Homem" foi inspirado no Messias da Bíblia (Jesus Cristo). O mundo precisa de heróis, e, principalmente, do principal, o Messias, o Salvador anunciado pelos profetas do passado. Esse "jesuis" falso que pregam por aí é uma fraude, porque o Jesus da Bíblia se importava mesmo com os desamparados e oprimidos e condenava a hipocrisia e criticava a injustiça. O Jesus da Bíblia nunca se omitiu diante do mal, tampouco, ensinou à omissão, o conformismo e a covardia para os seus discípulos. Jesus é a Esperança de que precisamos. Cristo sofreu e morreu numa Cruz para que você e eu fôssemos salvos. Se você reconhecer o sacrifício de Jesus por você na Cruz, a Graça de Deus lhe concederá a vida eterna. Jesus Cristo é o Único Caminho para se chegar até Deus (não existe outro caminho). Jesus é a nossa Esperança.

AUTOR: Filipe Levi Viasoni da Silva, historiador e professor de História.